Bachianas Brasileiras No. 5

Tarde uma nuvem rósea lenta e transparente.
Sobre o espaço, sonhadora e bela!
Surge no infinito a lua docemente,
Enfeitando a tarde, qual meiga donzela
Que se apresta e a linda sonhadoramente,
Em anseios d’alma para ficar bela
Grita ao céu e a terra toda a Natureza!
Cala a passarada aos seus tristes queixumes
E reflete o mar toda a Sua riqueza…
Suave a luz da lua desperta agora
A cruel saudade que ri e chora!
Tarde uma nuvem rósea lenta e transparente
Sobre o espaço, sonhadora e bela!

Hino a Santo Agostinho

Ó Santo Agostinho. Ó Estrela sublime
Envia teus raios de eterno fulgor!
E grava nas almas, nas almas imprime.
A nobre divisa: Ciência e Amor.

Ó Águia celeste, pairando altaneira
De nossa bandeira triunfo sem par!
No amor da ciência, no rude caminho
Ó Santo Agostinho, nos dá triunfar.

Ó Santo Agostinho. Ó Estrela sublime
Envia teus raios de eterno fulgor!
E grava nas almas, nas almas imprime.
A nobre divisa: Ciência e Amor.

E sê mais ainda, por tua virtude.
Da sã juventude fiel protetor.
Traçando nas almas com santa pureza
Em plena beleza a ciência do amor.

Ó Santo Agostinho. Ó Estrela sublime.
Envia teus raios de eterno fulgor!
E grava nas almas, nas almas imprime.
A nobre divisa: Ciência e Amor.