Faça o download do App do Análise de Letras para Android! É grátis!


Últimas Análises

A desigualdade política e social, refere-se todos vivem a deriva num país onde há corrupção estampada.
Aonde Deus te colocou,tem propósitos e metas estabelecidas a serem alcançadas. Você não é fruto do acaso.Portanto enquanto há vida, há solução,esperança. Viva simples e descomplicadamente como as crianças, sendo feliz e fazendo outros felizes. Porque enquanto há vida,há sonhos.
Ao nos depararmos com problemas aparentemente sem solução, sem direção no caminho, sentindo-se só, sem amor, com sonhos roubados, com apenas uma ideia: o desejo de desistir. Se o sol ainda brilha, se ainda há vida, há esperança. inspirados em uma criança que não desiste fácil e acredita no Impossível. Pois, Não terminamos nossa missão.
Essa música é uma exaltação á família. Essa exaltação e valorização está explicita pela repetição que se dá e faz parte do refrão da música. Trata-se de alguém que vive em uma família grande e muito unida. Protagonista do discurso destaca alguns sacrifícios que fazemos para dar assistência a família, porém isso não o faz gostar menos de viver em família. quanto à parte da filha que quer fugir de casa vejo uma família tradicional onde a menina mulher resolve ser independente e morar sozinha, porém os pais não gostam muito da ideia e por isso corta a mesada para que a filha pense melhor, mas no final das contas acaba perdoando e ajudando. isso fica implícito no refrão seguinte que é o coro base da música e uma exaltação à família. Quanto aos bichos descritos o autor passa a mensagem que trata de uma família tradicional do campo, onde são pessoas que convive harmoniosamente com a natureza representada pelos animais. Depois retrata uma família da zona urbana, lembrando do problema da violência que assusta a família e que acaba deixando principalmente o pai, que é o chefe da casa atento. Colocar cadeado no portão refere-se a vigilância que se faz pra proteger o lar sempre que possível.
nessa musica enquanto houver sol quais trechos tem metáfora
Alunos do otaviano pedro de toledo 1 c
hmm nice work
Aponte pra mim onde fui arrogante? Todos nós em todos momentos estamos apreendendo e ensinando.... gostei muito do que apreendi neste tópico, compilei algumas idéias e apresentei uma nova versão dentro do razoável... (com análise inteiramente conotativa que ainda não tinha sido apresentada) Muita gente já conhece todas as propriedades da pólvora, e muitos dos seus usos, outros ainda estão iniciando no seu aprendizado....e nisto contribui... aos novatos e não para pessoas "experientes" como você que já sabe o que eu tenho pra dizer e não tem mais nada a apreender sobre a pólvora. Talvez achaste arrogante o termo "tratado", foi apenas uma ironia, devido a texto ter ficado grande... Em momento algum tirei a liberdade para cada um colocar a sua visão, ao contrário a incentivei afirmando que o sentido conotativo tem vários significados.... Por exemplo entender que o espelho a que a música se refere é o próprio reflexo do caixão que outros amigos citaram... Sinto muito que entendeu errado minha opinião, até pra isto meu preâmbulo serve, regras de hermenêutica para ser mais tolerante com as pessoas e suas opiniões. Um abraço....
Leonardo, deixa de arrogância de querer dar aula pras pessoas. O site é livre para cada um colocar a sua visão do que acha que os autores estavam querendo dizer quando fizeram suas obras. Este é o grande barato da coisa. Fizeste todo um preâmbulo recheado de regras linguísticas, textuais, etc, etc... Pra quê??.. Pra dizer o que todo mundo já sabe: quando um artista lança uma obra ela deixa de ser privada e passa a ser pública. Descobriste a pólvora! Pior, quando resolveu colocar a prória visão, escreveu o que praticamente todo mundo já havia descrito nas interpretações anteriores.
Tratado sobre Interpretação da letra "Flores" Inicialmente consideremos que qualquer texto possa ser interpretado em linguagem denotativa (literalmente), conotativa(não-literal) e mista. Para as artes tem mais alcance utilizar a conotativa, pois nos trará maiores benefícios e aplicabilidade. Pois eu não me interessaria por alguém que destruiu fisicamente seu próprio canteiro considerando que isto não me afetaria muito, mas a interpretação literal não estaria errada, simplesmente seria a mais insignificante. A mista como muitos estão usando para esta música também não está errada, mas se não há referência a fatos reais, a uma homenagem a alguém, a uma biografia, porque usá-la? porque considerar que o início da música(relato do passado) é conotativo, e a descrição do presente (o enterro) é denotativa? Mas continuemos com a introdução: outros erros frequentes de interpretação: 1) Erro: querer saber a opnião dos autores: uma vez escrita a letra da música e lançada ao público, não interessa a opnião de seus autores, a letra tem vida própria dentro dos significados possíveis, se os autores expressam que queriam dizer tal coisa, isto só é válido se eles conseguiram dizer, se usaram corretamente as palavras e seus significados. A informação dos autores seria útil apenas em relação a nomes próprios (caso exista, que não é o que ocorre nesta música), no sentido histórico a saber a quem se referia, mas mesmo assim, uma vez lançada a homenagem ou referência a alguém pode também ser usada para os de mesmo nome. 2) Outro erro: achar que a música em sua interpretação conotativa possa significar qualquer coisa: na interpretação conotativa, com certeza as palavras alcançam vários significados, muito mais que os significados literais, mas estes significados são restringidos pelo uso geral que se faz destas figuras de linguagem, e também da análise do texto em conjunto para se verificar os significados possíveis dentro da estética. E claro pode também se criar um significado novo e para tanto deve estar dentro de uma lógica (metafórica, metonímica, hiperbólolica, etc...) de criação e referência lógica com seu significado literal. Ainda durante o tempo os significado das palavras podem mudar, e o que vale é o significado atual, podendo ser apenas informado pelo significado histórico (mas aqui precisaria de muitas décadas e séculos, que não é o caso) Assim, fiquemos com a interpretação completamente conotativa. E passemos às frases: "Olhei até ficar cansado De ver os meus olhos no espelho" Fez uma análise introspectiva e não gostou do que viu (Cansou de ser egoísta, de só ver a si próprio) "Chorei por ter despedaçado As flores que estão no canteiro" ficou triste por ter magoado as pessoas que o cercavam, os seus amigos e conhecidos, que estão no seu círculo íntimo de convivência, o seu canteiro. Os punhos e os pulsos cortados E o resto do meu corpo inteiro Não-literal: considerando tudo que aconteceu deseja socar o espelho (punhos cortados) e se matar (pulsos cortados) E o resto do meu corpo inteiro ( e se sente todo cortado por dentro) Observe que não há verbo, do relato do passado, ele passa para o presente apenas com descrições, e não afirma que fez algo. Há flores cobrindo o telhado E embaixo do meu travesseiro Há flores por todos os lados Há flores em tudo que eu vejo Descrição do próprio enterro é assim que ele se sente, novamente apenas um sentimento, enterro não-literal. A dor vai curar essas lástimas O soro tem gosto de lágrimas As flores têm cheiro de morte A dor vai fechar esses cortes Após a morte fictícia, agora ele analisa a possibilidade de cura, e considera que o remédio é amargo (soro tem gosto de lágrimas) e quer o renascimento: a dor será nescessária para fechar os cortes Flores Flores As flores de plástico não morrem Ele morreu porque era verdadeiro (ainda que egoísta era verdadeiro = sofreu e querendo mudar renasceu) Já os falsos não morrem, não sentem, não se importam. Assim ele diz que apesar de tudo que ele fez nunca foi falso.
Não importa muito, o que o compositor dessa letra quis dizer, o fato é que tanto às doenças da "carne" como as da "alma" citadas matam, portanto, cuidado, pois o pulso pode parar.
sem dúvida alguma, esta música refere-se aos politicos brasileiros, que na sua grande maioria são corruptos, ou corruptores e os são porque sabem da fragilidade de nossas leis, bem como de nossa pouca memória, que logo cai no esquecimento. Pessoalmente não acredito que o sol nasça quadrado para os "grandes políticos", pois no final a corda só arrebenta do lado mais fraco, visto que os grandes sempre acham uma vávula de escapamento.
Ainda não me convenci sobre o significado do refrão;O acaso vai me proteger enquanto eu andar distraído.Penso que se você estiver distraído, desligado das coisas verdadeiramente importantes, como já foi elencada na própria letra, só mesmo o acaso, a sorte, um milagre, poderá te proteger, mas a letra não coloca isso na condicional, ela afirma, o que me deixa confusa.A não ser que o acaso seja Deus, que a todos protege, mas obviamente que isso também não pode ser uma afirmativa, do contrário não aconteceria nada de ruim para quem ficasse distraído, já que a letra afirma, que o acaso vai proteger, não é uma pergunta, será que o acaso vai me proteger se eu continuar distraída ?, no mundo da lua, desligada das coisas significativas, ou agindo demais, trabalhando muito por exemplo, ou de menos, não dando amor aos nossos entes . Não entendi ainda, pois não concordo com uma afirmativa, mas sim com uma interrogação.
mensagem do diabo?? kkk acho que vc confundiu cm a musica deus e o diabo dos mesmos titãs!
Uma lamentação por ter causado mal a uma ou mais vidas e agora reconhece como consumador e por isso sofre, mas assume que vai melhorar após este ritual sofredor. Ainda finaliza afirmando que a vida que não passa por este sentimento não é vida, mas apenas uma imagem falsa como uma miragem de um oásis ao sedento."...AS FLORES DE PLASTICO NÃO MORREM".