Metá Metá

Obá Iná

Abram caminho para o rei
Sorriam em vez de se curvar
Ele é justiça, ele é a lei
Que fez pra nos levantar
Pra nos por em pé, nos erguer
E lançar pra orum nosso olhar
Não há justiça se há sofrer
Não há justiça se há temor
E se a gente sempre se curvar

Kawó kabiecilè xangô oba iná

Abram caminho para o rei
Que se anuncia em um trovão
Que bravo, escreve o que errei
Cuspindo fogo pro chão
Labareda pra eu me consertar
Fogo pra me aquecer de perdão
Não há justiça sem ceder
Não há justiça sem amor
E se a gente nunca se entregar

Um comentário sobre “Obá Iná

  • Bia Cassemiro disse:

    Acho que a letra toda nos indica uma outra possível ou utópica forma de poder (sorriam em vez de se curvar, não há justiça sem amor) e essa nova forma de poder viria justamente da energia e autoridade moral do Orixás.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>