Nada te Faltará

Ana Carolina

4 comentários

Pra onde vamos
As vans, carros e bicicletas?
Certezas avessas
Comércio de guerra
Legado de merda

Mais de um bilhão de chineses
Marchando sem deuses
E outros descalços
Fazendo sapatos
Pra nobres e ratos

Sobe do solo
A nuvem de óleo com cheiro
De enxofre queimado
Fudendo com os ares
E outras barbáries

Quero mudança total
Uma idéia genial
A ciência e o amor
A favor do futuro
Quero o claro no escuro

Peço paz aos filhos de abraão
Quero gandhi na melhor versão

E nada vai me faltar, e nada te faltará
E nada vai me faltar, e nada te faltará

Pra onde seguem os barcos?
Os homens, suas trilhas
Seus filhos e filhas
No pau da miséria?
Um pico na artéria

As mulheres pedintes perdidas
Que já quase loucas
Dividem o frio da noite
Com as drags
As mães e os “carregues”

Meninas sangrando na boca
E no meio das pernas
No meio da noite
Tomando cacete
Sem dente, sem leite

Quero respeito
Os humanos direitos
Fazendo pensar os pilares
De uma nova era
Que não seja quimera

Peço paz aos filhos de abraão
Quero gandhi na melhor versão

E nada vai me faltar, e nada te faltará
E nada vai me faltar, e nada te faltará




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 comentários para a letra “Nada te Faltará

  1. Fernanda disse:

    Bom, fala sobre a divisão social.. sobre a desigualdade – “E outros descalços fazendo sapatos pra nobres e ratos” , fala sobre o mundo, sobre a paz, em linguagens mais exóticas e mais remotas…
    E há uma dúvida clara, ” pra onde vamos?” em quase toda parte da música tem a pergunta ” pra onde.. seguem, vamos, vão…” ? … “Quero respeito os humanos direitos fazendo pensar os pilares de uma nova era que não seja quimera ” = que o respeito, quer dignidade, quer uma nova era, onde o respeito não seja “Quimera” ( quimera no verso foi usado no sentido de ” = ser “não comum”, pois, quimera é um peixe que vive nas profundezas de todos os mares, mas, não são comuns..e no verso foi no sentido de ” querer que o respeito vire algo comum” )
    E com tudo faremos um mundo melhor, onde ; ” nada vai me faltar, e nada te faltará” .

  2. Rafaela P. disse:

    A principal intenção desta música é mostrar primeiramente a desigualdade social e a falta de dignidade de muitos, porém essas ações passam despercebidas diante de uma sociedade hipócrita; Porém nem todo mundo está “cego” para o que ocorre na mesma e para isso existe o eu lírico, que tenta através de uma linguagem que condiz com a realidade faz uma súplica aos poucos que enxergam a situação para tentar uma mudança.
    Então com uma sociedade igualitária todos terão o mesmo direito de modo que não faltará nada pra ninguém.
    É sem dúvida uma música que traz muitas reflexões e que faz a gente parar um pouco e pensar no que está acontecendo bem ao nosso lado.
    E é isso aí! 🙂

  3. Laiane Ricardo disse:

    Esta é uma musica muito protestante, prova disso é que logo na primeira estrofe o eu – lírico começa a falar de uma dúvida existente em toda a sociedade, ao perguntar “pra onde vamos”, existe muitos lugares onde se pode ir, mas afirma ter certezas avessas, ou seja não sabe pra onde vai, pois sabe que não existe segurança em lugar algum, faz criticas ao comércio, querendo chamar atenção para falta de respeito dos políticos ao aumentar o imposto para pessoas carentes. E fala sobre o legado que todos os políticos trazem em todas as épocas, ou seja um legado de merda.
    No segundo capitulo fala sobre pessoas que fazem coisas sem se preocupar, com as outras, poderíamos colocar como exemplo os governadores de nosso país, e os ricos, pessoas da alta nobreza, já nos próximos versos fala sobre a outra face da história, e coloca a pobreza em destaque, do rebaixamento social, “E outros descalços fazendo sapatos pra nobre e ratos”.
    Faz critica na terceira estrofe sobre a poluição do ar, a queima de petróleo, que afeta a natureza e a estraga mais ainda, e de outras coisas ruins.
    Na quarta estrofe, o eu-lírico pede mudança total, ou seja quer um mundo bom, com igualdade social e a favor do futuro de acordo com a idéia de mudança das pessoas. Ao usar a expressão “quero claro no escuro”, quer passar as coisas do lado ruim para o lado bom.
    Ao fazer criticas tem esperança de que tudo vai mudar isso explica o refrão, “e nada vai me falta, e nada te faltará.
    A musica toda é uma critica ao mundo real, fala sobre pessoas vítima de estrupo, de mendigos e mercê da violência, e pede paz, e reivindica seus direitos.

  4. eudes rodrigues disse:

    a musica alem de ser linda, tambem e protestante! E fala sobre as desigualdades do mundo!
    E para fechar a musica com chave de ouro ela coloca um refrao totalmente interpretativo! E NADA VAI ME FALTAR!
    o que lembra a pasagem biblica “o senhor e meu pastor e nada me faltará”