Carimbador Maluco

29 comentários

Raul Seixas

5… 4… 3… 2…
– Parem! Esperem aí.
Onde é que vocês pensam que vão?

Plunct Plact Zum
Não vai a lugar nenhum!!
Plunct Plact Zum
Não vai a lugar nenhum!!
Tem que ser selado, registrado, carimbado
Avaliado, rotulado se quiser voar!
Se quiser voar….
Pra Lua: a taxa é alta,
Pro Sol: identidade
Mas já pro seu foguete viajar pelo universo
É preciso meu carimbo dando o sim,
Sim, sim, sim.
O seu Plunct Plact Zum
Não vai a lugar nenhum!
Plunct Plact Zum
Não vai a lugar nenhum!
Tem que ser selado, registrado, carimbado
Avaliado, rotulado se quiser voar!
Se quiser voar….
Pra Lua: a taxa é alta,
Pro Sol: identidade
Mas já pro seu foguete viajar pelo universo
É preciso meu carimbo dando o sim,
Sim, sim, sim.
Plunct Plact Zum
Não vai a lugar nenhum!
Plunct Plact Zum
Não vai a lugar nenhum!
Mas ora, vejam só, já estou gostando de vocês
Aventura como essa eu nunca experimentei!
O que eu queria mesmo era ir com vocês
Mas já que eu não posso:
Boa viagem, até outra vez.
Agora…
O Plunct Plact Zum
Pode partir sem problema algum
Plunct Plact Zum
Pode partir sem problema algum
(Boa viagem, meninos.
Boa viagem).


29 comments on “Carimbador Maluco

  1. Thiago disse:

    Para mim essa música faz referencia a Ditatura militar, é engraçado, se eu realmente estiver certo, o Raul Seixas faz uma musica para um programa Infantil “metendo o pau” no Regime Militar, e ainda vira um sucesso ! Esse é Raulzito baby !

  2. Rafael Andrade disse:

    Raul já disse várias vezes que as palavras Plunct Plact Zum, fazem uma alusão ao segredo do universo.

  3. Jéssika disse:

    ” Essa música fez parte do musical infantil “Pluct Plact Zumm” da Rede Globo e motivo de muitas críticas a Raul que teria se vendido ao sistema com uma música imbecil. Os mais inteligentes percebem a pesada crítica à burocracia do governo que teima em selar, registrar, carimbar, avaliar, rotular, adiando e atrapalhando todo tipo de atividade. É também uma referência ao texto do anarquista Proudon que diz ‘Ser governado é ser a cada operação… notado, registrado, recenseado, tarifado, selado, medido, cotado, avaliado, patenteado, autrizado, rotulado’. “

  4. Caio Duayer disse:

    Nao sei como ninguem notou isso, mas tem uma obvia apologia a maconha la no final:
    “Aventura Como essa eu nunca experimentei” – Pra decolar o Fuguete , e obvio! abc

  5. Klinsmann_TA disse:

    Essa música é ótima! Cheia de críticas.
    Dá pra perceber também na parte que ele fala:

    “Pra Lua: a taxa é alta,
    Pro Sol: identidade”

    Nessa parte ele fala das altas taxas de impostos que haviam na época e que a ficha de todos era verificada antes, para ver se não estavam tentando fugir ou coisa parecida.

    Nessa parte: “O que eu queria mesmo era ir com vocês”

    Ele fala das famílias que eram separadas durante a ditadura militar, como o q aconteceu naquele filme “O dia em que meus pais saíram de casa”

    Ele realmente foi um excelente crítico!

  6. Eduardo Mufarrej disse:

    Alusão à Censura Federal do Governo Militar… pra fazer poesia (e publicar) tinha que passar pelo crivo (autorização, “carimbo”) do governo do Brasil à época… “foguete” (imaginação); “não vai a lugar nenhum” (censura usando expressão típica de militar); “avaliado, rotulado” (crítica social ao conservadorismo da ditadura, usando o estilo de Proudhon, como acima observado); “mas ora vejam só já estou gostando de vocês” (ironia perante os censores que, ao censurar, de alguma forma instigavam a imaginação dos artistas e escritores, causando efeito oposto, opressão-criação); “aventura como essa eu nunca experimentei” (poesia e efeito das drogas); “pode partir sem problema algum” (militar autorizando a “passagem”, no caso, a publicação).

  7. jackson disse:

    ela e mais profunda que a interpretação da ditaduta militar(que e uma das interpretações)mais como raul seixas na sua inteligencia colocou ouro sentido que tem haver com a cabala ,quando se esta praticando a mesma e como se tivesse subindo de nives com um guardião em cada nivel precisa de uma “reliquia” para passar para outro nivel
    ele nesta interpretação seria um guardião de um nivel e no começo impede a passagem para um nivel superior “universo” e depois de ele “gostar” dos passageiros aprovar para passar de nivel!

  8. Marco Antônio disse:

    Essa música estourou a censura e não tem nada de inocente. Essa música defende claramente o anarquismo que seria um sociedade sem estado livre de governantes ou políticos. É a sociedade ideal. Viva Raul Seixas!!

  9. Marcelo disse:

    Plunct Plact Zum… lembra uma onomatopéia… é como se fosse o som do carimbo da sensura nos papés da letra da musica… Plunct (Carimbo tocando o papel) Plact (Carimbo saindo do papel) Zum (Liberação da letra e entrega do papel)

  10. Felipe disse:

    Anarquismo puro

  11. Bruno disse:

    Pra lua a taxa é alta, pro sol a identidade, mas pra viajar pelo universo é preciso meu carimbo…

    Entendo que uma viagem ao exterior, lua, altas taxas e para o um lugar em que a volta não é garantida (muito pelo contrário), o sol basta se identificar (pra dar baixa). Mas pra viajar pelo universo – liberdade de pensamento – é preciso o meu carimbo, a minha anuência.

  12. Felipe disse:

    Raul Seixas se baseia nas idéias de Aleister Crowley e recita uma passagem do “Livro da Lei” nesta musica (“Tem que ser selado, registrado…”)

    Raul traz esta idéia de crowley justamente em algo que Chaplin e John Lennon ja criticavam: as fronteiras e as burocracias para viajarmos para outros paises. Diziam que desde que o homem se achou dono do mundo começaram uma afronta a nossa liberdade de ir e vir, nosso direito de viajar pelo planeta que é nosso, de todos nós, e não de uns ou outros que se acham no direito de impedir nossa passagem, de dizer quando e para onde podemos ir.

    E ao contrario do que mundos falaram não é uma critica a ditarura militar, é uma critica a censura que existe até os dias de hoje! Se acham que não, tentem vocês tirar visto pra outros paises, ou tirem seus passaportes para ver se não serão “Selados registrados carimbados e rotulados” para voar.

  13. ariany disse:

    acho q essa musica fala q vc para fazer uma viagem tem q ter o carimbo do ESTADO tirar passaporte. raul fez essa musica acho q foi para o balao magico. desculpemem e que so tenho 14 anos e nao vivi nessa epoca!eu imortalizo o raul seixas!o raulseixismo nunca vai morrer!

  14. Victor Medeiros disse:

    Acho que há excelente interpretação sim:

    excesso de droga, mente dormente e pronto, letra fresquinha.

    Não dá pra pensar em outra coisa, mas a interpretação é livre. Bom pra nós, que exercemos a esperteza e a criatividade viajando nessas músicas.

  15. Carlos Eduardo disse:

    realmente pode ter alguma apologia a ditadura mas, essa musica tambem pode expressar uma filosofia de vida:quando vc muito quer uma coisa em sua vida o q nao faltam e dificuldades para impedir q aquilo aconteça(pode ser o carimbo) mas todos sabemos que quando se quer e realmente corre atras daquilo que queremos perdemos varias batalhas ate finalmente conseguirmos! isso caracteriza justamente a insistencia dos tripulantes da nave ao insistirem! isistem tanto que da certo e como acontece na vid de todo mundo vc tenta!tenta e quando menos espera da certo! essa e a mensagem que a musica quer passar insista naquilo que vc quer e nao desista! resista as dificuldades que vc vai conseguir!

  16. Danifol disse:

    Concordo que é uma crítica à censura.

    Mas acho que podem existir diversos níveis de compreensão: tb vejo como uma música que fala de como os adultos muitas vezes criam barreiras para os sonhos/criatividade das crianças, quando no fundo elas estão frustradas com suas vidas burocráticas e sem aventuras…

  17. Johnatan disse:

    Jéssica, concordo contigo. Raul já dizia: Que pra passar a noite na colcheira, tem que ter o mesmo cheiro do cavalo pra não incomodar.
    Seria muito difícil um cara tão inteligente como ele se vender assim sem ter algo em troca! E conseguiu, colocou suas idéias nas cabeças de milhões de crianças (eu por exemplo).

  18. Mauro disse:

    No primeiro verso,Raul esta dizendo que pra ”voar”,ou seja,ganhar ”liberdade”,é necessario preencher certos requisitos: Tem que ser ”selado”(selo/marca),”registrado”(tem que ser alguem),”avaliado”(deve ter algum valor),”carimbado”(neste caso,é o visto de aprovaçao),”rotulado”(se enquadrar dentro de alguma idéia pré-concebida/padrão).

    ”Pra Lua a taxa é alta,pro Sol,identidade”:
    A Lua é o símbolo da noite. Das coisas sombrias e ocultas.
    Mas o preço que se paga,pelo conhecimento, sempre alto.
    O Sol é a divindade máxima. Representa a iluminação. Pra se alcalça-la,é necessario abrir mão de quem você pensa que é.

    ”Mas para seu foguete viajar pelo universo..””
    O Raul faz o papel do Carimbador Maluco. O Senhor do Mundo.
    É ele quem decide quem pode e quem não pode transitar entre as fronteiras. Seja na Terra ou não. Um exemplo é o programa espacial. Ele é dominado pelo EUA.,e só eles tem o aval do Senhor do Mundo para tal.

    ”Mas olham vejam só,já estou gostando de vocês..”
    O ser que Raul interpreta,está dizendo que se afeiçoou a humanidade. E que aventura como a nossa,ele jamais terá,ou seja:
    Nós temos nesta Terra,a chance de progredirmos espiritualmente,mas é preciso estar apto para se elevar.
    Caso contrario,ficaremos sob o jugo do sistema criado e imposto pelos Senhores desse Mundo.
    Abraços

  19. Joao Fabio disse:

    Nada disso Plunct, plact, zum, eram nomes de caças soviéticos que faziam manobras militares (treinamentos) na costa brasileira e tiveram que se explicar à FAB.

  20. Kaio disse:

    Numa entrevista concedida á Pedro Bial, ele explica que se inverter “plut plat zum” de certa forma, chega-se ao segredo do universo, “uma coisa antiga de Abramelin.” – diz Raul.
    Abramelin foi um antigo mago egípcio, se quiserem procurem mais sobre a história desse mago.

  21. Alejor disse:

    Esqueçam a ditadura. A Escola socialista no Brasil ensinou todo mundo a interpretar as musicas como se fossem falando da ditadura.
    Essa musica tem temática Anarquista. Fala da prisão que o Estado/governo cria, limitando as liberdades individuais. Você tem que ter registro no estado, permissão (visto) para viajar, etc e tal.
    Raul se inspirou neste texto de Proudhon:
    Ser governado é:

    Ser guardado à vista , inspecionado , espionado , dirigido , legislado , regulamentado , porqueado , endoutrinado, predicado , controlado , calculado , apreciado , censurado , comandado , por seres que não têm nem o título , nem a ciência , nem a virtude (…). Ser governado é ser , a cada operação, a cada transação, a cada movimento , notado , registrado , recenseado , tarifado , selado , medido, cotado , avaliado , patenteado , licenceado, autorizado, rotulado , admoestado, impedido, reformado, reenviado, corrigido. É, sob o pretexto da utilidade pública e em nome do interesse geral, ser submetido à contribuação, utilizado, resgatado, explorado . monopolizado, extorquido, prssionado , mistificado, roubado, e depois , à menor resistência, à primeira palavra de queixa, reprimido, multado , vilipendiado , vexado, acossado, maltratado, espancado , desarmado , garroteado , aprisionado , fuzilado , metralhado , julgado , condenado , deportado , sacrificado , vendido , traído e , no máximo grau , jogado , ridicularizado , ultrajado , desonrado. Eis o governo eis a justiça , eis a sua moral!

  22. Momonosuke disse:

    Eu interpretei que a crítica é para a natureza invejosa da humanidade, não para um governo ou sistema. “Se quiser voar”, remete à liberdade, ser bom, se destacar e ter muito sucesso em alguma coisa. Para isso, você terá que passar pelo julgamento das pessoas medianas e as fracassadas (a grande maioria das pessoas). Elas investigarão sua vida, vão te julgar, avaliar e rotular. Se você ceder ao mundo o que ele quer (ou seja, você deve ser previsível, cheio de defeitos, controlável, simples de entender), ele passará, aí sim, ora vejam, a gostar de você. Permitirão que você tenha sucesso, riqueza e prazeres, algo que as pessoas comuns sonham, mas jamais terão. “Pode partir sem problema algum!”

  23. Diego disse:

    Nossa, minha análise é completamente diferente de todas aqui. Li todas e achei interessante. Mas só vem uma coisa na cabeça quando ouço a música: Um grupo de pessoas que anseiam viajar pelo universo mas derrepente aparece um “carimbador maluco”, uma pessoa muito mais velha e experiente que o grupo, impedindo-os de viajar, o carimbador parece exijir os mesmos direitos do grupo. Mas ele sabe que não pode ir junto. Lua e Sol também tem um significado. A lua reflete a luz do Sol. Pesquisem. O que acham?

  24. Gabriel disse:

    Essa letra é altamente anarquista e ridiculariza toda a burocracia que implica em ser governado. Com certeza inspirado no texto de Proudhon “ser governado é…”

    • Gabriel disse:

      “Plunct plact zum” é o barulho do carimbo.

      “Pra lua a taxa é cara,
      Pro sol, identidade”
      são as implicações de se locomover pelo globo (passaportes, taxas, vistos, inspeções)

      “Tem que ser selado, registrado, carimbado, avaliado, rotulado se quiser voar”
      Ou seja, tem que estar tudo de acordo com as imposições do governo se tu quiser fazer qualquer coisa. Vc não tem liberdade alguma de decidir e fazer por conta própria, vc tem sempre que pedir a permissão ou dar satisfação ao estado

    • Gabriel disse:

      Lembrando que Raul era um anarquista individualista assumido

  25. Daniel Braga disse:

    Para mim ele se refere ao DOUMO QUE COBRE A TERRA.
    Os seres estelares que foram designados para analisar e estudar nossa especie, escolhem as pessoas certas para saber toda a verdade sobre o universo e nossa existência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *