Roberto Carlos e Erasmo Carlos

Além do Horizonte

Além do Horizonte deve ter
Algum lugar bonito
Prá viver em paz
Onde eu possa encontrar
A natureza
Alegria e felicidade
Com certeza…

Lá nesse lugar
O amanhecer é lindo
Com flores festejando
Mais um dia que vem vindo…

Onde a gente pode
Se deitar no campo
Se amar na relva
Escutando o canto
Dos pássaros…

Aproveitar a tarde
Sem pensar na vida
Andar despreocupado
Sem saber a hora
De voltar…

Bronzear o corpo
Todo sem censura
Gozar a liberdade de uma vida
Sem frescura…

Se você não vem comigo
tudo isso vai ficar
no horizonte esperando
por nós dois

Se você não vem comigo
nada disso tem valor
de que vale o paraíso
sem amor

Além do Horizonte
Existe um lugar
Bonito e tranqüilo
Prá gente se amar…

Lá Larálarálarálará Lalá
Lá Larálaralarálará Laralá
Lá Laralaralarálará Lalá
Lá Larálarálarálará Laralá…(2x)

Se você não vem comigo
Tudo isso vai ficar
No Horizonte
Esperando por nós dois…

Se você não vem comigo
Nada disso tem valor
De que vale o paraíso
sem Amor…

Além do Horizonte
Existe um lugar
Bonito e tranqüilo
Prá gente se amar…

Lá Larálarálarálará Lalá
Lá Larálarálarálará Laralá
Lá Larálarálarálará Lalá
Lá Larálarálarálará Laralá…(2x)

0 comentário sobre “Além do Horizonte

  • Auricéa disse:

    Encontramos nessa música as carcterísticas do Neoclassicismo. Está bem explícito o desejo do eu-lírico em fugir da agitação e violência da cidade; para isso ele idealiza uma paisagem agradável e pro´picia para amar e ser amado.O bucolismo está presente: flores festejando, deitar na relva, escutar o canto dos pássaros.O eu-lírico convida a amada para aproveitar a tarde sem pensar na vida.É o carpe diem= viver o presente sem se preocupar com o futuro.
    Nos versos “gozar a liberdade de uma vida/ sem frescura…”aurea mediocritas=o ideal de uma vida equilibrada sem excessos ou extremos.
    “Se você não vem comigo/nada disso tem valor/de que vale um paraíso sem amor”; todoo belo cenário só tem tais qualidades se a amada estiver presente,ou seja, fizer parte dele.
    é isso ameu ver; mas como se trata de um texto lírico, há outras possibilidades de interpretação.

    7
    4
  • Auricéa disse:

    Encontramos nessa música as carcterísticas do Neoclassicismo. Está bem explícito o desejo do eu-lírico em fugir da agitação e violência da cidade; para isso ele idealiza uma paisagem agradável e propícia para amar e ser amado.O bucolismo está presente: flores festejando, deitar na relva, escutar o canto dos pássaros.O eu-lírico convida a amada para aproveitar a tarde sem pensar na vida.É o carpe diem= viver o presente sem se preocupar com o futuro.
    Nos versos “gozar a liberdade de uma vida/ sem frescura…”aurea mediocritas=o ideal de uma vida equilibrada sem excessos ou extremos.
    “Se você não vem comigo/nada disso tem valor/de que vale um paraíso sem amor”; todo o belo cenário só tem tais qualidades se a amada estiver presente,ou seja, fizer parte dele.
    É isso a meu ver; mas como se trata de um texto lírico, há outras possibilidades de interpretação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>