Odete (co-autor Waldemar de Abreu)

Herivelto Martins

0 comentários

Odete ouve o meu lamento
Lamento de um coração magoado
Atenda o seu pobre seresteiro
Vem de novo pro terreiro
Se juntar a sua gente
Não ouve o seu coração que ele mente

Lá no morro da mangueira
Quando sol vai se escondendo as cabrochas vão saindo, procurando a batucada
E a noite vem chegando e a lua vem surgindo
Há tanta gente que sobe, só você não vem subindo, Odete

Olha, que o primeiro ensaio é no dia vinte e sete!




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *