Minha Alma (A Paz Que Eu Nao Quero)

52 comentários

Rappa

(Refrao 2x)
a minha alma está armada
e apontada para a cara
do sossego (sego)
pois paz sem voz
não é paz é medo (medo)

às vezes eu falo com a vida
às vezes é ela quem diz
qual a paz que eu não quero
conservar
para tentar ser feliz

as grades do condomínio
são para trazer proteção
mas também trazem a dúvida
se não é você que está nessa prisão
me abrace e me dê um beijo
faça um filho comigo
mas não me deixe sentar
na poltrona no dia de domingo
procurando novas drogas
de aluguel nesse vídeo
coagido pela paz
que eu não quero
seguir admitindo


52 comments on “Minha Alma (A Paz Que Eu Nao Quero)

  1. Silka disse:

    Essah musica eh mto chave véi!!!
    Preciso da porra dessa análise!!!
    Alguém me ajudah!!!???

  2. Silka disse:

    Qiusedujhasd

  3. Ly disse:

    E claro para mim pelo menos que eh sobre a falsa paz, a paz que ele nao quer e a paz que acompnha as pessoas que preferem ignorar a realidade e assistir as coisas por de tras de grades de janelas, janelas de carros blindados e outros requisitos para a proteção hj em dia.
    E a paz sem voz, tipica de quem nao quer se envolver, nao quer tomar partido, numa atitude blaze. Tipica do homem urbano que esta anestesiado de tanto ser bombardeado por noticias ruins todos os dias.
    Ele usa figuras faceis, como a arma que esta apontada para a cara do sossego… a arma significa a violencia urbana, ele seria como um soldado, nem a serviço da lei e nem do trafico ou da violencia… um soldado a serviço da verdade, nua e crua.
    As grades do condominio, que são projetadas para proteger quem esta dentro trazem a duvida, pq vc fica preso e inerte enquanto as coisas acontecem indiferentes a sua indiferença.
    E fala da responsa de se botar um filho no mundo com essa loucura… deixar que o mundo, as mas companhias o eduquem enquanto vc esta ligado na programação da tv aberta… que e uma droga!

  4. Rafael disse:

    “a minha alma está armada
    e apontada para a cara
    do sossego (sego)
    pois paz sem voz
    não é paz é medo (medo)”

    Trecho acima ele indica que ele reclama se tiver que reclamar porque se você não reclamar não quer dizer que você quer a paz, e sim tem medo de brigar pelos seus direitos.

    “às vezes eu falo com a vida
    às vezes é ela quem diz
    qual a paz que eu não quero
    conservar
    para tentar ser feliz”

    Ele pensa o que ele tem que brigar pra mudar pra poder ser feliz

    “as grades do condomínio
    são para trazer proteção
    mas também trazem a dúvida
    se não é você que está nessa prisão”

    Ele diz que você está se protegendo do perigo ou o perigo está te prendendo

    “me abrace e me dê um beijo
    faça um filho comigo
    mas não me deixe sentar
    na poltrona no dia de domingo
    procurando novas drogas
    de aluguel nesse vídeo
    coagido pela paz
    que eu não quero
    seguir admitindo”

    nesse trecho ele afirma que não quer estar em casa assistindo uma televisão que passa informações coagidas para que você siga um mundo que não quer.

    Att.
    Rafael Soares
    RafaelSoarescool@gmail.com

    “O único lugar que o sucesso vem antes do trabalho e no dicionário”.
    Albert Eisntein.

  5. Angel disse:

    Não acho q ele trate especificamente da responsabilidade de se fazer um filho, acho q ele fala pra sacudi-lo, pra trazer ele pra realidade, pra fazer alguma coisa, qualquer coisa que não o faça ficar diante da péssima programação de domingo, que bestifica as pessoas e as deixam tapadas e ignorantes, iludidas por uma falsa paz e acomodados.
    Filho é bom, mas na hora certa, geralmente a gnt evita, mas ele prefere fazer um filho que ficar paralizado numa poltrono se enquadrando nesse molde pré-fixados.

  6. Jonas disse:

    “a minha alma está armada
    e apontada para a cara
    do sossego (sego)
    pois paz sem voz
    não é paz é medo (medo)”

    Como a letra em si já foi analisada, gostaria de ressaltar o eco na parte do “sossego” e “medo”, revelando-nos o paradoxo existente, ou seja, afirmando que não podem coexistirem sossego e medo.

  7. Daniel disse:

    “me abrace e me dê um beijo
    faça um filho comigo
    mas não me deixe sentar
    na poltrona no dia de domingo”

    Eu acho que nessa parte ele quis falar sobre a classe mais baixa do Brasil ou talvez do mundo mesmo, onde é comum se fazer filho pela falta de fazer outra coisa.

  8. Joel neto disse:

    O Titulo da musica e a primeira estrofe ja reflete o sentido inteiro da musica. Diz, da caracteristica do ser humano, em buscar a paz e não fazer a paz, a paz vem de cada um, do esforço individual. De nosso medo de dar cara à tapa, preferimos ficar recolhidos, em nosso sossego, do que ir à frente e fazer história. Essa e paz que vc quer? Não, não é a paz que eu quero! Você acha que devemos nos entregar a violência e se fazer preso em sua propria casa, e deixar o bandido nas ruas? Ou prefere ficar em casa sossegado no domingo em quanto o mundo corre? vc prefere ficar vendo TV (video coagido)? A musica busca uma tomada de consciência por parte de todos nós, em buscar meios de paz universal

  9. Igor Cruz disse:

    Eu entendo que essa música reflete a realidade em que se encontra a sociedade brasileira.Realidade esta que faz com que aceitemos e acustumemos com situações absurdas, como a violência, drogas e uso de armas, dentre outras atrocidades.
    A música faz que que reflitamos qual o verdadeiro significado da paz, ou seja, paz se limita ao que vpcê enxerga no seu mundo isolado ( grades no condomínio) ou paz verdadeira é somente aquela que se alcaça com o bem estar de todos.
    O autor da música, Rappaz, faz uma crítica fortíssima aos programas fúteis que passam na televisão, especialmente no domingo que é um dia em que a audiência tende a ser bem maior.

  10. Isabella disse:

    Eu entendi que nessa musica o autor Happpa, faz críticas aos problemas que sofre hoje a sociedade brasileira . Tanta violência, grande tráfico e consumo de drogas, e pessoas deixam isso passar como se não tivesse vivendo aquela situação,preferem ficar em casa dia de domingo assistindo TV. Essa música para mundos e que deveria significar para todos uma coincientização do que vivemos hoje com tanto problemas, destruição, etc.

  11. Loira disse:

    “A minha alma tá armada e apontada para cara do sossego/ Pois paz sem voz não é paz é medo”. Insegurança, acomodação, fragilidade, medo da solidão, da rejeição, de colocar ”a cara a tapa”. É este o sentido que os primeiros versos passam. E, para reforçar essa ideia, segue o próximo trecho: “Às vezes eu falo com a vida, às vezes é ela quem diz/ Qual a paz que eu não quero conservar para tentar ser feliz?”. A paz almejada está estritamente relacionada com o medo do Eu Lírico. É muito mais fácil alcançá-la sem voz, e aceitar a vida como ela é, sem questioná-la, sem quebrar os paradigmas impostos pela sociedade, pela família ou por outros grupos sociais.
    E daí segue o trecho: “As grades do condomínio são para trazer proteção/ Mas também trazem a dúvida se não é você que está nessa prisão”, quando o eu lírico já começa a questionar e ter dúvidas em relação a sua postura “submissa”. Ele começa a buscar um sentido para viver, e descobre-se sozinho, o que talvez é o mal de muitas, e muitas pessoas, como sugere os versos “Me abrace e me dê um beijo/ Faça um filho comigo/ Mas não me deixe sentar na poltrona no dia de domingo”.
    Por fim, os versos finais “Procurando novas drogas de aluguel nesse vídeo coagido/ É pela paz que eu não quero seguir admitindo”, revela que sua “paz” é camuflada, é seguida de dúvidas, de medos e de questionamentos que a vida impõe.
    Realmente, é “a paz que eu não quero”.

  12. armando disse:

    Na verdade a musica fala de sermos prisioneiros de uma paz imposta, falsa e submetedora da nossa açao social, onde, pelo fato de sermos pessoas honestas e cumpridoras de nossas obrigaçoes sociais, somos obrigados a nos tornarmos réfens dos grupos sociais que nao se submetem aos ditames sociais e violentamente pertubam a paz., ao perceber isto o autor propoem uma atitude de mudança desta realidade, nao com os padroes sociais, insuficientes para implementar tal mudança, mas através de sentimentos nobres, explicitamente o amor, donde deduz-se que nao existe amor em nossa sociedade.

  13. viviane disse:

    Na verdade a musica fala de sermos prisioneiros de uma paz imposta, falsa e submetedora da nossa açao social, onde, pelo fato de sermos pessoas honestas e cumpridoras de nossas obrigaçoes sociais, somos obrigados a nos tornarmos réfens dos grupos sociais que nao se submetem aos ditames sociais e violentamente pertubam a paz., ao perceber isto o autor propoem uma atitude de mudança desta realidade, nao com os padroes sociais, insuficientes para implementar tal mudança, mas através de sentimentos nobres, explicitamente o amor, donde deduz-se que nao existe amor em nossa sociedade.

  14. Thales Antonio disse:

    a minha alma está armada
    e apontada para a cara
    do sossego (sego)
    pois paz sem voz
    não é paz é medo (medo)

    Nesse trecho ele critica o sossego advindo do silêncio. Do ato de se calar diante a realidade social. Por isso a alma dele está armada e apontada para a pessoa que se acomoda e se cala e ele considera essa pessoa não alguém que tem paz, mas que tem medo.

    às vezes eu falo com a vida
    às vezes é ela quem diz
    qual a paz que eu não quero
    conservar
    para tentar ser feliz

    Ele se nega a ter a paz do sossegado, do acomodado com a realidade. Esse tipo de paz ele não quer.

    as grades do condomínio
    são para trazer proteção
    mas também trazem a dúvida
    se não é você que está nessa prisão

    Retoma a temática da violência e criminalidade trazendo aquele ditado de que nós somos os prisioneiros em nosso próprio lar…

    me abrace e me dê um beijo
    faça um filho comigo
    mas não me deixe sentar
    na poltrona no dia de domingo
    procurando novas drogas
    de aluguel nesse vídeo
    coagido pela paz
    que eu não quero
    seguir admitindo

    Aqui ele pede afeto e sexo dentro do lar, mas não pede para que a acompanhante dele nunca o deixe se acomodar e aceitar as coisas como são…ele usa como metáfora sentar na poltrona no dia de domingo assistindo televisão…coagido pela paz (o medo, o falso sossego) que ele não quer seguir admitindo

  15. Andréa 8ª A disse:

    Na minha interpretação, a música faz uma crítica ao comodismo da sociedade frente aos acontecimentos políticos, econômicos e sociais que o país apresenta…

    Dizemos estar seguros nas nossas casas cheias de grades, com nossos carros, nosso cartão de crédito, vamos nos aprisionando, garantindo apenas o que está dentro das nossas casas, sem se importar com o social. Exigimos o fim da violência, mas não tomamos atitudes para buscar a paz…(“é pela paz que eu não quero seguir admitindo”)

  16. Robert N. disse:

    eu concordo com o q todos disseram , e todas as musicas do rappa ele traz uma critica a sociedade , mas todas as musicas também tem duplo sentido assim como o da critica,tem o lado para o maior publico dele que são as pessoas que negam o sistema usando de substancias ilícitas , quem ja usou a “essência da paz” sabe do q estou falando e ve as musicas dele de outro modo, ele deve escrever suas letra chapado, com todo respeito

  17. luciana reis disse:

    essa musica tem um sentido muito forte,pois, retrata a realidade que cerca os brasileiros,de estarem acomodados demais,e entao, a violencia, corrupçao, injustiças, estao por ai.Assim todos queremos paz, mas nos temos medo de ir atraz dela, so aceitando ficar dentro de casa assistindo ela de dentro das grades.

  18. Renaan disse:

    Não Quero Falar Nada, Só Agradeçer Pois Isso Mim Servio Muito, Todos Voçês Que Deram Suas Opinioes Parabééns, São Palavras Muito Sabia..Vlw..

  19. Marcos Antonio Mocellin disse:

    Essa letra é do Marcelo Yuka e, como todas as suas letras, traz um conteúdo político e social, denunciando as injustiças de nossa sociedade.

    “a minha alma está armada
    e apontada para a cara
    do sossego
    pois paz sem voz
    não é paz é medo”

    a minha alma está dizendo que essa aparente tranquilidade que vivo é enganosa, pois não existe paz enquanto
    houver tanta violência e injustiça

    “às vezes eu falo com a vida
    às vezes é ela quem diz
    qual a paz que eu não quero
    conservar
    para tentar ser feliz”

    às vezes eu vejo, outras vezes e a vida que me mostra qual a paz que eu não quero manter pra tentar ser feliz

    “as grades do condomínio
    são para trazer proteção
    mas também trazem a dúvida
    se não é você que está nessa prisão
    me abrace e me dê um beijo
    faça um filho comigo
    mas não me deixe sentar
    na poltrona no dia de domingo
    procurando novas drogas
    de aluguel nesse vídeo
    coagido pela paz
    que eu não quero
    seguir admitindo”

    as grades da casa trazem certa proteção, mas daí vem a pergunta: será que não sou eu que estou preso nesta casa?
    Me abrace e me dê um beijo, faça um filho comigo, mas nao me deixe sentar
    na poltrona no dia de domingo pra assistir programas que tragam a visão se mundo dos verdadeiros causadores dessas violências e injustiças que vivemos, ou seja, a visão dos opressores. Eu não quero essa paz `vendida’ pelos opressores (a violência é culpa dos negros, dos pobres, da falta de cultura, da maldade do ser humano…; a culpa pelas injustiças são dos pobres que são preguiçosos e que todos competem em iguadade de condições…)

  20. Marcos Antonio Mocellin disse:

    Essa letra é do Marcelo Yuka e, como todas as suas letras, traz um conteúdo político e social, denunciando as injustiças de nossa sociedade.

    “a minha alma está armada
    e apontada para a cara
    do sossego
    pois paz sem voz
    não é paz é medo”

    a minha alma está dizendo que essa aparente tranquilidade que vivo é enganosa, pois não existe paz enquanto
    houver tanta violência e injustiça

    “às vezes eu falo com a vida
    às vezes é ela quem diz
    qual a paz que eu não quero
    conservar
    para tentar ser feliz”

    às vezes eu vejo, outras vezes e a vida que me mostra qual a paz que eu não quero manter pra tentar ser feliz

    “as grades do condomínio
    são para trazer proteção
    mas também trazem a dúvida
    se não é você que está nessa prisão
    me abrace e me dê um beijo
    faça um filho comigo
    mas não me deixe sentar
    na poltrona no dia de domingo
    procurando novas drogas
    de aluguel nesse vídeo
    coagido pela paz
    que eu não quero
    seguir admitindo”

    as grades da casa trazem certa proteção, mas daí vem a pergunta: será que não sou eu que estou preso nesta casa?
    Me abrace e me dê um beijo, faça um filho comigo, mas nao me deixe sentar
    na poltrona no dia de domingo pra assistir programas que tragam a visão se mundo dos verdadeiros causadores dessas violências e injustiças que vivemos, ou seja, a visão dos opressores. Eu não quero essa paz `vendida’ pelos opressores (a violência é culpa dos negros, dos pobres, da falta de cultura, da maldade do ser humano…; a culpa pelas injustiças são dos pobres que são preguiçosos e ignorantes, já que todos competem em iguadade de condições blá blá blá…)

  21. Essa música ficou muit boa na voz da Maria Rita. Gostei muito da interpretação dela. Fantástica

  22. As letras do rappa são muito bem pensadas. Eles são ótimos compostores

  23. Cantar Bem disse:

    Olha eles só precisam mesmo é de umas aulinhas de canto que ficariam perfeitos

  24. Jhonnys disse:

    Não concordo com o comentário da Luciana Reis (com todo respeito), pois quem compôs esta música foi o Marcelo Yuka

  25. Rhuan Braga disse:

    Tudo q a pessoa quer é tranquilidade, sossego mas é um sossego em que ele não precise silenciar por medo. Que ás vezes é a vida q dita ás regras, ou seja, ele vive em um mundo onde vê tudo acontecendo de ruim, mas tem que ficar calado se quiser viver tranquilo, ‘feliz’.
    Ele diz q a vilencia na sociedade chegou a tal ponto em que cada vez mais nos prendemos pra se sentir protegidos.
    Ele busca no carinho do beijo e do abraço, do filho..uma valvula de escape pra tudo isso q ele vive, de sair da ociosidade de um tv coagida q so mostra seus interesses e que manipula ou seja é uma paz sem voz como ele diz no começo. Ter que aceitar silenciar fazer o jogo.

  26. mauricio rossales disse:

    Acho q talvez a música tenta fazer uma diferenciação entre paz (a paz “boa”, da segurança, da proteção das “grades do condomínio”) e o “sossego”, a apatia… em que somos obrigados a viver.
    A Alma dele está “armada e apontada para a cara do sossego”, ou seja a sua “consciência” exige que ele saia desse sossego(apatia) disfarçado de paz.
    Essa paz é medo, para termos “paz” temos que ficar trancados em casa (com medo). Não conseguimos usar a nossa “voz”.
    Temos que procurar coisas superficiais e passageiras (drogas de aluguel) impostas pela sociedade. Apresentadas no vídeo coagido, ou seja, nos meios de comunicação (vídeo) que são “coagidos”, censurados.. que apresentam uma visão completamente parcial da realidade e das possibilidades que a pessoa pode ter. Parece que limita a PAZ ao simples “sossego”, a necessidade de ficarmos presos em nossas casas para termos essa “paz”. Sem dúvida um vídeo que nos limita, nos atira a nossa “voz”.
    Uma sociedade que traz “paz” através da imposição do medo.

  27. Nicoly disse:

    Gente vocês estão de parabéns!!!Cada interpretação melhor que a outra.

  28. marcos aurelio disse:

    A música do Rappa traz a reflexão sobre a alienação das mídias que as pessoas são impostas a aceitar. A paz falsa, incoerente, alienante!

  29. Adriana disse:

    “as grades do condomínio
    são para trazer proteção
    mas também trazem a dúvida
    se não é você que está nessa prisão
    me abrace e me dê um beijo
    faça um filho comigo
    mas não me deixe sentar
    na poltrona no dia de domingo”

    Nessa parte eu entendi que assim mesmo ele sabendo dos riscos que corre no mundo de hj com tanta violência e tudo mais ele ainda sim quer constituir uma família, imaginar um futuro melhor pros seus filhos. Dia de domingo: dia de ver os parentes, reunião de família e ele fala não me deixe aqui sentado nessa poltrona, ou seja “eu quero participar desse ritual familiar também com a MINHA FAMÍLIA”.

  30. sabrina disse:

    essa musica é muito loka

  31. francine disse:

    essa letra é irada muto zikkkka e da horaaaaaaaaaaaaa

  32. daniela disse:

    Análises ótimas sobre a música

    PARABÉNS A TODOS

  33. daniela disse:

    A LETRA É DE MARCELO YUKA E INTÉPRETE: O RAPPA

  34. Hernest disse:

    Silka, precisas um pouco respeito, isso sim.

  35. Naiara disse:

    eu entedir desse trecho:” me abrace e me dê um beijo
    faça um filho comigo
    mas não me deixe sentar
    na poltrona no dia de domingo”
    que:
    como ele esta em pleno domingo que e um dia que a maioria descansa e e um dia q todo mundo sai pra paciar!ele nao pode sair porcausa da violencia!entao ao inves de ligar a tv ou outra coisa como um jornal ou esses programas idiotas que so mostra idiotices e nos mostra a violencia e nos incentiva a ter um comportamento agressivos!a melhor coisa e se desligar de tudo isso e se amar!!!e fazer um filho que sinonimo de vida ou seja paz de amor de esperança!!!!!

  36. Emerson Bezerril disse:

    Fiz uma análise de cada estrofe para facilitar o entendimento:

    I. “a minha alma está armada
    e apontada para a cara
    do sossego (sego)
    pois paz sem voz
    não é paz é medo (medo)”

    Análise e interpretação: quando é citado na letra que a “a alma está armada e apontada para a cara do sossego” o autor faz alusão a ideia de repúdio ao conformismo, ou seja, a sua alma não admite o “sossego” (que é a aceitação da realidade em que a sociedade vive, sem reclamar). “pois paz sem voz não é paz é medo”, nesse trecho fica claro que paz sem voz (sem protesto, sem contestação, sem crítica ao sistema) não é uma paz de verdade, “é medo”, é preocupante!

    II. “às vezes eu falo com a vida
    às vezes é ela quem diz
    qual a paz que eu não quero
    conservar
    para tentar ser feliz”

    Análise e interpretação: nessa estrofe o autor destaca a autoconscientização, a autocrítica, o questionamento, o pensamento, a reflexão sobre a questão social. Note bem “às vezes falo com a vida”… “a paz que eu não quero conservar pra tentar ser feliz” é a mesma ideia da estrofe anterior. A “paz” baseada no conformismo, o eu lírico não quer conservar pra tentar ser feliz! Porque não é paz, é medo… (lembra?)

    III. “as grades do condomínio
    são para trazer proteção
    mas também trazem a dúvida
    se não é você que está nessa prisão”

    Análise e interpretação: seguindo a mesma ideia do inércia da sociedade perante os problemas sociais, o trecho faz alusão ao fato de que as grades do condomínio são uma condição de proteção da violência da sociedade que você mesmo é responsável! (trazem a dúvida se não é você que está nessa prisão)

    me abrace e me dê um beijo
    faça um filho comigo
    mas não me deixe sentar
    na poltrona no dia de domingo

    Análise e interpretação: essa estrofe traz uma ideia de movimento, de incentivo à ação (me abrace e me dê um beijo, faça um filho comigo), e é contrário à inércia, ao conformismo aceitando e absorvendo tudo que a mídia passa pela televisão (mas não me deixe sentar na poltrona em um dia de domingo)

    procurando novas drogas
    de aluguel nesse vídeo
    coagido pela paz
    que eu não quero
    seguir admitindo

    Análise e interpretação: “novas drogas de aluguel” se refere as alienantes propagandas (“vídeo coagido”) patrocinadas (“alugadas”) pelo sistema para te dopar, para te anestesiar, para te deixar acomodado com a realidade, com os problemas sociais, com a real situação. E essa condição de conformismo e inércia (essa paz)o autor não quer seguir admitindo!

    Valeu, pessoal!
    Emerson Bezeril

  37. jéssica disse:

    Me abrace e me dê um beijo,
    Faça um filho comigo,
    Mas não me deixe sentar na poltrona
    No dia de domingo (domingo!)

    Entendi que o eu lírico, aceita certa parte das ideias da sociedade. Que é amar, abraçar, beijar, ter filhos. Porém na parte ”Só não me deixe sentar na poltrona num dia de domingo” ele deixa claro que não quer uma vida cômoda, como todos os outros casamentos… Ele não quer esse comodismo que é imposto pela sociedade.. Ciclo de vida baseado em: ”Estudar, trabalhar, casar, ter filhos.” E nada mais.

  38. jéssica disse:

    Entendi que o eu lírico, aceita certa parte das ideias da sociedade. Que é amar, abraçar, beijar, ter filhos. Porém na parte ”Só não me deixe sentar na poltrona num dia de domingo” ele deixa claro que não quer uma vida cômoda, como todos os outros casamentos… Ele não quer esse comodismo que é imposto pela sociedade.. Ciclo de vida baseado em: ”Estudar, trabalhar, casar, ter filhos.” E nada mais.

  39. Ariane Alves disse:

    O que ele não quer é se deixar levar pelas “verdades” que são estabelecidas, sem questionar, sem duvidar.

  40. Igor S. disse:

    As grades do condomínio têm como objetivo proteger quem está ‘dentro’ das ações que outros que estão ‘fora’ daquele espaço podem cometer. Isso pode significar privação de liberdade, ou seja, o indivíduo pode apenas ter paz ‘dentro’ daquele recinto e esquecer dos problemas que estão ‘fora’.
    O interessante é que o maior causador da violência é a repressão e a falta de atenção dos governos às classes entendida por eles inferiores, que na maioria dos casos são as que cometem os delitos.

  41. Gustavo Borges disse:

    A música sugere que tenhamos um pouco mais de atitude pela luta de nossos direitos, mais coragem ao lutarmos pela nossa liberdade, e principalmente deixar de lado o comodismo que tanto acompanha os cidadoes alienados.
    Lutar por nossa liberdade, para que ela não seja uma “paz sem voz”.

  42. Thiago G. disse:

    A música faz uma crítica ao comodismo da sociedade frente à onda de violência.

    Quer dizer que as pessoas querem viver em paz, mas aceitam toda a onda de violência que as rodeia calados. “Paz sem voz, não é paz, é medo.” Os brasileiros vivem numa situação de comodidade, em que prefere não se expressar sobre os problemas sociais, pois tem medo de reações violentas.

    As pessoas de classe média alta montam verdadeiros fortes para ter segurança para se proteger dos marginais que deveriam estar presos, mas não percebem que são elas que estão realmente aprisionados. Com tantas barbaridades acontecendo por todo lugar, preferem simplesmente sentar numa poltrona e assistir o noticiário. Todos se chocam com as notícias e desejam mudanças, mas todos têm medo de admitir seu desejo por uma paz justa.

  43. isiz aguiar disse:

    muitas pessoas não sabem que, o verdadeiro sentido de “procurando novas drogas de aluguel” na verdade. na epoca que ele lançou essa musica a novidade dos videos cacetes apareceram e não era como dvd por exemplo, existiam locadoras que voce alugava as fitas, e as pessoas de certa forma ficaram pressas a aquela nova novidade se prendendo mais em casa, ai ele exclama na musica “me abrace e me de um beijo faça um filho comigo mais não me deixe sentar na poutrona no dia de domingo” ele esta fazendo uma critica e um pedido, ele usa o dia domingo por que basicamente é um dia sagrado pra sair de casa e as pessoas estavam ficando tao pressas nessas drogas de aluguel que simplesmente ignoravam o ar puro, para ficarem em casa. e “nesse video coagido”. sim gente não é (video com agito) e video coagido , ele esta falando exatamente que, os videos ja se tornaram coagidos por tanta gente que se prendia nessa alienação ignorando a liberdade de sair das grades dos condominios, e as pessoas não admitiam que estavam sendo alienados talvez por mirar num sussego falso. pela paz de não ser incomodados porem paz sem voz não é paz é medo!!

  44. isiz aguiar disse:

    corrigindo gente houve um equivoco da minha parte peço desculpas

    muitas pessoas não sabem que, o verdadeiro sentido de “procurando novas drogas de aluguel” na verdade. na epoca que ele lançou essa musica os videos cacetes estavam muito em alta e não era como dvd por exemplo, existiam locadoras que voce alugava as fitas, e as pessoas de certa forma ficaram pressas a aquela forma de ve os filmes se prendendo mais em casa, ai ele exclama na musica “me abrace e me de um beijo faça um filho comigo mais não me deixe sentar na poutrona no dia de domingo” ele esta fazendo uma critica e um pedido, ele usa o dia domingo por que basicamente é um dia sagrado pra sair de casa e as pessoas estavam ficando tao pressas nessas drogas de aluguel que simplesmente ignoravam o ar puro, para ficarem em casa. e “nesse video coagido”. sim gente não é (video com agito) e video coagido , ele esta falando exatamente que, os videos ja se tornaram coagidos por tanta gente que se prendia nessa alienação ignorando a liberdade de sair das grades dos condominios, e as pessoas não admitiam que estavam sendo alienados talvez por mirar num sussego falso. pela paz de não ser incomodados porem paz sem voz não é paz é medo!!

  45. nathalia guilherme oliveira disse:

    quero buscar conhecimento que faça abrir minha mente para novas opiniões

  46. nathalia guilherme oliveira disse:

    l

  47. Wellington Moreira Amorim disse:

    Muito Legal!

  48. josi disse:

    musica interessante

  49. roberto otero disse:

    essa música é show demais da conta. Uma vez ouvir 10 vezes seguidas e até hoje eu sei a musica toda

  50. O Alquimista disse:

    A paz que eu não quero se refere a noção falsa que algumas pessoas têm a respeito do que seja normalidade, harmonia (paz em sentido amplo) na sociedade, nas famílias, nos governos, no mundo.
    As massas estão sendo iludidas pela falsa noção de liberdade (ter paz é ser livre) quando estão enclausuradas atras do portão, assistindo a televisão cada vez mais alienada exemplificada pelos programas dominicais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *