A saudade mata a gente

Fiz meu rancho na beira do rio 
Meu amor foi comigo morar 
E na rede, nas noites de frio 
Meu bem me abraçava pra me agasalhar

Mas agora, meu Deus, vou-me embora 
Vou-me embora e não sei se vou voltar 
A saudade nas noites de frio 
Em meu peito vazio 
virá se aninhar

oA saudade é dor pungente, morena 
A saudade mata a gente, morena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>