Paulinho da Viola

Meu novo sapato

Um barato
Meu novo sapato
De salto de aço
Inoxidável
Que sapateia
Que vira latas
Que desacata
Dentro do compasso
É meu sapato
Que rompe as teias
Que se formaram
Sobre as saídas
Sobre as escadas
E as entradas
Sobre as calçadas
Que levam à vida

É meu sapato
Que espanta os ratos
Desperta arrotos
De coração
Desgosta certos
Pontos de vista
E desconcerta
É um verdadeiro artista
Não tem orgulho
Nem tão pouco amargura
Está voltado
Para o futuro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>