Chico Buarque

Hino da Repressão

Se atiras mendigos
No imundo xadrez
Com teus inimigos
E amigos, talvez
A lei tem motivos
Pra te confinar
Nas grades do teu próprio lar

Se no teu distrito
Tem farta sessão
De afogamento, chicote
Garrote e punção
A lei tem caprichos
O que hoje é banal
Um dia vai dar no jornal

Se manchas as praças
Com teus esquadrões
Sangrando ativistas
Cambistas, turistas, peões
A lei abre os olhos
A lei tem pudor
E espeta o seu próprio inspetor

E se definitivamente a sociedade só te tem desprezo e horror
E mesmo nas galeras és nocivo, és um estorvo, és um tumor
Que Deus te proteja
És preso comum
Na cela faltava esse um!

0 comentário sobre “Hino da Repressão

  • Rayane Alves disse:

    Hino da repressão é uma das obras mais fáceis de se identificar à quem se é endereçada e do que se trata. Notemos esse fato pelo título.
    A cansão foi escrita na época da ditadura militar no Brasil e Chico Buarque deixa bem clara em trechos a realidade dessa época. Tais como: torturas, repressão de quem era contra aquele tipo de regime (o regime militarista, para os leigos), do sede por justiça e vingança para com os ditadores e a todo momento ele exclama que as leis um dia iriam voltar e eles arcariam com as consequências sem regalias nem diferenciação.

    Ótima música para se identificar tais fatos.
    Muito boa mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>