Análise de Letras de Músicas

Mais Que Isso

Eu não vou gostar de você porque sua cara é bonita
O amor é mais que isso
O amor talvez seja uma música que eu gostei e botei numa fita
Eu não vou gostar de você porque você acredita
O amor é mais que isso
O amor talvez seja uma coisa que até nem sei se precisa ser dita

Deixa de tolice, veja que eu estou aqui agora
inteiro, intenso, eterno, pronto pro momento e você cobra
Deixa de bobagem, é claro, certo e belo como eu quero
O corpo, a alma, a calma, o sonho, o gozo, a dor e agora pára

Será que é tão difícil aceitar o amor como é
E deixar que ele vá e nos leve pra todo lugar
Como aqui

Será melhor deixar essa nuvem passar
E você vai saber de onde vim, aonde vou
E que eu estou aqui

La Critique

É a loucura não existe.
A loucura está em todos os lugares ao mesmo tempo.
Normal é o tédio dos dias sem graça que as pessoas fazem pra elas mesmas.

Saudade não é salgada não. A saudade é doce.

Eu quero permanecer calado escutando tudo.
O meu passado é de conversador, bom falador, namorador…
Penso, penso, penso, penso…
Consegui dizer tudo…
Tu ficava atrás das linhas da vida.
Sou de esquerda pô…!
O que eu quero dizer com isso? Nada to comentando!

Porque eu sou da luz, porque o único escuro que eu carrego é a sombra que o meu corpo produz.

Eu dou tantas voltas é proibido parar.
Isoglócia…
Isoglócia é a sua forma de falar, sua expressão, sua variado de seletivas de línguas.

E a pessoa que faz isso e faz aquilo e o que não faz fica mais velho, e a velhice vem mais rápido.

Daqui a pouco encontrar uma carta de euforia.

E quem não é?

Sexo é bom!
Eu paguei pra fazer.
Dez reais.
Foi bom!

Possuir razão é impor.
Pessoas que vivem fora da sanidade.

Falar, falar, falar, falar hen, hen, hen, hen, hen, hen…

Quem é você?
Quem é você?
Quem é você?
Quem é você?
Eu to perguntando quem é você?

Eu sou gente!

Joana

Eu não gosto de Joana
Joana tem uma cara esquisita
Joana tem uma risada careta e maldita

Eu não gosto das suas unhas e seu jeitinho de ainda vencerei
Joana é meio problemática
Perde tempo estudando física, matemática
Joana lá com seus cadernos

Olha eu detesto Joana
Seu rosto pálido de batom rosa
Joana nem gosta de prosa (2x)

Joana implica quando eu ponho Billy Holiday na vitrola
Joana não gosta quando eu escuto Billy Holiday na vitrola
Joana emburra quando eu escuto Billy Holiday na vitrola
Joana lá com seus cadernos

Eu não gosto das suas unhas e seu jeitinho de ainda vencerei (2x)
Essa é a canção que eu fiz no dia que eu tirei
Pra falar mal de Joana
Dedico também minha implicância
A esta canção sem importância
Mas sei que seremos eternos
Eu, Billy Holiday e Joana lá com seu cadernos.

Implicante

Hoje eu levantei com sono com vontade de brigar
Eu tô manero pra bater pra revidar provocação
Olhei no espelho meu cabelo e tudo fora do lugar
Vê se não enche não me encosta
Tô bravo que nem leão
E não pise no meu calo que eu te entorno feito água
E te jogo pelo ralo
Hoje você deu azar
Hoje você deu azar

De que vale seu cabelo liso e as idéias enroladas
Dentro da sua cabeça
De que vale seu cabelo liso e as idéias enroladas
Dentro da sua cabeça
De que vale seu cabelo liso e as idéias enroladas
Dentro da sua cabeça
De que vale seu cabelo liso e as idéias enroladas
Dentro da sua cabeça

Hoje eu vou mudar o teu destino
Te passar um pente fino
Então desfaça sua trança
Eu que sou tão inconstante
E você tão permanente
Com a gente tudo enrolado
Não adianta creme rinse
Corta as pontas da sua mágoa
Que hoje eu tô meio implicante
Hoje você deu azar
Hoje você deu azar

De que vale seu cabelo liso e as idéias enroladas
Dentro da sua cabeça
De que vale seu cabelo liso e as idéias enroladas
Dentro da sua cabeça
De que vale seu cabelo liso e as idéias enroladas
Dentro da sua cabeça
De que vale seu cabelo liso e as idéias enroladas
Dentro da sua cabeça

Hoje eu vou mudar o teu destino
Te passar num pente fino
Então desfaça sua trança
Eu que sou tão inconstante
E você tão permanente
Com a gente tudo enrolado
Não adianta creme rinse
Corta as pontas da sua mágoa
Que hoje eu tô meio implicante
Hoje você deu azar
Hoje você deu azar

De que vale seu cabelo liso e as idéias enroladas
Dentro da sua cabeça
De que vale seu cabelo liso e as idéias enroladas
Dentro da sua cabeça
De que vale seu cabelo liso e as idéias enroladas
Dentro da sua cabeça
De que vale seu cabelo liso e as idéias enroladas
Dentro da sua cabeça

De que vale seu cabelo liso e as idéias enroladas
Dentro da sua cabeça

Homens e Mulheres

Eu gosto de homens e de mulheres
E você o que prefere?
E você o que prefere?
Eu gosto de homens e de mulheres
E você o que prefere?
E você o que prefere?

Homens que dançam tango
Mulheres que acordam cedo
Homens que guardam as datas
Mulheres que não sentem medo

Homens de toda idade
Mulheres até as genéricas
Homens que são de verdade
Mulheres de toda a América

Homens no sinal verde
Mulheres de batom vermelho
Homens que caem na rede
Mulheres que são meu espelho

Eu gosto de homens e de mulheres
E você o que prefere?
E você o que prefere?
Eu gosto de homens e de mulheres
E você o que prefere?
E você o que prefere?

Mulheres na guitarra
Homens de corpo e mente sã
Homens vestindo sobretudo
Mulheres melhor sem sutiã
Mulheres melhor sem sutiã

Homens que enrolam serpentes
Mulheres que vão na frente
Homens de amar tão de repente
Mulheres de amar pra sempre
Mulheres de amar pra sempre

Eu gosto de homens e de mulheres
E você o que prefere?
E você o que prefere?

Hoje Eu Tô Sozinha

Hoje eu tô sozinha
E não aceito conselho
Vou pintar minhas unhas
E meu cabelo de vermelho…

Hoje eu tô sozinha
Não sei se me levo
Ou se me acompanho
Mas é que se eu perder
Eu perco sozinha
Mas é que se eu ganhar
Aí é só eu que ganho…

Hoje eu não vou falar mal nem bem de ninguém
Hoje eu não vou falar bem nem mal de ninguém…

Logo agora que eu parei
Parei de te esperar
De enfeitar nosso barraco
De pendurar meus enfeites
Te fazer o café fraco, eh!…

Parei!
De pegar o carro correndo
De ligar só prá você
De entender sua família
E te compreender, êh!…

Hoje eu tô sozinha
E tudo parece maior
Mas é melhor ficar sozinha
Que é prá não ficar pior…

Hoje eu não vou falar mal nem bem de ninguém

Logo agora que eu parei
Parei de te esperar
De enfeitar nosso barraco
De pendurar meus enfeites
Te fazer o café fraco…

Parei!
De pegar o carro correndo
De ligar só prá você
De entender sua família
E te compreender, êh!…

Hoje eu tô sozinha
E tudo parece maior
Mas é melhor ficar sozinha
Que é prá não ficar pior…

Logo agora que eu parei
Parei de te esperar
De enfeitar nosso barraco
De pendurar meus enfeites
Te fazer o café fraco…

Parei!
De pegar o carro correndo
De ligar só prá você
De entender sua família
E te compreender…

Hoje eu tô sozinha
E tudo parece maior
Mas é melhor ficar sozinha
Que é prá não ficar pior…

E já que eu tô só
Não sei se me levo
Ou se me acompanho
Mas é que se eu perder
Eu perco sozinha
Se eu ganhar
Aí é só eu que ganho…

Garganta

Minha garganta estranha
Quando não te vejo
Me vem um desejo
Doido de gritar

Minha garganta arranha
A tinta e os azulejos
Do teu quarto, da cozinha
Da sala de estar (2x)

Venho madrugada
Perturbar teu sono
Como um cão sem dono
Me ponho a ladrar

Atravesso o travesseiro
Te reviro pelo avesso
Tua cabeça enlouqueço
Faço ela rodar (2x)

Sei que não sou santa
Às vezes vou na cara dura
Às vezes ajo com candura
Pra te conquistar

Mas não sou beata
Me criei na rua
E não mudo minha postura
Só pra te agradar (2x)

Vim parar nessa cidade
Por força da circunstância
Sou assim desde criança
Me criei meio sem lar

Aprendi a me virar sozinha
E se eu tô te dando linha
É pra depois te… Han!

Aprendi a me virar sozinha
E se eu tô te dando linha
É pra depois te abandonar…(4x)

Minha garganta estranha…

(Diz aí!)
Aprendi a me virar sozinha
E se eu tô te dando linha
É pra depois te abandonar
Eh! Eh!

Aprendi a me virar sozinha
E se eu tô te dando linha
É pra depois te abandonar…

Fotografia

Acordo e olho os teus olhos
Na Fotografia
Se com você não te vi
Quando disse minha verdade
Foi ai que me arrisquei

Olho os teus olhos
Se perdendo na verdade
Nós dois tão opostos
Juntos na mesma verdade
Eu não sou como você
Amar não precisa aparecer
Eu amo
E sou assim como você

Sou do tamanho que eu vejo
E não do tamanho que me olho
Me dá um tempo
Pra eu poder dormir

Eu Que Não Sei Quase Nada do Mar

Garimpeira da beleza
Te achei na beira de você me achar
Me agarra na cintura, me segura e jura que não vai soltar
E vem me bebendo toda, me deixando tonta de tanto prazer
Navegando nos meios seios, mar partindo ao meio
Não vou esquecer

Eu que não sei quase nada do mar
Descobri que não sei nada de mim

Clara, noite rara, nos levando além
da arrebentação
Já não tenho medo de saber quem somos
na escuridão

Me agarrei nos seus cabelos
Sua boca quente pra não me afogar
Tua língua correnteza lambe minhas pernas
Como faz o mar
E vem me bebendo toda, me deixando tonta de tanto prazer
Navegando nos meus seios, mar partindo ao meio
Não vou esquecer

Eu que não sei quase nada do mar
Descobri que não sei nada de mim

Eu Não Paro

Quando eu vou parar e olhar pra mim?
Ficar de fora
E olhar por dentro
Se eu não consigo
Organizar minhas idéias
Se eu não posso
Se eu esqueço de mim?

Eu pensei que fosse forte
Mas eu não sou

Quando eu vou parar pra ser feliz?
Que hora?
Se não dá tempo
Se eu não me encontro
Nos lugares onde eu ando
Nem me conheço
Viro o avesso de mim

Se eu não sei o que é sonhar
Faz tanto tempo
Tanto mar
E o meu lugar
É aqui!

Uma rua atravessada em meu caminho
Nos meus olhos
Mil faróis
Preciso aprender a andar sozinho
Pra ouvir minha própria voz
Quem sabe assim
Eu paro pra pensar em mim?
Quem sabe assim
Eu paro pra pensar em mim?

Quando eu vou parar pra ser feliz?
Que hora?
Se não dá tempo
Se eu não me encontro
Nos lugares onde eu ando
Nem me conheço
Viro o avesso de mim

Uma rua atravessada em meu caminho
Nos meus olhos
Mil faróis
Preciso aprender a andar sozinho
Pra ouvir minha própria voz
Quem sabe assim
Eu paro pra pensar em mim?
Quem sabe assim
Eu paro pra pensar em mim?

Eu Já Notei

Eu já notei que você quer me pegar
E pelo seu jeito, balanço você tem
Mas se você me quer tanto
Me faça querer também
Depois que você ultrapassa o meu sinal
Não fica direito recuar
Me pega, me quebra, me embala até o final

Sou eu que digo a hora de acabar
Sou de decidir
Sou de me guiar
Sou guerreira, não se espante
Faço meu caminho sem desviar
Ou me queria, ou se mande
Já dispensei o seu jeito de pensar
Só me pegue pelo braço quando o baile começar
Se eu gostar do seu suingue
Sou capaz de aceitar

Eu Comi a Madonna

Me esquenta com o vapor da boca
E a fenda mela
Imprensando minha coxa
Na coxa que é dela

Dobra os joelhos e implora
O meu líquido
Me quer, me quer, me quer e quer ver
Meu nervo rígido

É dessas mulheres pra comer com dez talheres
De quatro, lado, frente, verso, embaixo, em pé
Roer, revirar, retorcer, lambuzar e deixar o seu corpo
Tremendo, gemendo, gemendo, gemendo

Ela ‘tava’ demais,
Peito nu com cinco ou seis colares,
Me fez levitar em meio a sete mares,
E me pediu que lhe batesse,
Lhe arrombasse,
Lhe chamasse de cafona, marafona, bandidona.

Fui eu quem bebi, comi a madonna
Fui eu quem bebi, comi a madonna

Chegou com mais três amigas, cinta-liga,
Perna dura, dorso quente
Toda língua e me encoxou
Me apertou, me provocou e perguntou:
Quem é tua dona? Quem é tua dona? É, é
Fui eu quem bebi, comi a madonna
Fui eu quem bebi, comi a madonna

Escuta

Agora que eu quero ficar
Na hora em que eu decidi
Você diz que já não tem certeza
Me pede pra não insistir
Diz que quer pensar e sai sem olhar pra trás

Agora que você ouviu o que eu te disse até aqui
Só você vai me fazer feliz
Se quiser eu posso repetir

Então escuta, então entenda
Não há nada mais pra se pensar
Então me diga que está voltando
E eu vou te mostrar o quanto eu posso fazer por nós dois

Agora que você ouviu o que eu te disse até aqui
Só você vai me fazer feliz
Se quiser eu posso repetir

Então escuta, então entenda
Não há nada mais pra se pensar
Então me diga que está voltando
E eu vou te mostrar o quanto eu posso fazer por nós dois

Era

O destino me pregando uma outra peça, eu não queria
Me cercava toda noite, com sua flecha e sua guia
Era o tempo me encostando sua pele traiçoeira
Eram noites tão pesadas, com nuvens sorrateiras
Era a vida me cortando a carne com seu guizo
Ecoando pelos séculos os sons de alguns gemidos
Eram meus antepassados dentro dos bacanais
Era o tempo me emprestando aquilo que eu não devolveria mais
Era um homem nos meus sonhos me currando sem perdão
Eram duas velhas mortas se arrastando pelo chão
Eu soltava os meus cães em meu peito a soluçar
Abafava os meus gritos, pois não sabia ladrar
Achei que não era eu que fazia minha história andar
Punha a culpa no destino ou em quem estivesse à mão para culpar
E era assim
Êêêê, ê……
Hoje em dia não me importo com o que fiz no meu passado
Quero amigos, sorte e muita gente boa do meu lado
E não rebato se disserem por aí que eu tô errado
Porque quem se debate está sozinho ou afogado
Eu, que não fico no meio, não começo e nem acabo
Eu sou filho do amor, não de Deus, nem do diabo
Na ciranda das canções eu me ponho a revezar
Rodando entre as ondas que me puxam em alto-mar
Hoje sei bem que sou eu que giro a minha vida circular
Essa roda, eu que invento e faço tudo nela se encaixar
Eu sou assim
Êêêê, ê……

Entreolhares (c/ John Legend)

Se ficar assim me olhando
Me querendo, procurando
Não sei não eu vou me apaixonar
Eu não tava nem pensando
Mas você foi me pegando
E agora não importa onde vá

Me ganhou vai ter que me levar
Você me vê assim do jeito que eu sou
É e faz de mim, tudo que bem quer
Eu que sei tão pouco de você
E você que teme em me querer

Se ficar assim me olhando
Me querendo, procurando
Não sei não eu vou me apaixonar
Eu não tava nem pensando
Mas você foi pegando
E agora não importa onde vá
Me ganhou, vai ter que me levar
Com você é bom qualquer lugar

LEGEND
The way you’re looking at me
You go with me, you want me
Can’t help myself I gotta be in love
I wasn’t even thinking
And now you got me sinking
I need you baby, I can’t get enough
You got me
That’s where I’ll always be
I know you see me just the way I am
But just think of me
What you want me to be
I know you found the moment that we met
It’s giving me a love I won’t forget

Se ficar assim me olhando
Me querendo, procurando
Não sei não eu vou me apaixonar
Eu não tava nem pensando
Mas você foi pegando

LEGEND
I need you baby I can’t get enough
You got me, that’s where I’ll always be
I’ll go there, go anywhere with you
Se ficar assim me olhando
Me querendo, procurando
Não sei não eu vou me apaixonar

LEGEND
I wasn’t even thinking
And now you got me sinking
I need you baby, I can’t get enough
Me ganhou vai ter que me levar

Então Vá Se Perder

Então vá se perder
Tudo que eu te disse
Eu nem tinha pra dizer
Os lugares parecem
Te prender ao chão
Teus pés aonde irão
Sem mim?

Então vá se trocar
Lavar o seu passado
Mudar pra não mudar
Os passos
Sapatos, pés
E tornar-te quem tu és
O mistério da sua fé
Em si

Crescer, sumir, partir, chegar
Revirar e se descobrir
Se elaborar, se transformar…

Me diz como fugir do que levamos por dentro
Me diz como fugir do que levamos por dentro

Quando
Você irá cair
Em si?

Então vá se perder
Tudo que eu te disse
Eu nem tinha pra dizer
Os lugares parecem
Te prender ao chão
Teus pés aonde irão
Sem mim?

Encostar na Tua

Eu quero te roubar pra mim
Eu que não sei pedir nada
Meu caminho é meio perdido
Mas que perder seja o melhor destino
Agora não vou mais mudar
Minha procura por si só
Já era o que eu queria achar
Quando você chama meu nome
Eu que também não sei aonde estou
Pra mim que tudo era saudade
Agora seja lá o que for

Eu só quero saber em qual rua a minha vida vai encostar na tua
Eu só quero saber em qual rua a minha vida vai encostar na tua

Eu quero te roubar pra mim
Eu que não sei pedir nada
Meu caminho é meio perdido
Mas que perder seja o melhor destino
Agora não vou mais mudar
Minha procura por si só
Já era o que eu queria achar
Quando você chama meu nome
Eu que também não sei aonde estou
Pra mim que tudo era saudade
Agora seja lá o que for

Eu só quero saber em qual rua a minha vida vai encostar na tua
Eu só quero saber em qual rua a minha vida vai encostar na tua

E saiba que forte eu sei chegar
Mesmo se eu perder o rumo
E saiba que forte eu sei chegar
Se for preciso eu sumo

Eu só quero saber em qual rua a minha vida vai encostar na tua
Eu só quero saber em qual rua a minha vida vai encostar na tua

Eu quero te roubar pra mim

Elevador

Pra quê?
Te espero de braços abertos
Se você caminha pra nunca chegar
Então vou no fundo
Ameaço ir embora
Você diz que prefere quem sabe ficar

Eu queria tanto mudar sua vida
Mas você não sabe se vai ou se fica
Eu tenho coragem
Já tô de saída
Você diz que é pouco e pouco pra mim não é bobagem

E subo bem alto
Pra gritar que é amor
Eu vou de escada
Pra elevar a dor
(2x)

Então me lanço, me atiro em frente ao seu carro
E aí você decide se é guerra ou perdão
Se na vida eu apanho
Outras vezes eu bato
Mas trago a minha blusa aberta e uma rosa em botão

E subo bem alto
Pra gritar que é amor
Eu vou de escada
Pra elevar a dor
(2x)

O tempo do passado tá em outro tempo
Lembrando de nós dois
Um instante que não pára
Viver é um livro de esquecimento
Eu só quero lembrar de você até perder a memória

E subo bem alto
Pra gritar que é amor
Eu vou de escada
Pra elevar a dor
(2x)

E subo bem alto
Pra gritar que é amor… ah ah ah…yeah!

É Mágoa

É mágoa
Já vou dizendo de antemão
Se eu encontrar com você
Tô com três pedras na mão
Eu só queria distância da nossa distância
Sair por aí procurando uma contramão

Acabei chegando na sua rua
Na dúvida qual era a sua janela
Lembrei que era pra cada um ficar na sua
Mas é que até a minha solidão tava na dela

Atirei uma pedra na sua janela
E logo correndo me arrependi
Foi o medo de te acertar
Mas era pra te acertar
E disso eu quase me esqueci

Atirei outra pedra na sua janela
Uma que não fez o menor ruído
Não quebrou, não rachou, não deu em nada
E eu pensei: talvez você tenha me esquecido

Eu só não consegui foi te acertar o coração
Porque eu já era o alvo de tanto que eu tinha sofrido
Aí nem precisava mais de pedra
Minha raiva quase transpassa a espessura do seu vidro

É mágoa
O que eu choro é água com sal
Se der um vento é maremoto
Se eu for embora não sou mais eu
Água de torneira não volta
E eu vou embora
Adeus!!

É Hora da Virada

Pode ir se preparando, se arrumando
Que agora eu quero mesmo é te desarrumar
Pode ir me aguardando eu tô chegando
Tô com tudo pronto pra te incendiar

O amor tá me seguindo, me botando na parede
E agora não tem jeito eu vou acelerar
Eu vou chegar com tudo, vou te pegar de jeito
Você não vai ter tempo nem pra respirar

Mas eu não vou te esperar, se você não resolver
Se tem medo de me acompanhar
Pode deixar, eu me mando sem você

Eu já gritei, eu me arrisquei,
Eu me queimei, eu fiz de tudo
Eu me pus no seu lugar,
E se você não responder não fico mais nenhum segundo
Nada vai me segurar

Não vou ficar marcando passo,
Me diz agora se você vem comigo ou se vai ficar
Eu já tô largando tudo, caindo fora
Nada mais me prende aqui nesse lugar
Tô mudando o meu destino
Joguei fora o que não presta
Agora eu quero mesmo e vou enlouquecer
É hora da virada partir pro tudo ou nada
Eu não tô com nem um tempo pra perder…

Mas eu não vou te esperar, se você não resolver
Se tem medo de me acompanhar
Pode deixar, eu me mando sem você

Eu já gritei, eu me arrisquei,
Eu me queimei, eu fiz de tudo
Eu me pus no seu lugar,
E se você não responder não fico mais nenhum segundo
Nada vai me segurar
(2x)

Dentro

Me escondi
Pra não ter que ver você dizer
Coisas que eu não merecia ouvir
Era você ou eu

Escolhi
O pior lugar pra me esconder
Me tranquei por dentro de você
E não sei mais sair

Pela rua penso em ti
Volto em casa, penso em ti
No trabalho sem querer
Quando vejo tô pensando em você
E surgi de onde eu não imaginei
E aprendi que eu nunca sei
Enganar meu coração

Escrevi frases soltas pelo chão
Esperei você dormir
Pra jurar minha paixão

Escolhi
O pior lugar pra me esconder
Me tranquei por dentro de você
E não sei mais sair

Pela rua penso em ti
Volto em casa, penso em ti
No trabalho sem querer
Quando vejo tô pensando em você
E surgi de onde eu não imaginei
E aprendi que eu nunca sei
Enganar meu coração

Escrevi frases soltas pelo chão
Esperei você dormir
Pra jurar minha paixão

Dadivosa

Que bom se eu fosse uma diva
Daquelas bem dadivosas
Que sai vida entra vida
Ficasse ali verso e prosa

Meu olhar beirando estrelas
A provocar sinfonias
Por todas as galerias
Imagens da minha história

“Me atirava do alto na certeza de que alguém segurava minhas mãos, não me deixando cair. Era lindo mas eu morria de medo. Tinha medo de tudo quase:Cinema, Parque de Diversão, de Circo, Ciganos..”

E no instante preciso
Entre o mito e o míssil
Um rito um início
De passagem pro infinito

“Aquela gente encantada que chegava e seguia. Era disso que eu tinha medo. Do que não ficava pra sempre.”

Que bom se eu fosse uma diva
Daquelas bem dadivosas
Que sai vida entra vida
Ficasse ali verso e prosa

Meu olhar beirando estrelas
A provocar sinfonias
Por todas as galerias
Imagens da minha história

E no instante preciso
Entre o mito e o míssil
Um rito um início
De passagem pro infinito

Corredores

Eu andei
Sorri
Chorei tanto
Não me arrependi
Ganhei e perdi
Fiz como pude
Lutei contra o amor
Quanto mais vencia, me achava um perdedor
Mais tarde me enganei e vi com outros olhos
Quando às vezes não amei a mim
Não por falta de amor
Mas amor demais
Me levando pra alguém
Quem visitou os corredores da minha alma
Soube dos enganos, secretos planos e até os traumas
Eu sempre fui muito só

Eu andei
Sorri
Chorei tanto
Fui quase feliz
Fiz tudo que quis
Fiz como pude
Desprezei meu ego
Dando esmolas a ele
Como se fosse um cego
Mais tarde me enfeitei, até pintei os olhos
Quando às vezes não amei a mim
Não por falta de amor
Mas amor demais
Me escapando pra alguém
Quem visitou os corredores da minha alma
Soube dos meus erros
E dos nós que fiz bem na linha da vida
Eu sempre fui muito só

Confesso

Confesso, acordei achando tudo indiferente
Verdade, acabei sentindo cada dia igual
Quem sabe isso passa sendo eu tão inconstante
Quem sabe o amor tenha chegado ao final

Não vou dizer que tudo é banalidade
Ainda há surpresas
Mas eu sempre quero mais
É mesmo exagero ou vaidade
Eu não te dou sossego,
Eu não te deixo em paz

Não vou pedir a porta aberta
É como olhar pra trás
Não vou mentir
Nem tudo que falei eu sou capaz
Não vou roubar teu tempo,
Eu já roubei demais

Tanta coisa foi acumulando em nossa vida
Eu fui sentindo falta de um vão pra me esconder
Aos poucos fui ficando mesmo sem saída
Perder o vazio é empobrecer
Não vou querer ser o dono da verdade
Também tenho saudade
Mas já são quatro e tal
Talvez eu passe um tempo longe da cidade
Quem sabe eu volte cedo
Ou não volte mais

Não vou pedir a porta aberta
É como olhar pra trás
Não vou mentir
Nem tudo que falei eu sou capaz
Não vou roubar teu tempo,
Eu já roubei demais

Não vou querer ser o dono da verdade
Também tenho saudade
Mas já são quatro e tal
Talvez eu passe um tempo longe da cidade
Quem sabe eu volte cedo
Ou não volte mais

Não vou pedir a porta aberta
É como olhar pra trás
Não vou mentir
Nem tudo que falei eu sou capaz
Não vou roubar teu tempo,
Eu já roubei demais

Comparsa

É… deixa eu falar do meu comparsa
Que não dá mole não tem farsa
Nem cai no conto do vigário
Ele é do tamanho de um armário
Meu amigo é o Jorge Mário

Poderoso e campeão
Forte e robusto é o negão
E meu amigo joga duro
Sempre chega bem na frente
Tem um olho no futuro
E é sério e inteligente
Não é o seu
Nem é o meu
É o nosso Seu Jorge
É o nosso Seu Jorge
ihh…
É o nosso Seu Jorge
ihhhh…

E vem a Ana Carolina
Uma menina interessante
Com seu ar estonteante
Com a sua voz possante
Esse jeito diferente
Ela é a gente da gente
Botando a bola pra cima
O que começa ela termina
Disposição ela é a mina
Ana “bacana” Carolina
Ana “bacana”… a Carolina
Ana “bacana”… a Carolina
É a Ana “bacana”… a Carolina
Ana “bacana”… a Carolina

Carolina
Salve o Jorge [4x]

Pra todo mundo saber
O que é ficar lado a lado
Num cavalo sem asas
No meio do palco

Pra todo mundo saber
O que é ficar lado a lado
De um cavalo sem asas
Aqui no meio do palco

Aqui no meio do palco [8x]

Claridade

Eu não vou te convencer
Do que é certo aqui pra mim
Eu não vou mudar você
Deixa o vento lhe mostrar
Ele sabe sobre mim

Eu não quero mais correr
Vou cuidar do meu jardim
Trago flores pra você
Deixo o tempo lhe mostrar
Nossa historia é mesmo assim

Chora, pois a chuva de agora
Vai molhar as suas rosas
E a tristeza vai ter fim
É hora, acabou a tempestade pra chegar
A claridade do amor

Chora, pois a chuva de agora
Vai molhar as suas rosas
E a tristeza vai ter fim
É hora, acabou a tempestade pra chegar
A claridade do amor

Chevette

Se mandou
Bateu com meu Chevette
Pôs fogo na quitinete
Me traiu com mais de sete
Fez comigo um bafáfá
Voltou
Mandando um bate-boca
E bate porta e quebra louça
E troca tapa e rasga a roupa
Fez comigo um mafuá
To batendo no pandeiro pra não bater em você

Carvão

Surgiu como um clarão
Um raio me cortando a escuridão
E veio me puxando pela mão
Por onde não imaginei seguir
Me fez sentir tão bem, como ninguém
E eu fui me enganando sem sentir
E fui abrindo portas sem sair
Sonhando às cegas, sem dormir
Não sei quem é você

O amor em seu carvão
Foi me queimando em brasa num colchão
E me partiu em tantas pelo chão
Me colocou diante de um leão
O amor me consumiu, depois sumiu
E eu até perguntei, mas ninguém viu
E fui fechando o rosto sem sentir
E mesmo atenta, sem me distrair
Não sei quem é você

No espelho da ilusão
Se retocou pra outra traição
Tentou abrir as flores do perdão
Mas bati minha raiva no portão
E não mais me procure sem razão
Me deixa aqui e solta a minha mão
Eu fui fechando o tempo, sem chover
Fui fechando os meus olhos, pra esquecer
Quem é você?
Quem é você?
Quem é você?
Você…

Cantinho

Me levou pra um cantinho
E disse “morde”
Quando dei por mim pensei:”que sorte”
Disse tudo bem
Tudo é natural
Olhou bem nos meus olhos,
Chupou meu pau
E eu falei: “por que a gente não se esquece?”
Devia ser assim,mas nao acontece
Me ensinou a rezar uma outra prece
Ahhh, quem derá se o dinheiro desse
Prefiro sempre sempre correr o risco
Grana eu nao tenho não
Mas me divirto

Cabide

E se eu fingir e sair por ai na noitada
Me acabando de rir
E se eu disser que não digo, e não ligo, e que fico
E que só vou aprontar
É que eu sambo direitinho, assim bem miudinho,
Cê não sabe acompanhar
Vou arrancar sua saia e pôr no meu cabide só pra pendurar
Quero ver se você tem atitude
E se vai encarar

E se eu sumir dos lugares, dos bares, esquinas
E ninguém me encontrar
E se me virem sambando até de madrugada
E você for até lá
É que eu mando direitinho assim bem miudinho,
Sei que você vai gostar
Vou arrancar sua blusa e pôr no meu cabide só pra pendurar
Quero ver se você tem atitude e se vai me encarar

Chega de fazer fumaça, de contar vantagem
Quero ver chegar junto pra me juntar
Me fazer sentir mais viva
Me apertar o corpo e a alma
Me fazendo suar
Quero beijos sem tréguas
Quero sete mil léguas sem descansar
Quero ver se você tem atitude e se vai me encarar.
Quero ver se você tem atitude e se vai me encarar.
Quero ver se você tem atitude e se vai me encarar.