Vida Loka II

13 comentários

Racionais Mcs

-Firmeza total, mais um ano se passando
Graças a Deus a gente tá com saúde aí moro?
Muita coletividade na quebrada, dinheiro no bolso
Sem miséria, e é nóis…
Vamos brindar o dia de hoje
Que o amanhã só pertence a Deus, a vida é loka.
Deixa eu fala, pocê,
Tudo, tudo, tudo vai, tudo é fase irmão,
Logo mais vamo arrebentar no mundão,
De cordão de elite, 18 quilates,
Poê no pulso, logo Breitling,
Que tal? tá bom?
De lupa Bausch & Lomb, bombeta branco e vinho,
Champagne para o ar, que é pra abrir nossos caminhos,
Pobre é o diabo, eu odeio a ostentação,
Pode rir, ri mais não desacredita não.
É só questão de tempo, o fim do sofrimento,
Um brinde pros guerreiro, zé polvinho eu lamento,
Vermes que só faz peso na terra.
Tira o zóio.
Tira o zóio, vê se me erra,
Eu durmo pronto pra guerra,
E eu não era assim, eu tenho ódio,
E sei que é mau pra mim,
Fazer o que se é assim,
Vida loka cabulosa,
O cheiro é de pólvora,
E eu prefiro rosas.
E eu que…e eu que…
Sempre quiz com um lugar,
Gramado e limpo, assim, verde como o mar,
Cercas brancas, uma seringueira com balança,
Disbicando pipa, cercado de criança…
How…how Brown
Acorda sangue bom,
Aqui é capão redondo, tru
Não pokemon,
Zona sul é o invés, é stress concentrado,
Um coração ferido, por metro quadrado…
Quanto, mais tempo eu vou resistir,
Pior que eu já vi meu lado bom na U.T.I,
Meu anjo do perdão foi bom,
Mas tá fraco,
Culpa dos imundo, do espírito opaco.
Eu queria ter, pra testar e vê,
Um malote, com glória, fama,
Embrulhado em pacote,
Se é isso que cêis quer,
Vem pegar.
Jogar num rio de merda e ver vários pular,
Dinheiro é foda,
Na mão de favelado, é mó guela,
Na crise, vários pedra, 90 esfarela.
Eu vou jogar pra ganha,
O meu money, vai e vem,
Porém, quem tem, tem,
Não cresço o zóio em ninguém,
O que tiver que ser,
Será meu,
Tá escrito nas estrelas,
Vai reclamar com Deus.
Imagina nóis de Audi,
Ou de citröen,
Indo aqui, indo ali,
Só pam,
De vai e vem,
No Capão, no Apurá, vô colar,
Na pedreira do São Bento,
Na fundão, no pião,
Sexta-feira.
De teto solar,
O luar representa,
Ouvindo Cassiano,
Ha.
Os gambé não güenta.
Mais se não der,
Nêgo,
O que é que tem,
O importante é nós aqui,
Junto ano que vem,
O caminho,
Da felicidade ainda existe,
É uma trilha estreita,
Em meio a selva triste.
Quanto cê paga,
Pra vê sua mãe agora,
E nunca mais ver seu pivete,
Ir embora,
Dá a casa, dá o carro,
Uma glock, e uma fal,
Sobe cego de joelho,
Mil e cem degraus.
Quente é mil grau,
O que o guerreiro diz,
O promotor é só um homem,
Deus é o juiz.
Enquanto Zé Polvinho,
Apedrejava a cruz,
E o canalha, fardado,
Cuspiu em Jesus.
Oh…
Aos 45 do segundo arrependido,
Salvo e perdoado,
É Dimas o bandido.
É loko o bagulho,
Arrepia na hora
Oh
Dimas, primeiro vida loka da história.
Eu digo.
Glória…glória…
Sei que Deus tá aqui.
E só quem é,
Só quem é vai sentir.
E meus guerreiro de fé,
Quero ouvir….quero ouvir…
E meus guerreiro de fé,
Quero ouvir…irmão…
Programado pra morre nós é,
Certo é…certo…é crê no que der…
Firmeza
Não é questão de luxo,
Não é questão de cor,
É questão que fartura,
Alega o sofredor.
Não é questão de preza, nêgo
A idéia é essa,
Miséria, traz tristeza, e vice-versa,
Inconscientemente,
Vem na minha mente inteira,
a loja de tênis,
O olhar do parceiro feliz,
De poder comprar,
O azul, o vermelho,
O balcão, o espelho,
O estoque, a modelo.
Não importa,
Dinheiro é puta,
E abre as portas,
monte o castelo de areia quem quiser.
Preto e dinheiro,
São palavras rivais,
É,
Então mostra pra esses cú,
Como é que faz.
O seu enterro foi dramático,
Como um blues antigo,
Mas tinha estilo,
Me perdoe, de bandido.
Tempo pra pensar,
Quer parar,
Que cê qué?
Viver pouco como um rei,
Ou muito, como um Zé?
Às vezes eu acho,
Que todo preto como eu,
Só quer um terreno no mato,
Só seu.
Sem luxo, descalço, nadar num riacho,
Sem fome,
Pegando as fruta no cacho.
Aí truta, é o que eu acho,
Quero também,
Mas em São Paulo,
Deus é uma nota de 100,
Vidaloka!!!

"porque o guerreiro de fé nunca gela,
Não agrada o injusto, e não amarela,
O Rei dos reis, foi traído, e sangrou nessa terra,
Mas morrer como um homem é o prêmio da guerra,
Mas Óh,
Conforme for, se precisa, afoga no próprio sangue, assim será,
Nosso espírito é imortal, sangue do meu sangue,
Entre o corte da espada e o perfume da rosa,
Sem menção honrosa, sem massagem."
A vida é loka nêgo,
E nela eu tô de passagem.
À Dimas o primeiro.
Saúde guerreiro!
Dimas… Dimas… Dimas…


13 comments on “Vida Loka II

  1. fellipe.a.ferreira disse:

    ”E eu que…e eu que…
    Sempre quiz com um lugar,
    Gramado e limpo, assim, verde como o mar,
    Cercas brancas, uma seringueira com balança,
    Disbicando pipa, cercado de criança…”

    ”Às vezes eu acho,
    Que todo preto como eu,
    Só quer um terreno no mato,
    Só seu.
    Sem luxo, descalço, nadar num riacho,
    Sem fome,
    Pegando as fruta no cacho.”

    não sei se foi a intençao,mas nesses versos de Mano Brown fica evidente o uso de lemas árcades.Nessa época do arcadismo ou neoclassicismo os autores procuram dar mais valor a vida simples,e priorizavam um cenario de natureza…aonde sairam os lemas greco/latinos como:locus amoenus(lugar tranquilo),fugere urbem(fugir da cidade)e o famoso carpe diem(aproveite o dia).

  2. Bruno Ferreto disse:

    sem esquecer do bucolismo… mesmo sem o autor saber… ele criou um texto arcade… sendo a simplicidade do campo, o refugio pacifico para sua alma!!! e a ideia do viver o agora sempre tras como insignea de suas letras !!!

  3. jerfesson almeida dos santos disse:

    é uma letra que mostra a realidade das favelas e das pessoas umildes e é uma letra muito bonita

  4. dudu7 disse:

    esse filme e muito legal…

  5. TAIANE disse:

    RACIONAS SO PARA OS CABECAS

  6. JUNIO disse:

    quando ele diz “dimas primeiro vida loka na historia” creio eu que ele se refere, quando jesus foi crucificado havia dois presos junto com ele o da direita que tambem estva crucificado se chamava dimas, e esse condenado se arrependeu e pediu perdao a jesus que estava ao seu lado, por isso “vida loka’,o primeiro ladrao que se arrependeu na historia da umanidade.

  7. Jow Jow disse:

    enquanto o zé polvinho apedrejava a cruz o canalha fardado cuspiu em jesus.

    ele que dizer que a mesma discriminação que Cristo sofreu ao ser crucificado e humilhado pela multidão, pessoas que vieram do mesmo lugar que ele, já tiveram coragm de cuspir e pissoteá-lo

  8. Anon disse:

    O tema dessa música é o dinheiro e até onde vc iria por ele,os versos que se contradizem na musica inteira,quase como uma discussão interior evidenciam a duvida,entre viver honestamente e ser pobre ou ter muito dinheiro através do crime.

  9. Anônimo disse:

    Como muitos disseram, a música fala sobre ser rico ou pobre, porém (para quem assistiu o video-clipe) nos primeiros momentos o autor fala sobre enriquecer através do crime ou ficar pobre sendo humilde. Mas, o que muitos não percebem é essa frase: “Tudo, tudo, tudo vai, tudo é fase irmão/Logo mais vamo arrebentar no mundão”, essa frase explica como é possível obter o sucesso (financeiro) seguindo os seus sonhos, criando “links” com as seguintes frases: “É só questão de tempo, o fim do sofrimento” e “O olhar do parceiro feliz/
    De poder comprar/
    O azul, o vermelho/
    O balcão, o espelho/
    O estoque, a modelo./
    Não importa/
    Dinheiro é puta/
    E abre as portas/
    pros castelos de areia que quiser”.

    Além disso, Mano Brown menciona o quanto é difícil a vida atualmente nos versos: “Quanto cê paga/
    Pra vê sua mãe agora/
    E nunca mais ver seu pivete/
    Ir embora/
    Dá a casa, dá o carro/
    Uma glock e uma fal/
    Sobe cego de joelho/
    Mil e cem degraus”

    Essa é a minha interpretação da música e, obviamente, A MINHA OPINIÃO.

  10. tiago marques disse:

    Dimas é mencionado com freqüência pelo grupo de rap paulista Racionais MC’s, como sendo o primeiro “vida loka” da História. Sua figura é reverenciada como a de um fora-da-lei arrependido. Na música Vida Loka II, do álbum Nada Como Um Dia Após O Outro Dia, Dimas é citado na seguinte passagem:3
    Enquanto zé povinho apedrejava a cruz / Um canalha fardado Cuspiu em Jesus / Aos 45 do segundo arrependido/ salvo e perdoado/ é Dimas, o bandido
    É loco o bagulho/ Arrepia na hora/ DIMAS, primeiro vida loka da história

    Alusão ao trecho da bíblia encontrado em: Evangelho Segundo S Lucas Cap. 23;39-43.

  11. Capitao Obvio disse:

    Essa musica é do Racionais!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *