Feitiço da Vila

João Petra de Barros

Compositor(a) da letra: Noel Rosa e Vadico

Álbum da letra: 78 RPM

Ano de lançamento: 1934

4 comentários

Quem nasce lá na Vila
Nem sequer vacila
Ao abraçar o samba
Que faz dançar os galhos,
Do arvoredo e faz a lua,
Nascer mais cedo.

Lá, em Vila Isabel,
Quem é bacharel
Não tem medo de bamba.
São Paulo dá café,
Minas dá leite,
E a Vila Isabel dá samba.

A vila tem um feitiço sem farofa
Sem vela e sem vintém
Que nos faz bem
Tendo nome de princesa
Transformou o samba
Num feitiço descente
Que prende a gente

O sol da Vila é triste
Samba não assiste
Porque a gente implora:
“Sol, pelo amor de Deus,
não vem agora
que as morenas
vão logo embora

Eu sei tudo o que faço
sei por onde passo
paixao nao me aniquila
Mas, tenho que dizer,
modéstia à parte,
meus senhores,
Eu sou da Vila!




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 comentários para a letra “Feitiço da Vila

  1. Orleans S. Branco disse:

    Nessa obra de arte o gênio Noel Rosa usa toda poesia para aclamar o seu lugar. Boêmio dificilmente via o dia, na letra ele contempla a noite como maior companheira. O samba antológico marca sua humildade, apesar de ser da classe média trouxe a riqueza das rimas e fundiu definitivamente o asfalto com a favela.

  2. Jorge Luiz disse:

    Obra de arte de Noel essa musica, porém é uma canção preconceituosa, e é fácil achar isso nos versos:
    Lá, em Vila Isabel,
    Quem é bacharel
    Não tem medo de bamba. -> Aqui você já encontra um preconceito religioso e também nesse verso ->A vila tem um feitiço sem farofa
    Sem vela e sem vintém.

  3. Claudia Paiva disse:

    Não tem nada de preconceituoso nessa canção. Pelo contrário, Noel destaca de forma positiva a falta de preconceito dos mais cultos contra os sambistas em Vila Isabel. O “feitiço sem farofa” é só uma forma bem-humorada de dizer que a Vila é encantadora, não terra de feitiçaria.

  4. Eduarda Honório disse:

    Na música de Noel Rosa notamos, evidentemente, relacionar os versos: “São Paulo dá café,
    Minas dá leite,
    E a Vila Isabel dá samba” com a Política Oligarquica do Café-com-Leite na Primeira República brasileira. Pode-se considerar como uma crítica feita aos estados mencionados, ou seja, a Vila Isabel dá algo mais interessante, o Samba!