Roberto Carlos e Erasmo Carlos

O Velho Caminhoneiro

O velho caminhoneiro,comandante das estradas
Debaixo daquele toldo, já são tantas toneladas.
Historias experiências, por de traz de um pára-brisa.
Tanta coisa que machuca, mais o tempo cicatriza!

Existe em algum lugar numa curva do caminho,
Uma ponta de saudade, de quando ele era mocinho.
Reduz a velocidade, e lembra da namorada.
Que ficou no seu passado na poeira de uma estrada

Já pegou pelo caminho chuva fina e tempestade
Asfalto terra molhada, lamaceiro de verdade.
No inverno ele se abriga, no verão abre a camisa.
Pronto pra qual quer parada,por que o tempo não avisa

Seu coração viaja em paz
Carregado de emoção, de mais,de mais
Dia, noite madrugada ele sai, não tem hora de partida,
O caminhão o que ele traz, e a coragem que ele tem que é sempre mais.
Pulso firme no volante enfrente vai, pela estrada e pela vida!

Na solidão da boleia, ele pensa na família.
Na mulher a sua espera,e um leve sorriso brilha
Olha o céu e olha a estrada, acelera e vai embora.
No painel tem são Cristóvão, Jesus e Nossa Senhora.

Seu coração viaja em paz,
Carregado de emoção de mais de mais
Dia, noite e madrugada ele sai,
Não tem hora de partida
No caminhão o que ele traz
E a coragem que ele tem que e sempre mais
Pulso firme no volante enfrente vai, pela estrada e pela vida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>