Super-Heróis

4 comentários

Raul Seixas

Hoje é segunda-feira e decretamos feriado
Chamei Dom Paulo Coelho e saímos lado e lado
Lá na esquina da Augusta quando cruza com
a Ouvidor
Não é que eu vi o Sílvio Santos(2x)
Sorrindo aquele riso franco e puro para um filme
de terror
Como é que eu posso ler se eu não consigo
concentrar minha atenção
Se o que me preocupa no banheiro, ou no trabalho
é a seleção
(Vê se tem Kung Fu aí em outra estação)

Já na outra esquina
Dei três vivas ao rei Faiçal
O povo confundiu pensando que era o carnaval
Então eu disse a Dom Paulete: eu conheço aquele ali
Não é possível, dom Raulzito(2x)
Quem que no Brasil não reconhece o grande
trunfo do xadrez
Saí pela tangente disfarçando uma possível
estupidez
Corri para um cantinho pra dali sacar o lance de
mansinho
(adivinha quem era? Mequinho!)

Lá em Nova York todo mundo é feliz
Vi o Marlon dançando o último tango de Paris
Pedi cerveja e convenci o garçom do botequim
A não pagar o tal do casco
Ele aceitou pois sou um astro!
E duma cobertura no Leblon
Pelé acena dando aquela
Enquanto o povo embaixo grita: É o Rei,
Pelé despenca da janela
É quando, a 120, o Fittipaldi passa e quem ele
atropela
(Meu Deus! Mequinho no chão, mais três velas)

Vamos dar viva aos grandes heróis
Vamos em frente, bravos cowboys
Avante! Avante! Super-Heróis
Ai-oh Silver!
Shazan


4 comments on “Super-Heróis

  1. Rafael disse:

    A música fala de uma das muitas formas do governo manter a população apática :a utilização de figuras populares para politicagem,ou seja,a mesma coisa que os imperadores romanos faziam quando o país passava por dificuldades:montar um circo para manter a população entretida e afastada da política.ele previu o Brasil do futuro:”Como é que eu posso ler se eu não consigo
    concentrar minha atenção
    Se o que me preocupa no banheiro, ou no trabalho
    é a seleção”
    O futebol no Brasil se tornou um meio tão eficiente de controle da população,que vários países estão tentando importar o espírito brasileiro do futebol para tentar fazer do futebol um esporte nacional.

  2. Fernando R. disse:

    Ele canta Kelé, em lugar de Pelé. Será que rei criou algum caso com o uso do seu nome?
    Agora, aquela do Fitipaldi atropelar o Mequinho (enxadrista brasileiro famoso nos anos 70), aí tem alguma simbologia, de um ícone do esporte sobrepujar um ícone do raciocíno. Será?

  3. Gerson Lopes de Sousa disse:

    pra mim umas das mais inteligentes canções do Raulzito

    meu comentário é basicamente oq o Rafael acima escreveu
    Super Herois Fitipaldi, Rei “kELÉ” NA verdade é o Pelé, Seleção….e simbolicamente o Silvio Santos. Raul era um gênio sem mais

  4. Aroldo Gasparini disse:

    Eu concordo com os outros comentários, só quero completar. A música foi lançada em 1974, mesmo ano que Fitipaldi foi bicampeão mundial na F1 e também mesmo ano que Mequinho foi eliminado do Torneio de Candidatos que era uma eliminatória para o torneio mundial de xadrez. Pode ser isso que Raul quis dizer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *