Desapego

Juvenil Silva

0 comentários

Quando eu me afastar entenda
Não será por ser medroso
Oito ou oitenta, nem me queira ver nervoso

Quando eu me afastar, relaxe
E ache seu olhar perdido
E talvez mais tarde, se me der vontade, eu ligo

Paro, mas eu não desisto
Calo no meu quarto azul
Eu lembro, não me lembro
Qual dos personagens fui

Nos gramados e calçadas
Que dormi com as pessoas
Eu guardo a história mais fina
Relutante ainda

Só não quero mais nas coxas, não
Eu prefiro outra coisa
Não espero que me esperem
Baby, você pode ir
Baby, você pode rir sem mim

Volta logo enquanto há tempo
Vamos nos fingir de morto
Prendo o choro na tua frente
Se eu te ver com outro

Erro, mas eu não assumo
Conto, mas faço resumo
E sumo sem dar pista
Baby, eu sou tão egoísta
Eu sou tão eu

Quando eu me afastar não reze, não
Nem apele pra macumba
Deixe se levar na chuva
Baby, você pode ir
Baby, você pode rir, sem mim

Só não quero mais nas coxas, não
Eu prefiro outra coisa
Não espero que me espere
Baby, você pode ir
Baby, você pode rir, sem mim




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *