Bitterusso Champagne

16 comentários

Rappa

Um sonho… um sonho…

Um brinde com taça de vinho
Cheiro de asfalto no sangue
Um atalho com fuzil no caminho
No cardápio bitterusso champagne

Um atalho com fuzil no caminho
No cardápio bitterusso champagne

Cordão de fé tirado do peito
E uma luz no fim do presídio
Mas um buraco cavado às pressas
Pra aliviar o suplício

A esperança no orifício, na revolução
Quanto mais tiram de nós, lá dentro corrupção

Os atentados civis viram showmícios
Dos que nunca estão no controle
Dos que nunca estão no controle
E vão crescendo os vícios (4x)

Caindo por terra, caindo por terra (pela batalha)
Caindo por terra, caindo por terra (pelo discurso)
Sofrimento pra alguns é ser feliz
Pra quem nunca teve nada, um sonho é tudo que quis.


16 comments on “Bitterusso Champagne

  1. Diego Carlos disse:

    Eu particularmente adoro essa música e sempre procurei uma interpretação exata para ela, mas é uma música bem complexa. Acredito q a música faz um paralelo entre os momentos de guerra q vivem os soldados e os momentos de tranquilidade e alegria em q vivem os superiores dos soldados, mas essees soldados somos nós civis q lutamos, ou pelo menos lutávamos por uma sociedade mais justa enquanto a higyh society lá em cima está toda tranquila brndando com champagne e observando o q acontece. Ou também pd ser um paralelo entre um homem q nasce humilde e pobre sem as menores condições de se dar bem na vida mas msm assim luta, encara os problemas como se vc uma guerra, e um homem q já vive mais na mordomia sem mto o q se preocupar…acaba q no fim das contas o pobre não consegue pela falta de estrutura social q o país oferece e morre td desiludido sem ao menos ter almejado um sonho: “Sofrimento pra alguns é ser feliz
    Pra quem nunca teve nada, um sonho é tudo que quis.” esse trecho já resume bem a segunda parte do q eu disse…isso foi o mais perto de uma interpretação correta q eu achei pra essa música! vlws!!

  2. Bob disse:

    vejo da seguinte forma, como um incentivo a uma guerra entre a grande massa e a classe dominante que manipula e explora a população enquanto eles brindam com chanpanhe outros morrem pelas ruas criando situações sem saidas para a grande massa mais cita também que há uma brecha para se conquistar essa guerra numa revolução na ultima estrofe vejo como um desabafo “caindo por terra pela batalha, discurso” ai no fim mais um contraste que acho muito interesante onde pra algumas pessoas ser feliz é o máximo que alguém pode chegar enquanto a outros apenas um sonho é tudo que ele pode desejar.

  3. nayara lopes disse:

    essa musica eeeeeeeee~muito louca. esses caras sao foda!!!!!!!

  4. RODOLFO disse:

    A primeira estrofe faz considerações àqueles que possuem o poder. O sangue deles lembra asfalto, porque é insensível e duro. O poder é o instrumento na busca de seus objetivos.
    A segunda estrofe se refere as pessoas sem oportunidades. Fala do apego a fé e a esperança de superar a prissão imposta pela vida (presídio). Suplicio é sinônimo de castigo. Na idade média, as torturas eram praticadas em lugares públicos, pois era apreciada pelos nobres. Cavar um buraco significa fugir dessa vergonha. Os atentados civis através da violência e protestos são meios de expor suas ideias e chamar a atenção para uma causa esquecida por muitos. Os vícios crescem, pois são os calmantes sociais. Cair por terra é o mesmo que morrer. Uns morrem pela luta outros pelo discurso excludente do capitalismo. Por fim, sofrimento para alguns é ser feliz para quem nunca teve nada um sonho é o objetivo mais alto que alguém pode ter. Porque as vezes até o fato de sonhar pode ser difícil.

  5. Marco disse:

    Na verdade gostaria de saber o que significa “bitterrusso champagne”

    Abraço

  6. André Luís disse:

    A letra faz alusão ao cenário contemporâneo da sociedade, onde prevalecem o capitalismo e a desigualdade social, onde uns degustam calmamente sua taça de champagne enquanto transfere-se à massa as punições por toda a sujeira e corrupção praticados pelos que anseiam a ascensão econômica, priorizando-a acima de qualquer princípio ético. Com uma melodia carregada e sombria, e uma letra poética de difícl compreensão, mas que converte-se em uma crítica direta e generalizada à sociedade. A atmosfera pesada da música casa perfeitamente com a realidade promíscua e impune em que vivemos, e seria a trilha sonora perfeita para os filmes nacionais que mostram a vida como ela é.

  7. Pedro lima disse:

    Significado de Bitterusso Champagne: Temos no mínimo(05) nações aqui; 1 – Alemanha: “Bitterusso” que significa, “por favor russo”, em Alemão. 2 – Russia: que aparece na palavra Bitte-“russo”. 3 – França: Nação em que surgiu o “Champagne”. 4 – Inglaterra: “Bitter”; que significa “amargo” em inglês. 5 – Austria que também fala a lingua alemã.
    Essas naçoes tinham rivalidadade no passado, na I guerra Mundial.Faziam parte da Tripce Entente e a Trípce Aliança.
    Na letra, o poeta Marcelo Yuka & CIA, faz alusão a nossa realidade Política/Social Brasileira, a uma GUERRA. Fala de “um sonho” de ficar longe da corrupção politica-social, sonho de paz. Brinda-se esse sonho com vinho (fazendo lembrar sangue).Mas,o que se ver é derramamento de sangue “sangue no asfalto”. Não se têm pra onde fugir “Um atalho há um fuzil no caminho”. Assim degusta-se a realidade do cardápio “bitterusso champagne” corrupção, rivalidades, atentados civis.Apega-se a fé para se ter um alívio “cordão de fé tirado do peito”. encherga-se pouca esperança “uma luz no fim do presídio”,”A esperança no orifício na revolução”. “Mas um buraco cavado às pressas”.na GUERRA esse buraco é necessário “Pra aliviar o suplício”. É a nossa realidade política”Quanto mais tiram de nós, lá dentro corrupção. Precisa-se interpretar mais?
    ORappa,ORappa…Poeta é Poeta…

  8. Leonardo Messias disse:

    Apenas corrigindo amigo Pedro Lima, Marcelo Yuka não teve participação nenhuma na música uma vez que foi feita em 2005, e o Yuka saiu em 2002 da banda.

  9. Leonardo disse:

    Melodia Perfeita ! (=

  10. Carolina Rezende disse:

    “Bitterusso” Palavra de Origem Russa, que significa
    “por favor”

    a Música Fala Basicamente, de Corrupção.
    Em quanto a sociedade Sonha com a Felicidade e um mundo melhor, O corruptos fdp, simplesmente pedem mais um Champagne.

  11. Gustavo S. Borges disse:

    Concordo com a Carolina Rezende, basicamente fala-se da corrupção.
    A primeira estrofe nos mostra duas situações, uma precária tradicionalmente suburbana, outra totalmente diferente no qual degusta-se o conforto e a mordomia.
    “Um brinde com taça de vinho” seria uma classe mais favorecida financeiramente do Brasil.
    “Cheiro de asfalto no sangue”, ao meu ver, isso seria a situação de um morador de rua, no qual já se torna parte da mesma, e possui o cheiro de asfalto “nas proprias veias”.
    “Um atalho com fuzil no caminho”, seria a criminalidade, uma forma rapida para um progresso financeiro, um atalho.
    “No cardápio Biterusso Champgne”, novamente volta-se à primeira situação, de conforto, com uma bebida importada disponivel no cardapio.
    O resto da musica refere-se à esperança do cidadao sustentada em vao pelo mesmo.
    “Cordao de fé tirado do peito, e uma luz no fim do presídio” dxa clara essa esperança idealizada pelo cidadão, o cordao de fé na verdade seria a fé sustentada pela religiosidade, tanto qnto crista como no candomblé por exemplo usam “cordoes de fé em volta ao pescoço (escapulário – católico; e cordao de contas – candomblé). Na frase seguinte, é explicita a fé, “uma luz no fim do presídio”, seria a pouca esperança que se resta em meio essa prisão politica declarada, no qual se denomina a “Democracia”.
    “Mais um buraco cavado as pressas pra aliviar no suplicio”, seria um jeitinho improvisado de alivia a pressão economica, como insinuado na primeira estrofe, o atalho da criminalidade.
    “A esperança no orifício, na revolução”, seria na vdd essa esperança alimentado em vao pelo cidadao, como em casos de greves, “revoluções”, em que eles acreditam que causando uma paralização a situação possa melhorar.
    “Quanto mais tiram de nós, lá dentro corrupção”, nao precisa nem de interpretação, a frase por sí propria ja deixa claro jogo interno da política no brasil, onde oque se aposta é a nossa dignidade, e o premio o dinheiro público.

    “Os atentados civis viram shwomícios dos que nunca estao no controle, e vao crescendo os vicios”, no caso volta-se a ideia de revoluções, greves entre outros “atentados civis” em que o objetivo é impor uma mudança à situação desfavorável ao resto da sociedade pobre do país, esses atentados acabam por servirem de showmícios, no qual o povo adere à revolução, ou pelo menos à ideia, e assim “vao cresendo os vícios”, onde segue esse ciclo enganoso, em que os políticos prometem, nao cumprem, os cidadaos fazem greve, entram pro crime por falta de opção, e enfim nada muda.
    “Caindo por terra – pela batalha, caindo por terra – pelo discurço”, nos mostra as mortes que se dao no decorrer dessa tragetória viciosa, uns caem pela batalha, por lutar todo dia pela vida, seja pela dificulddade em sobreviver em meio à má situação financeira, seja pelo cansaço de uma vida de trabalho arduo e duro; outros caem pelo discurso, o discurso envolvente dos politicos, dessa falsa democracia, onde o povo nao tem poder algum, esse falso discurso acaba com centenas de vidas no Brasil.
    Mas “sofrimento para alguns é ser feliz, pra qm nunca teve nda um sonho é tdo uq sempre quiz”. A felicidade pra alguns estaria muito distante, ao que se tem q ralar muito pra chegar a esse estado, já um sonho, pra muitos seria muito, pessoas essas que chegam a um ponto da vida em que nao acreditam nem mais em seus sonhos, na vdd já se foram tdos eles, ou nunca chegaram, e talvez um sonho, seria tudo, seria ter motivo pra viver, viver com um objetivo de um dia chegar lá, de buscar seu sonho.
    Mas “Um homem só morre, quando deixa de sonhar”…
    E é essa corrupção exagerada que nos impede de sonhar, de acreditar em algo melhor, e leva muitos a escolher um atalho.
    É disso que se fala a música.

  12. Moisés Batista da Cruz Lima disse:

    O lado A e lado B da história do sistema capitalista e a democracia que nunca existirá no mundo. Os sistemas políticos de liderança sempre no prazer da luxúria, e os desfavorecidos e marginalizados morrendo nos becos e ruas da cidade. Tudo é um sonho que nunca será realidade para as comunidades pobres.

  13. Piririm e Pororom disse:

    Interpreto que esse texto fala de contextos importantes, numa linguagem semi lúcida, o qual alguns nomeiam de poesia e dão valor.
    Agora, vou ali fazer um cachorrinho com bexigas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *