14 Bis

Natural

Penso em você, no seu jeito de falar
Sua maneira de ser e perguntar o que é muito natural

Como é natural em você acontecer
Um desejo de ver a cor da estrada e desaparecer

Vou seguir os passos e tentar saber
Onde em que cidade se escondeu você

Quero, sem pensar, o seu jeito de calar
De ouvir aquele resto de canção que morre pelo ar

Que brinca pelo ar como coisa natural
Em seu corpo tão sereno acende a velha mania de cantar

Voz do coração deixou, oh, oh
E pergunta sempre onde andará você

Em meu coração há razão, oh, oh
Não esqueço você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>