Raimundos

Pintando no Kombão

Porra era tudo doido da porra no kombão.
Buceta só se falava de buceta no kombão.
Tontera o que reinava era a tontera no kombão.
Cacete um dia
Um dia eu dei o maior cacete no kombão.

Era o kombão da queimação, eu, vitão e meu irmão.
Todo mundo muito doido
Procurando diversão.
E dirigir era um tesão, rolava até competição,
Quem desse a tragada mais forte é que tocava o bichão.
Rolasse um violão aí que era fudição
Rolava desde bee gees até ratos de porão.
Tudo loco e feliz até que enfim.

De noite a kombi se enchia de mulher doida pra rondar,
Era melhor do que de dia,
Meu pai não deixava eu andar.

Pelas ruas da cidade eu vou pitando no kombão,
A negada da área e
Sem miséria é só beckão.

Como minha mãe me dizia,
Tá no fogo é pra se queimar.
Doidão na kombi eu só sorria,
Manda a mãe delas me pegar.

Um comentário sobre “Pintando no Kombão

  • Três maconheiros muito felizes que se reuniam para fumar um de maneira pesada, não tinha mizeria era só beckão.

    A vida é sempre melhor com maconha! Quem é maconheiro sabe como é bom rodar por aí com os brothers para falar de buceta, tomar cana, ouvi um som e fumar altos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>