Edu Ribeiro e Cativeiro

Azul

Eu não sei se vem de Deus, do céu ficar azul
Ou virá dos olhos teus
Essa cor que azuleja o dia?
Se acaso anoitecer, do céu perder o azul
Entre o mar e o entardecer
Alga marinha vá na maresia buscar ali
Um cheiro de azul
Essa cor não sai de mim
Bate e finca pé a sangue de rei
Até o Sol nascer amarelinho
Queimando mansinho
Cedinho, cedinho, cedinho
Corre e vai dizer pro meu benzinho
Dizer assim que o amor é azulzinho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>