Tubi Tupy

4 comentários

Lenine

Eu sou feito de restos de estrelas
Como o corvo, o carvalho e o carvão
As sementes nasceram das cinzas
De uma delas depois da explosão
Sou o índio da estrela veloz e brilhante
O que é forte como o jabuti
O de antes de agora em diante
E o distante galáxias daqui

Canibal tropical, qual o pau
Que dá nome à nação, renasci
Natural, analógico e digital
Libertado astronauta tupi
Eu sou feito do resto de estrelas
Daquelas primeiras, depois da explosão,
Sou semente nascendo das cinzas
Sou o corvo, o carvalho, o carvão

O meu nome é Tupy
Gaykuru
Meu nome é Peri
De Ceci
Eu sou neto de Caramuru
Sou Galdino, Juruna e Raoni

E no Cosmos de onde eu vim
Com a imagem do caos
Me projeto futuro sem fim
Pelo espaço num tour sideral
Minhas roupas estampam em cores
A beleza do caos atual
As misérias e mil esplendores
Do planeta de Neanderthal


4 comments on “Tubi Tupy

  1. felipe coelho disse:

    a primeira estrofe relata como surgiu o indio segundo as lendas indigenas que os proprios contavam mostra na frase “de uma delas depois da explosão” acredito que seja o big bang =p

    segunda estrofe relata “eu acho” rsrs a passagem ao dizer que “renasci” que o india esta presente hoje em dia e que o mundo que via não é como antes devido aos astronautas e astrologos uma especia de comparação e novamente retomas dizendo do que é feito (me enrrolei para explicar)

    terceira estrofe seria historias de guerreiros ou algo parecido na qual o lenine as usou segundo a algumas pesquisar seria herois romanticos relacionados a inspirações de grandes escritores como jose de alencar e oswald de andrade como o guarani e caramuru do personagem diogo alvares correia que deu origem ao municipio de cachoerinha na bahia ^^

    ultima estrofe começa a mostrar como é hoje o indio e como é visto e como se sente que vive em um local muito diferente de como ele vivia antes o caos seria a adaptação que o india teria de fazer para se acomodar no brasil atual …

    me enrrolei um pouco apesar de naum saber muito rsrs so tenho 16 anos e espero ter ajudado alguns a entender a música segundo a minha visão

  2. Mateus Gruber disse:

    A primeira estrofe realmente é história do surgimento segundo os indígenas.A segunda estrofe relata o nova percepção dos indígenas quando tiveram o primeiro contato com o homem branco(eu acho).A Terceira faz alusão a escritores brasileiros como José de Alencar e Oswaldo de Andrade e também a sujeitos históricos Galdino(indígena que lutou pela amazônia)Juruna( primeiro deputado federal brasileiro pertencente a uma tribo indígena) e Raoni(homem indígena morto enquanto dormia no ponto de ônibus,foi morto por estudantes de classe média alta). No quarto ele relata a vida do indígena hoje.

  3. Leandro disse:

    Quando Lenine diz sobre:
    “Eu sou feito de restos de estrelas”
    Ele está provavelmente se referindo as teorias de Carl Sagan (astrônomo)
    E isto se confirma quando ele diz: “Eu sou feito do resto de estrelas
    Daquelas primeiras, depois da explosão” (Que neste caso, é o big bang)
    Carl Sagan dizia que somos feitos do restos de estrelas e pra fechar sem dúvida nenhuma ele diz: “E no Cosmos de onde eu vim” (Cosmos é o nome do livro/série de Carl Sagan).

    No refrão:
    O meu nome é Tupy (Tupi são tribos indígenas)
    Gaykuru (se refere aos Guaicurus, tribo indíginena)
    Meu nome é Peri
    De Ceci (Peri e Ceci são personagens de “O Guarani”, de José de Alencar)
    Eu sou neto de Caramuru (Caramuru foi um português que viveu com índios no Brasil, há um filme com o mesmo nome)
    Sou Galdino (índigena que foi queimado vivo), Juruna (Deputado Indígena) e Raoni (Ativista indigena, andou muito com Sting do The Police)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *