Faça o download do App do Análise de Letras para Android! É grátis!

Pra que mentir
Fingir que perdoou
Tentar ficar amigos sem rancor
A emoção acabou
Que coincidência é o amor
A nossa música nunca mais tocou

Pra que usar de tanta educação
Pra destilar terceiras intenções
Desperdiçando o meu mel
Devagarinho, flor em flor
Entre os meus inimigos, beija-flor

Eu protegi teu nome por amor
Em um codinome, Beija-flor
Não responda nunca, meu amor (nunca)
Pra qualquer um na rua, Beija-flor

Que só eu que podia
Dentro da tua orelha fria
Dizer segredos de liquidificador

Você sonhava acordada
Um jeito de não sentir dor
Prendia o choro e aguava o bom do amor
Prendia o choro e aguava o bom do amor.



Pra que mentir
Fingir que perdoou
Tentar ficar amigos sem rancor
A emoção acabou
Que coincidência é o amor
A nossa música nunca mais tocou…

Pra que usar de tanta educação
Pra destilar terceiras intenções
Desperdiçando o meu mel
Devagarzinho, flor em flor
Entre os meus inimigos, beija-flor

Eu protegi o teu nome por amor
Em um codinome, Beija-flor
Não responda nunca, meu amor
Pra qualquer um na rua, Beija-flor

Que só eu que podia
Dentro da tua orelha fria
Dizer segredos de liquidificador

Você sonhava acordada
Um jeito de não sentir dor
Prendia o choro e aguava o bom do amor
Prendia o choro e aguava o bom do amor



Qual é a sua interpretação?





*



39 Comentários

comentario

Eu acredito que essa música foi feita para um homem e um homem famoso (porque não teria sentido PROTEGER O NOME do beija-flor).
A forma como ele canta lembra a forma do FREJAT cantar, assim o Frejat pode ter sido o muso inspirador de Cazuza, mas também é provável que a música tenha sido composta para o Ney Matogrosso ou para o Sérgio Maciel, o Serginho.
Um detalhe da música que acho que ninguém se atentou é a descrição do ato sexual nas ultimas estrofes:
Você sonhava acordada (é o próprio momento do ato sexual)
Um jeito de não sentir dor ( aqui da a entender que o Beija Flor era o gay passivo daquela relação pois estava tentado não sentir dor)
Prendia o choro e aguava o bom do amor
Prendia o choro e aguava o bom do amor( Nesta repetição Cazuza dá a entender que o sujeito gay passivo gay gozava no final da relação sexual).

Consta que ele fez essa música para o Ney Matogrosso quando acabou o relacionamento deles.

Pra interpretar, conhecer, qualquer música do Cazuza, primeiro tem que se conhecer a personalidade Cazuza. Ele era um homem assumido em sua homossexualidade, crítico, e usava muito da ironia em suas músicas para dizer seus pensamentos. Sendo assim…

Entendo que nesta música ele está sendo bem irônico, refere-se a um relacionamento com outro homem, o qual não pode revelar o nome por ser uma pessoa conhecida (famosa) e que não quis assumir o relacionamento, que terminou.

Aparentemente, o relacionamento pareceu terminar bem, porém ele sabe que não é verdade, e como sempre, verdadeiro como Cazuza é, deixa claro que não tem porquê mentir, fingir que está tudo bem.

Na 2ª estrofe, ele dá a entender que, apesar do cara fingir que terminaram bem, ele saiu falando mal do Cazuza para outros (seus “inimigos”). Veja bem: segunda intenção é quando alguém tem um interesse por outra pessoa, além a amizade… mas Cazuza fala de TERCEIRAS intenções, ou seja, fingir que tem interesse (que terminaram bem) mas acaba falando mal, a terceira intenção seria sair falando mal dele, pelas costas. Tanto que ele usa o termo DESTILAR, que geralmente é associado a veneno. Então, o “Beija-flor”, o ex-amante, andou falando por aí, de “flor em flor”, mal de Cazuza, embora finja que terminaram bem.

Ele diz que protegeu o nome da pessoa por amor, ou seja, que se a pessoa continuar pisando no calo dele, ele pode perder este “amor” e acabar revelando seu nome.

A 4ª estrofe é uma continuação da terceira(“Não responda nunca, meu amor, pra qualquer um na rua, beija-flor, que só eu que podia, dentro da sua orelha fria, dizer segredos de liquidificador”), onde Cazuza está sendo irônico ao dizer para seu ex-amante não sair contando por aí de seu caso, dos beijos quentes que Cazuza lhe dava na orelha, uma vez que com certeza esta pessoa não conta aos outros do relacionamento que tiveram. E de certa forma, Cazuza está até alertando a este ex-amante de que, quando o estiver difamando (destilando terceiras intenções) para seus inimigos, que se lembre dos momentos íntimos que tiveram.

O Cazuza na minha opinião fez esta música para o Frejat. Eles tiveram um romance, contudo o Frejat não quis assumir. Ele fez esta música na época que eles brigaram. Vejam como encaixa o que digo:

Pra que mentir
Fingir que perdoou
Tentar ficar amigos sem rancor
A emoção acabou
Que coincidência é o amor
A nossa música nunca mais tocou…

Pra que usar de tanta educação
Pra destilar terceiras intenções
Desperdiçando o meu mel
Devagarzinho, flor em flor
Entre os meus inimigos, beija-flor

Eu protegi o teu nome por amor ( fica claro que ele não queria expor o Frejat)

Em um codinome, Beija-flor
Não responda nunca, meu amor
Pra qualquer um na rua, Beija-flor

Que só eu que podia
Dentro da tua orelha fria
Dizer segredos de liquidificador

Você sonhava acordada
Um jeito de não sentir dor
Prendia o choro e aguava o bom do amor ( como o Frejat não assumiu, ele perdeu o melhor do amor dos dois)

Prendia o choro e aguava o bom do amor

BEIJA FLOR=BEIJA TODOS.
SEGREDOS BAFôNICOS=SEGREDOS DE LIQUIDIFICADOR
“Eu protegi o teu nome por amor
Em um codinome, Beija-flor”(Aqui o poeta esta dizendo que tem um amor secreto).
“Pra que mentir
Fingir que perdoou
Tentar ficar amigos sem rancor
A emoção acabou
Que coincidência é o amor
A nossa música nunca mais tocou

Pra que usar de tanta educação
Pra destilar terceiras intenções
Desperdiçando o meu mel(meu amor)
De vagarinho, flor em flor(de pessoas em pessoas)
“Entre os meus inimigos, beija-flor”(Aqui ELE critica. Não há amizade quando há amor…

PS. ELE tinha um amor secreto e não podia contar pra ninguém.( protegi teu nome por amor).

“Você sonhava acordada
Um jeito de não sentir dor
Prendia o choro e aguava o bom do amor
Prendia o choro e aguava o bom do amo” Aqui é por conta da cocaína…

Sobre “Segredos de Liquidificadorm “, ví que certa vez uma repórter o perguntou, e ele mostrou o significado colocando a língua na orelha dela.Pra mim essa música tem um significado muito simples. Retrata o fim de um romance causado pela traição, e que não adianta “mentir fingir que perdoou, tentar ficar amigos sem rancor…” se todo o clima puro do romance já se foi. Bom essa é minha opinião.Obrigado!

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk nada haveeer Matheus Presley-Mayer q ridiculo, apaga isso mané, ainda quer cantar de galo chamando as pessoas de burro, lê a letra meu amigo! alguns trechos confirmam q nao foi para o barao… “A emoção acabou
Que coincidência é o amor
A nossa música nunca mais tocou…”
Eu protegi o teu nome por amor
Em um codinome, Beija-flor
Não responda nunca, meu amor
Pra qualquer um na rua, Beija-flor

Que só eu que podia
Dentro da tua orelha fria
Dizer segredos de liquidificador

Você sonhava acordada
Um jeito de não sentir dor
Prendia o choro e aguava o bom do amor
Prendia o choro e aguava o bom do amor

Tatiane

Burros,ele tá falando do fim do barão vermelho:”a nossa música nunca mais tocou”.”Fingir que perdoou” porque ele acabou com a banda quando ela estava no auge.Estudem.Abraços

Sobre o verso “segredos de liquidificador”, uma análise completa está aqui: http://pensarenlouquece.com/segredos-de-liquidificador/

Primeiramente é válido salientar que esta música relata uma traição…. Vamos analisá-la…
“Pra que mentir
Fingir que perdoou
Tentar ficar amigos sem rancor
A emoção acabou”… Nessa parte o eu-lírico mostra que não há a necessidade de um fingimento, não há necessidade de mais mentiras com essa tentaviva de voltar uma amizade que não mais existirá; quando diz que a emoção acabou ele mostra que o que dava o encanto ao relacionamento não existe mais, não há mais aquela ansiedade de ver e esperar pela pessoa amada, não existe mais aquele friozinho na barriga,a emoção acabou.

“Que coincidência é o amor
A nossa música nunca mais tocou”… Nessa parte há uma metáfora, onde mostra a música como símbolo do amor, se a música nunca mais tocou é porque o amor já não se faz mais presente, por isso a coincidência, ou seja, sem presença da música é o mesmo que ter acabado o amor.

“Pra que usar de tanta educação
Pra destilar terceiras intenções … O eu-lírico relata que sua amada tentou usar de educação com a finalidade de obter coisas das quais ele desconhecia, por isso diz terceiras intenções.
“Desperdiçando o meu mel
Devagarzinho, flor em flor
Entre os meus inimigos, beija-flor”… A amada estava desperdiçando o mel com outros, ou seja, ela desperdiçava o amor que deveria ser destinado ao eu-lírico com outros, nesse caso os inimigos dele; enfim, pode se dizer que ela o estava traindo.
“Eu protegi o teu nome por amor
Em um codinome, Beija-flor
Não responda nunca, meu amor
Pra qualquer um na rua, Beija-flor”…. O eu-lírico protegeu o nome da amada em um codinome:BEIJA-FLOR, então toda vez que se fala em beija-flor entende-se que ele está a falar dela. Ele diz pra ela nunca responder se chegarem a lhe chamar de beija-flor, pois ele relatou o que estava acontecendo no relacionamento deles a algumas pessoas, porém não disse o nome dela, apenas a chamou de beija-flor, e assim as pessoas tenteram descobrir que é a suposta traidora chamando aquelas que lhes parece serem opções de beija-flor.

” Que só eu que podia
Dentro da tua orelha fria
Dizer segredos de liquidificador”… Ele relata que antes do ocorrido, era apenas ele quem contava a ela os segredos mais guardados, os segredos mais miudos, mais triturados, ou seja, segredos de liquidificador.

“Você sonhava acordada
Um jeito de não sentir dor
Prendia o choro e aguava o bom do amor
Prendia o choro e aguava o bom do amor”… Apesar de tudo ele vê o lado bom da amada mesmo depois do ocorrido, dizendo que ela regava, aguava, cuidava o lado bom do amor existente entre os dois, querendo que aquele lado prevalecesse, porém quando fala que ela prendia o choro faz menção aos sentimentos ruins, de tristeza e frustração com aquele amor, sentimentos esses que ela trazia dentro de si.

pra mim a codinome beija-flor retrata um relacionamento que pra um é tudo e pra outo é só “bom”.

\Pra que mentir
Fingir que perdoou
Tentar ficar amigos sem rancor\

O relacionamento está frio e é sabido que está chegando ao fim. Ambos estão abalados, mas fingem que estão bem. Tentam manter as aparencias com cordialidades inuteis para tentar fingir que ainda há respeito e carinho.

\A emoção acabou
Que coincidência é o amor
A nossa música nunca mais tocou\

Aqueles sentimentos explosivos de paixão, os momentos inabalaveis já não existem mais – apenas monotonia.

\Pra que usar de tanta educação
Pra destilar terceiras intenções\

Palavras frias e vazias, que na verdade, soam asperas. Perguntas que tentam demonstrar carinho e preocupação, mas são feitas por obrigação.

\Você sonhava acordada Um jeito de não sentir dor
Prendia o choro e aguava o bom do amor\

Infeliz, sonha acordada com momentos e um relacionamento inexistente – perfeito e inimaginavel = só para fugir da melancolia existente no seu relacionamento verdadeiro

Prendia o choro, guardava os verdadeiros sentimentos, privava-se de emoções para não sofrer. Assim, aguava o bom do amor, a emoção do amor.

Passível de várias interpretações, tentei imaginar uma mais voltada para a situação que ele vivia ao compor esta música; estar internado com AIDS .

”Pra que mentir/Fingir que perdoou/Tentar ficar amigos sem rancor ”

- Cazuza e a pessoa a qual a música é destinada fingem que ainda tem o mesmo relacionamento de antes, mesmo tento acabado, mas é mentira

”A emoção acabou/Que coincidência é o amor/A nossa música nunca mais tocou…”

- O relação deles acabou e coincidentemente a música que era ‘deles’ nunca mais tocou, mas esta parte pode ser mais pura poesia

“Pra que usar de tanta educação/Pra destilar terceiras intenções”

- Ser educados quando querem na verdade brigar

“Desperdiçando o meu mel/Devagarzinho, flor em flor/Entre os meus inimigos, beija-flor”

- Desperdiçar o mel seria acabar com a vida, de flor em flor, de pessoa em pessoa, matando uma a uma, por isso um inimigo, distribuindo o vírus da AIDS

“Eu protegi o teu nome por amor/Em um codinome, Beija-flor”

- Não necessariamente por amor, mas Cazuza preferiu não usar nomes

“Não responda nunca, meu amor/Pra qualquer um na rua, Beija-flor”

- Não diga quem realmente es, apenas use esse codinome que lhe cai bem

“Que só eu que podia/Dentro da tua orelha fria
Dizer segredos de liquidificador”

- Só ele podia dizer-lhe (orelha fria para mostrar o quanto a pessoa não se importava, era fria) dizer segredos barulhentos, que todos sabiam existir , quem não era de fato segredos

“Você sonhava acordada/Um jeito de não sentir dor”

- Você sonhava não ter a doença, se enganava

“Prendia o choro e aguava o bom do amor/Prendia o choro e aguava o bom do amor”

- Prendia o choro fingia não ter o vírus, aguava o bom do amor, destribuia o vírus, o bom do amor, que na verdade é o HIV

Bom , interpretação é livre, essa é uma plausível, obrigada pela atenção,

Abraço

e um cara que nao leva a serio a outra pessoa -adoro a musica e a letra
o cara nao leva a serio a menina e mas por amor, por respeito dela protege ela usando o condinome beija-flor -na verdade o beija flor e o cara mesmo -voando de flor e flor, tirando o mel delas para despois voar em outra flor. Gostei

Nossa, gente, amei a interpretacão de vocês! Sério, falaram sobre o homossexualismo, o fim de uma parceria (Barão Vermelho), de uma amizade ou de um amor. Mas eu vejo de um outro jeitinho, não sei se porque quando tive uma esperiência amorosa desastrada eu entendi assim na época:

“Pra quê mentir, fingir que perdoou
Tentar ficar amigos, sem rancor”

Entendi que para uma das partes o fim do namoro não foi fácil, ele não esqueceu e não poerdoou a traicão feita pelo outro.

“A emocão acabou. Que coincidência é o amor, A nossa música nunca mais tocou”

Aqui ele diz que o amor que um dia ele sentiu acabou, por culpa dela (por sua traicão. Mas ele ainda ama essa mulher, por isso os apaixonados sempre procuram um jeito de lembrar da pessoa amada, uma poesia ou objeto, alguma coisa que o faca lembrar do amor de sua vida, e nessa caso era a música deles, que como o amor foi se apagando.

Pra quê usar de tanta educacão? Pra destilar terceiras intencões?

A ex namorada agora tenta compensar o fim do namoro com muita educacão, com muito cuidado, para que o cara se sinta bem. Terceiras intencões seriam ela demonstra que um dia o amava mas que acabou, só que uma grande amizade ficou, ou seja, uma grande mentira, porque se sente culpada pelo que fez a ele.

Desperdicando o meu mel. Devagarinho, flor em flor, entre os meus inimigos? beija flor…

Acho que seria assim a pontuacão. Ela agora se uniu a pessoas que não gostavam dele (seus inimigos), e anda falando mal dele para essa gente, acabando com o seu mel ( a sua confianca nela, o seu amor).

“Eu protegi teu nome por amor. Em um codinome Beija flor”

No passado, quando ele ainda tinha um amor platonico por ela, ele tinha medo de dizer quem ela era para os outros. Dizia que estava apaixonado por uma menina e lhe deu o codinome Beija flor. Isso demonstra que eles eram muito jovens, muito criancas quando tudo comecou. O nome Beija flor significava que ela era linda, encantadora, desejada mas também ele a perdia de suas mãos, ela era do mundo e a ninguém se prendia.

“Não responda nunca, meu amor (nunca) para qualquer um na rua, Beija flor.”

Ele mostra que sente ciúmes dela, e que ele a amou mais do que qualquer pessoa estranha que queira conquistar o coracão dela, usando o apelido que ele inventou para ela.

“Que só eu que podia, dentro da tua orelha fria, dizer segredos de liquidificador”

Conclui seu pensamento de que ninguém pode conquistar o coracão dela porque somente ele foi sincero em suas palavras, quando falava para ela coisas sem muito sentido, segredos de sua vida, coisa que ninguém nunca vai fazer porque ninguém vai amar essa mulher como ela amou.

“Você sonhava acordada, um jeito de não sentir dor. Prendia o choro e aguava o bom do amor. Prendia o choro e aguava o bom do amor”.

Nessa estrofe ele lembra o tempo em que eles namoravam (assim como a antepenúltima estrofe) e fala que ela ainda era inocente, e junto com ele faziam planos para uma vida a dois (sonhavam acordados), mas de repente ela acordou e ele continuou sonhando com ela, para não sentir a dor da vida, da perda, do fim do namoro. Em prendia o choro eu penso que ele tentava não chorar, não aceita o fim do romance, ele segura firme acreditando que um dia eles voltarão ainda, como era antigamente, quando eles ainda sonhavam a cordados, o bom do amor, o tempo em que eles ainda se amavam.

demais!

demais!

Na verdade essa música foi feita por Cazuza no momento em que ele se separou da banda Barão Vermelho e saiu brigado com os caras da banda inclusive Frejat e então Cazuza escreve essa linda cação, como prova disso vemos no filme que no momento em que a banda se desfaz a música toca, e Frejat no acústico da banda Barão Vermelho canta a música Codinome beija flor em homenagem a caju que é até colocado a voz dele em certa parte da música

Pra que mentir, fingir que perdoou, tentar ficar amigos sem rancor? A emoção acabou, que coincidência é o amor: A nossa música nunca mais tocou… O fim do relacionamento não foi pacífico, deixou magoas não superadas. Então por que manter a hipocrisia de um falsa aparência de bem-estar e convivência?.

Pra que usar de tanta educação, pra destilar terceiras intenções, desperdiçando o meu mel, devagarinho, flor em flor, entre os meus inimigos, beija-flor…O outro, ex-amor, e ele próprio, talvez , usam de intrigas elaboradas, na sua rede social e por meios indiretos, para se ferir mutua e publicamente com outros relacionamentos destrutivos ou fúteis, considerando o simbólico de mel como o amor puro e o beija-flor como volubilidade, promiscuidade deliberada. A crueldade disfarçada é sensível aí, o desejo de vingança ou retaliação pelo rompimento.
Eu protegi teu nome por amor, em um codinome, Beija-flor. Não responda nunca, meu amor (nunca), pra qualquer um na rua, Beija-flor, que só eu que podia, dentro da tua orelha fria, dizer segredos de liquidificador …Ele manteve uma postura de respeito, movida pelo afeto ou mesmo amor que ainda teima em existir, preservando o outro, ex-amor, em público, mas dá indícios de que isso não é correspondido, ou antecipa o outro e cobra deste que a privacidade, a intimidade do relacionamento sejam também preservados mesmo no fim doloroso do relacionamento, como gesto de amor. A reciprocidade de postura cobrada fica implícita e difícil de perceber pelas inversões nos versos.
Você sonhava acordada um jeito de não sentir dor, prendia o choro e aguava o bom do amor. Prendia o choro e aguava o bom do amor…Ele relembra ao outro que sua postura de não encarar a realidade, a situação em que estava o relacionamento o fez deteriorar, deixando de vive-lo e tornando-o um mero jogo de aparências, um sonho de fuga , possivelmente do medo de um dissabor, do sofrimento da ruptura ou da constatação dos próprios erros e responsabilidades no fim.
Me perdoem os erros…ainda que de rupturas eu entenda.

Codinome Beija-Flor é uma das mais lindas composições de cazuza, logo no primeiro verso temos “Pra que mentir/ Fingir que perdoou/ tentar ficar amigos sem rancor”, sendo assim relacionado a uma separação em um relacionamento amoroso, por causa de uma traição, por ser algo bastante dolorido para ele não conseguir perdoar. No seguinte verso: “A emoção acabou que coincidência é o amor/ A nossa música nunca mais tocou”, ele está sendo irônico, pois não há coincidências, por que o amor acabou não existe mais musica, não existe mais emoção. O titulo parece algo como sendo o codinome o sentimento fingido da outra pessoa, e o beija-flor que tira o mel da flor pouco a pouco, gota em gota. O nome beija-flor aparece em primeiro com letra minúscula, depois com letra maiúscula, no primeiro caso se refere ao pássaro, na imagem criada pelo poeta; no segundo, já é já é o codinome e, como tal, vem grafada corretamente com letra maiúscula. Em “segredos de liquidificador”, os segredos são intensamente processados, pensados, misturados com muitos sentimentos, se pensarmos na função do liquidificador. Se pensarmos no barulho que ele faz, podemos entender como segredos que incomodam. Os versos “Você sonhava acordada/ um jeito de não sentir dor”. Expressa a fuga provocada pela dor. E também poderia representar alguém que não tinha sentimentos verdadeiros por outra pessoa mais continuava com ela pelo o que ela tinha de bom, a oferecer. Em proteger seu nome por amor, ele coloca que não poderia revelar o seu nome, assim o cocando um codinome beija-flor.

ESTA MÚSICA CAZUZA FEZ PARA NEY MATOGROSSO, POIS O MESMO TINHA UM CERTO “MEDO” DE REVELAR QUE OS DOIS TINHAM UM CASO, POIS, NÃO SABERIA COMO A SOCIEDADE E SEUS FÃS IRIAM REAGIR AO SABER DO FATO MENCIONADO.

“Você sonhava acordada
Um jeito de não sentir dor
Prendia o show e aguava o bom do amor
Prendia o show e aguava o bom do amor.”
(Agora, uma releitura dessa última estrofe que pode ser feita ao se trocar “choro” por “show”, como informou uma outra pessoa anteriormente, é a inversa: se realmente antes existia a palavra “show” ou invés de “choro”, pode-se entender que em um determinado momento do relacionamento, ela passou a “sonhar acordada”, ou seja, provavelmente, passou a pensar e sofrer ao desconfiar ou saber que ele estava tendo um relacionamento ou mesmo amando outra pessoa e, então, um jeito que ela encontrava de não “sentir dor”/sofrer era “prender o show”, ou seja, a discussão/briga com ele e “aguar o bom do amor”, isto é, transar. Assim, outra interpretação que eu tenho é que em função de em um determinado momento passar a existir outra pessoa nos pensamentos dele, ela passou a tentar esquecer do sofrimento interno e velado, transando nesses momentos com ele.) Acho inclusive que essa interpretação com a palavra “show” fica mais coerente com o enredo… mas é só mais uma interpretação… qual será a real interpretação???

OBS: Vale lembrar que ainda na primeira estrófe, ele dá a entender que ele “errou” com ela, sendo que ela ainda não o perdoou… provavelmente talvez por ele ter tomado a decisão de deixá-la, por entender que, pelo ocorrido, não havia mais paixão/amor entre eles… a “emoção” havia acabado…

“Pra que mentir
Fingir que perdoou
Tentar ficar amigos sem rancor
A emoção acabou
Que coincidência é o amor
A nossa música nunca mais tocou”
(Uma paixão/relacionamento que terminou, porém ainda há ressentimentos de ambas as partes, ainda há rancor. Entretanto, não há possibilidade de volta, a emoção/paixão acabou.)
“Pra que usar de tanta educação
Pra destilar terceiras intenções
Desperdiçando o meu mel
Devagarinho, flor em flor
Entre os meus inimigos, beija-flor”
(Ressalta que ele está descontente pela hipocrisia em usar “tanta educação”, se ainda há rancor, e haveria outras intenções – “terceiras intenções” – por parte dela que não a de voltar a ter um relacionamento amoroso com ele, já que não acredita que ainda há paixão/amor entre os dois. Segundo ele, ela estaria “desperdiçando o seu mel”, ou seja, brincando com os sentimentos dele, com o que ainda resta de carinho por ela, já que, “devagarinho, flor em flor”, ela estaria saindo com outros homens – “flor” representaria “homem” e “mel” o sentimento de cada um deles – passando a se tornar uma inimiga, ou seja, a estar, agora, entre seus inimigos. “Beija-flor” – o codinome que ele deu para ela, para, em respeito, não divulgar seu nome, escolhendo um nome apropriado, já que ela estaria saindo com vários homens – “galinha” – de “flor em flor”.)
“Eu protegi teu nome por amor
Em um codinome, Beija-flor
Não responda nunca, meu amor (nunca)
Pra qualquer um na rua, Beija-flor”
(Como já foi dito, ele menciona que protegeu seu nome por amor, ou seja, não divulgou a ninguém o verdadeiro nome de sua amada, já que provavelmente deveria haver um impedimento para isso, talvez por ser um caso extra-conjugal. Além disso, deixa claro que deseja que ela não “responda para qualquer um na rua”, ou seja, não se relacione com qualquer um , como ela – “beija-flor” — vem fazendo)
“Que só eu que podia
Dentro da tua orelha fria
Dizer segredos de liquidificador”
(Segundo ele, só ele que outrora podia dizer para ela segredos “íntimos” ou “domésticos”, ou seja, de “liquidificador” – um aparelho doméstico. “Orelha fria” pode nos remeter a noite fria. Assim, quer deixar claro que só ele era “íntimo” dela em outros tempos, tentando diferenciar o relacionamento mais “íntimo e puro” deles, dos outros que ela vem tendo atualmente).
“Você sonhava acordada
Um jeito de não sentir dor
Prendia o choro e aguava o bom do amor
Prendia o choro e aguava o bom do amor.”

(Em um determinado momento do relacionamento, ela passou a “sonhar acordada”, ou seja, provavelmente, passou a pensar em outra pessoa, e um jeito que ela encontrava de não “sentir dor” / sofrer era “prender o choro” e “aguar o bom do amor”, isto é, transar. Assim, a interpretação que eu tenho é que em função de em um determinado momento passar a existir outra pessoa nos pensamentos dela, as transas passaram a ser frias, sem paixão, o que pode ter explicado o fim do relacionamento extra-conjugal.)

Essa música foi escrita na época que o Cazuza resolveu sair do Barão Vermelho.Essa canção foi feita pra seu amigo Frejat.

Tudo gira em torno do sexo com uma garota virgem que descobre os prazeres e se corrompe com o “mel” que lhe foi dado por um rapaz mais experiente.

A traição é descoberta, o amor dele acaba. Numa última conversa ela, arrependida, num misto de educação com pouco de paixão ou desejo faz surgir a possibilidade de uma última transa. Ele não quer.

Beija-flor seriam seus segredos, a intimidade sexual entre homem e mulher que o casal tinha e que ela não deveria ter com mais ninguém, pois ele foi seu primeiro.

A penúltima estrofe é a traição. “Segredos de liquidificador” seria a língua no ouvido fazendo espirais num momento muito íntimo. A orelha fria sugere uma noite também fria.

Já a última estrofe fala da primeira vez do casal:
Havia a dor, um pouco de arrependimento por parte dela, pois deveria ser uma garota insegura e inexperiente e, por fim, o orgasmo.

(Não me vejam como pervertido, apenas interpretei assim.)

“eu protegi teu nome por amor, em um codinome beija-flor..” é um caso entre 2 homens (Música do Cazuza para Ney Matogrosso).
O beija-flor em tempos antigos eram chamados de Pica-Flor…só ligar os fatos.

Segredos de liquidificador, o Cazuza definiu uma vez. É simples, são aqueles beijos de lingua na orelha!

na 1ª estrofe música fala de um relacionamento que acabou, e eles tentam virar só amigos, mas não é uma amizade como a de outrora… é uma amizade abalada pelos acontecimentos do relacionamento.
na 2ª estrofe ele reclama desta amizade hipócrita (para que usar de tanta educação?) e a (terceira intenção) se refere a estama amizade pós relacionamento. Nesta estrofe ele também cita o “beija flor” que seria o seu inimigo no ate de desperdiçar mel (saliva) em flor em flor (em boca em boca)… ou seja, o beija flor é um ser “conquistador”
na 3ª estrofe, e na minha opinião, a mais bonita, ele protege o nome da garota num código de ética do beija flor “do conquistador”… (ou seja, ele foi respeitador), porém, mesmo assim, ele não quer mais contato com a mulher, pq agora, para qualquer um na rua beija flor, ou seja, para qualquer um na rua “conquista”. (ele vai sair muito para conhecer novas pessoas)
na 4ª estrofe ele desabafa falando que só ele poderia dizer segredos de liquidificador (que seriam segredos caseiros, já que o liquidificador é um eletrodoméstico caseiro, o cazuza certa vez falou que usou liquidificador só para rimar, mas poderia ser qualquer outro eletrodoméstico).
na 5ª estrofe há um erro, a letra original fala “prendia o SHOW e aguava o bom do amor”, onde ele evidentemente reclama da mulher (a reclamação fica óbvia com o concerto da frase) onde o SHOW que ela prendia (provavelmente algo sexual) era o bom do amor, que ela aguava (pq ela prendia).. sonhar acordado é um modo de chama-la de inocente.

Na VERDADE um amor desfeito, no qual se perdoaram da boca para fora, mas interiormente não houve o perdão. Isso em algum acontecimento do relacionamento no qual se magoaram e se perdoaram apenas da boca para fora! Na verdade não tem volta nem tem perdão… Mas fingem ser amigos. A emoção acabou e nunca mais entraram em sintonia.

Na segunda parte ele fala sobre esse comportamento ser hipocrisia,mostra interesse da outra parte em lucrar aproveitar de algo, talvez do sucesso do artista, amigos… Desperdiçando meu mel, pode ser minha grana meu tempo, devagarinho vai explorando, mas ele mostra respeito ao ser humano ocultando a pessoa, que ele considera hipócrita e o explora, aproveita um pouco dele. Ele diz que ocultou essa pessoa por amor, não que essa pessoa mereça, mas ele respeita pelo amor que sentiu um dia.
Então ele diz só eu que podia! Mostra um lado único, de dizer segredos misturados, que para mim considero liquidificador objeto para misturas de massas etc… Esses segredos a deixava sonhando acordada, um jeito de não sentir dor!

Prender o choro, ele se refere a algo não fingido, um sentimento verdadeiro o bom do amor. Um lado puro do amor! Porque o resto ele só ver hipocrisia! OU comportamento hipócrate!

Esse meu modo de ver e interpletar, pior que não reli hahahahahha boa sorte!

Que só eu que podia
Dentro da tua orelha fria
Dizer segredos de liquidificador
(SEGREDO DE LIQUIDIFICADOR), QUEM NAO SE INRRITA A NOITE QUANDO ALGUEM LIGA UM LIQUIDIFICADOR? É MAIS OU MENOS ISSO QUE OCORRE QUANDO FAZEMOS AMOR, Nao CONSEQUIMOS FALAR BAIXINHO (SEGREDO) SEMPRE ESCAPA UM GEMIDO MUITO ALTO E TODOS ACABAM ESCUTANDO. (entao se torna segredo de liquidifcador)

Trata-se de um caso que termina, proteger o teu nome por amor, ou seja, não revelar os amantes.

Segundo o próprio Cazuza, “apud” Lobão, “…da tua orelha fria, dizer segredos de liquidificador” representa os movimentos da língua de uma pessoa dando uma bela lambida na
orelha de outra, semelhante a uma hélice de liquidificador… se é que vcs me entendem. Cazuza safadinho…

Pra que mentir
Fingir que perdoou
Tentar ficar amigos sem rancor
A emoção acabou
Que coincidência é o amor
A nossa música nunca mais tocou…

(Termino de relacionamento.. Seja lá qual for..
Tentar forçar uma volta quando não há mais “emoção”
“… A nossa música nunca mais tocou…” NÃO SERÁ A MESMA COISA!)

Eu protegi o teu nome por amor
Em um codinome, Beija-flor
Não responda nunca, meu amor
Pra qualquer um na rua, Beija-flor

(EMBORA CHEGOU AO FIM.. CONTINUA A CONSIDERAÇÃO..)

Que só eu que podia
Dentro da tua orelha fria
Dizer segredos de liquidificador

(METTÁFORA: LIQUIDIIFFICADOR.. BARULHO.. SEGREDOS QUE NA VERDADE SÃO COISAS TODO MUNDO SABE.. SÓ EU PODIA TE ILUDIR (rsrs)

Você sonhava acordada
Um jeito de não sentir dor
Prendia o choro e aguava o bom do amor
Prendia o choro e aguava o bom do amor

(VOCÊ SE ILUDIA.. UM JEITO DE NÃO SOFRER…
SEGURANNDO O CHORO…”AGUANDO O BOM DO AMOR”! rs

MUITO BOA! ;)

Primeira parte -O término de um relacionamento onde eles fingim que está tudo bem,perdoaram e tentaram ficar amigos mas que o relacionamento não tem volta.

Segunda parte- ”Pra que usar de tanta educação
Pra destilar terceiras intenções”, apesar do termino ainda são educados um com o outro e isso gera esperança ( em terceiros intenções).
”Desperdiçando o meu mel
Devagarzinho, flor em flor
Entre os meus inimigos, beija-flor”-ficando com outras pessoas,beijando outras pessoas.

Terceira Parte – ”Eu protegi o teu nome por amor
Em um codinome, Beija-flor
Não responda nunca, meu amor
Pra qualquer um na rua, Beija-flor”-eles nunca desrepeitou ela,nunca usou seu nome em vão e lhe da um conselho de tentar se proteger durante sua vida,agora sozinha.

Quarta Parte- ”Que só eu que podia
Dentro da tua orelha fria
Dizer segredos de liquidificador”- somente ele podia fazer promessas para ela, em seus ouvidos.

Quinta Parte-”Você sonhava acordada
Um jeito de não sentir dor
Prendia o choro e aguava o bom do amor.”- a maneira como ela fazia para não sofrer.

Um relacinameto terminado com muita dor, que mostra a por parte ferida. tentando se adaptar a separação. E a outra parte tentando fazer entender que tudo o que fizer ou pensar, não tem mais volta.Mas ainda há carinho, porque houve amor.

Essa música pode ter varias interpretações, depende do ponto de vista que você vai atribuir. Pode ser de um lado social que uma amizade foi destruida mas porém ficou o respeito e o segredos em cada um.

Qual é a sua interpretação?

-->