Categorias
Lívia Mattos

Sob o céu sobre o chão

O céu
Teto da boca de um planeta
em rotação
Brilha quando chão tem menos luz
menos tensão
ou pra nós dois no São João

O chão
Tapete extenso dos mistérios
do finito
carrega tudo que apavora
o por vir
toda razão sem razão

Eu vou
Me vingar do mundo em seu sorriso
libertação
como se sua boca fosse a lua
nascente no céu
que finda o dia em tentação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *