Vamos falar do norte

0 comentários

Almirante

Quando nós saímos do norte foi pra no mundo mostrar

Como canta aqui nesta terra um bando de tangarás

 

Uma madama pra fazer economia

Comprou as perfumaria num tutu que ela encontrou

Saiu pra rua perfumada em todo canto

Aí o perfume fedeu tanto que a madama desmaiou

 

Meu tangará, meu curió, meu terra-terra

E o meu canário da terra que é danado pra cantar

Eu também canto uma semana um mês inteiro

E quando eu canto no terreiro inté a lua quer sambar

 

Eu fui fazer minha compra na feira

E eu vi tanta roubalheira de se encabular

Tava um sujeito de roubar com uma tal febre

Vendendo gato por lebre, ratazana por gambá

 

Na sepultura que eu fiz pra minha famia

Tinha um freguês por dia para se enterrar

Na minha vez quando cheguei ao pé da cova

E apesar de ela ser nova já não tinha mais lugar

 

E lá no norte quando é boa a brincadeira

Lá tem bala e tem madeira, tem tabefe, tem punhá

Mas eu não temo nem cacete e nem garrucha

Levei dez tiro na fuça e depois disso eu fui sambá

 

Dei um emprego ao filho do Zacarias

Só das onze ao meio dia que tinha que trabaiá

Mas o malandro pegar peso não podia

E além disso ainda queria hora e meia pra almoçá


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.