Dois Sorrisos

As quatro estrelas do meu céu são suas
E os oito postes da avenida são meus
E se você quisesse todos eles, te dava
Lembra, minha luz, foi você quem me deu

As sete cartas do tarô são suas
E os dez destinos mais prováveis são meus
Se você pedisse para abrir um caminho
Esse iria dar na nossa casa, meu bem

As trinta e uma rosas do jardim são suas
E há somente um cravo, que é meu
E se você quisesse um arranjo ou um buquê
Minha querida, o cravo era

Seu sorriso é o que preciso
E quanto ao resto, eu juro, tanto faz
Sua ausência me condena à dor

As nove luas sobre o mar são suas
E o escuro embaixo dos seus pés é meu
Mas se você quisesse a vida um pouco mais clara
Por você, querida, roubo os raios de Zeus

As mil e uma noites que virão são suas
E meu, só um minuto antes do Sol nascer
Mas se você pedisse uma fração da eternidade
Eu me virava, e o tempo era

Seu sorriso é o que eu preciso
Pra abraçar o mundo e muito mais
Sua ausência me condena à dor da saudade

Você me completa, amor
E sabe que meu sonho só é um sonho porque
Você me completa, amor
Meu sonho só é um sonho porque
Você está nele

Seu sorriso é o que preciso
E quanto ao resto, eu juro, tanto faz
Seu sorriso é o que eu preciso
Pra abraçar o mundo e muito mais

Seu sorriso é o que eu preciso
Pra apagar a dor
Da saudade!

O Tempo

A gente se deu tão bem
Que o tempo sentiu inveja
Ele ficou zangado e decidiu
Que era melhor ser mais veloz e passar rápido pra mim
Parece que até jantei
Com toda a família e sei
Que seu avô gosta de discutir
Que sua avó gosta de ouvir você dizer que vai fazer

O tempo engatinhar
Do jeito que eu sempre quis
Se não for devagar
Que ao menos seja eterno assim

Espero o dia que vem
Pra ver se te vejo
E faço o tempo esperar como esperei
A eternidade se passar nos dois segundos sem você
Agora eu já nem sei
Se hoje foi anteontem
Me perdi lembrando o teu olhar
O meu futuro é esperar pelo presente de fazer

O tempo engatinhar
Do jeito que eu sempre quis
Distante é devagar
Perto passa bem depressa assim

Pra mim, pra mim
Laiá, lalaiá

Se o tempo se abrir talvez
Entenda a razão de ser
De não querer sentar pra discutir
De fazer birra toda vez que peço tempo pra me ouvir
A gente se deu tão bem
Que o tempo sentiu inveja
Ele ficou zangado e decidiu
Que era melhor ser mais veloz e passar rápido pra mim

Eu que nunca discuti o amor
Não vejo como me render
Ah, será que o tempo tem tempo pra amar?
Ou só me quer tão só?
E então se tudo passa em branco eu vou pesar
A cor da minha angústia e no olhar
Saber que o tempo vai ter que esperar

E o tempo engatinhar
Do jeito que eu sempre quis
Se não for devagar
Que ao menos seja eterno assim