Paciência

20 comentários

Lenine

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
A vida não pára…

Enquanto o tempo
Acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora
Vou na valsa
A vida é tão rara…

Enquanto todo mundo
Espera a cura do mal
E a loucura finge
Que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência…

O mundo vai girando
Cada vez mais veloz
A gente espera do mundo
E o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência…

Será que é tempo
Que lhe falta prá perceber?
Será que temos esse tempo
Prá perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara…

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Mesmo quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não pára
A vida não pára não…

Será que é tempo
Que lhe falta prá perceber?
Será que temos esse tempo
Prá perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara…

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não pára
A vida não pára não…

A vida não pára!…
A vida é tão rara!…


20 comments on “Paciência

  1. Letícia Rojas disse:

    Mesmo quando tudo pede
    Um pouco mais de calma
    Até quando o corpo pede
    Um pouco mais de alma
    A vida não pára… ( Por mais cansado que você esteje, por mais sem esperança, a vida cobra de mais de nós e pensar em ficar em paz é muito dificil, pois o ritimo da vida é muito acelerado ).

    Enquanto o tempo
    Acelera e pede pressa
    Eu me recuso faço hora
    Vou na valsa
    A vida é tão rara… ( Vontade de sentir cada pedaçinho da vida, cada sentimento, tudo que no dia – dia ignoramos )

    Enquanto todo mundo
    Espera a cura do mal
    E a loucura finge
    Que isso tudo é normal
    Eu finjo ter paciência… ( As pessoas estão cada vez dando menos valor a vida e as pequenas coisas, tomadas por trabalho, por falta de esperança, ignoram o sol, as nuvens, como se isso fosse normal por conta da sociedade em que vivemos, cheia de máquinas e tecnologias . É preciso fingir ter paciência, principalmente aqueles se você quer conviver nessa sociedade .)

    O mundo vai girando
    Cada vez mais veloz
    A gente espera do mundo
    E o mundo espera de nós
    Um pouco mais de paciência… ( O mundo esta cada vez em ritimo acelerado, esperamos que o mundo mande um sinal ou ate mesmo que ele não reaja ao mal que fazemos a ele , e o mundo espera o mesmo de nós, um cobra o outro, sem quer atitude de nenhuma das partes . Mas na verdade o que todo mundo quer é paciência que ai no caso é calma )

    Será que é tempo
    Que lhe falta prá perceber?
    Será que temos esse tempo
    Prá perder?
    E quem quer saber?
    A vida é tão rara
    Tão rara… (Será que precisamos de tempo para refletirmos ? ou temos medo de parar pra refletir por não querer perder tempo, achandp que tudo isso é perca de tempo e que não há mais solução ? E todo mundo ignora, já acham que perder tempo é perder um pouco da vida ).

    A vida não pára!…
    A vida é tão rara!… ( E assim continuamos em ritmos acelerados, por achar que a vida é rara demais para darmos um tempo pro mundo , mas na verdade esquecemos do valor real da vida e mudamos o sentido de raridade. )

  2. Lorena disse:

    Perfeito Letícia!!!

  3. refael disse:

    dfvvfedfv
    iul,kmh.
    gjgfkjy

  4. Só pensamos no corpo,esquecemos da alma e ela as vezes pede socorro,precisamos desacelerar,parar olhar ao redor,tem mais gente no planeta ,a vida passa rapido quando percebemos ,já era ,vem arrependimento,e pensamos ,ah ! se eu pudesse começar tudo de novo! Perguntamos :quem amei…quem me seduziu…para quem fui útil…onde gastei todo meu tempo…quanto foi esse tempo…..

  5. Eudes Martins De Oliveira disse:

    Será q temos q ficar dando o valor somente para o que nós? Será q se mudarmos seremos mudados? Será q simplesmente pedir um pouco mais de alma é o suficente? Ou o erro é nosso?

    INTERPRETAÇÕES TIRADAS DE LETÍCIA ROJAS…

  6. João Vitor disse:

    Em nossa sociedade consumista, a corrida dos consumidores é tal que a linha de chega avança mais rápido do que o mais rápido corredor. Esse efeito do capitalismo que torna de certa forma a vida descartável é criticado indiretamente nessa música. Podemos considerar também os efeitos da globalização e dos avanços tecnológicos que fizeram um mundo miojo (tudo tem que ficar pronto em 3 minutos).

  7. Victor lima disse:

    Mesmo quando tudo pede
    Um pouco mais de calma
    Até quando o corpo pede
    Um pouco mais de alma
    A vida não pára…
    ( Quando perdemos o controle de nossas ações, mesmo o corpo pedindo por descanso o tempo não espera para nos recompor)

    Enquanto o tempo
    Acelera e pede pressa
    Eu me recuso faço hora
    Vou na valsa
    A vida é tão rara…
    ( Apesar do tempo ser voraz e exigir que sejamos cada vez menos sensíveis eu não me importo e continuo levando a vida no meu ritmo, afinal a vida é uma só)

    Enquanto todo mundo
    Espera a cura do mal
    E a loucura finge
    Que isso tudo é normal
    Eu finjo ter paciência…
    ( todos esperam que nossos problemas sejam resolvido porém ninguém toma uma atitude, e a sociedade em que vivemos só contribuí para isso e eu finjo não ver)

    O mundo vai girando
    Cada vez mais veloz
    A gente espera do mundo
    E o mundo espera de nós
    Um pouco mais de paciência…
    ( O tempo continua passando sem pudor atropelando sonhos e desejos, continuamos sempre esperando um pelos outros sem ninguém se pronuncia)

    Será que é tempo
    Que lhe falta prá perceber?
    Será que temos esse tempo
    Prá perder?
    E quem quer saber?
    A vida é tão rara
    Tão rara…

    ( Será que ninguém consegue ver? será que a vida vai esperá por nós? quem vai se importa quando morrermos ? a vida é muito frágil)

    A vida não pára!…
    A vida é tão rara!…

    ( Aqui o Lenine fez uso de uma referencia a musica do Cazuza “O tempo não para” não só neste trecho mas em varias partes da musica podemos trocar a palavra Vida por tempo e entendermos facilmente a que ele se refere, justamente o o tempo é a vida, as vezes a vida sabe ser dura com os homem são tantas as dificuldade que acabamos tão preocupados em não perder tempo que esquecemos de encherga que a vida é uma só e que devemos viver cada minuto como se foce o ultimo)

    Paciência é só uma palavra que torna mais comum a vontade do Lenine de aproveitar a Vida!

  8. Álvaro disse:

    Não esqueçam que esse música é de Lenine e Dudu Falção. É preciso dar créditos a ele também.

  9. Antonio Cesar disse:

    Penso que ele fala também sobre o individualismo, do egoísmo, na correria do dia a dia que nos engole, e dificilmente paramos para dar atenção à nós mesmos e aos outros, ” O mundo vai girando cada vez mais veloz” retrata essa correria, onde pessoas não têm tempo para se relacionar como já fez um dia…

  10. Vau Medina disse:

    Acho esta letra muito interessante. Neste mundo em que vivemos, especialmente os meios de comunicação com seus interlocutores, querem passar pra nós a idéia de que as coisas, os acontecimentos devem ser mostrados e vividos de forma munto rápida. Neste sentido entramos numa corrida a qual não temos condições de acompanhar, porque o corpo não aguenta. Por isso tantas doenças e problemas psicossomáticos hoje em dia.
    Devemos sim, sempre ter paciência para viver bem a cada dia, procurando aproveitar e curtir de forma tranquila àquilo que a vida nos oferece, porque ELA É TÃO RARA…

  11. Luiz Brandão disse:

    No mundo atual, quem não está atrasado está querendo ganhar tempo nas correrias da vida…

  12. Gmael Guedes disse:

    Na esteira inexorável da vida atropelamos quase tudo que importa. Esquecemos de olhar para quem nos circunda, esquecemos até de olhar para dentro de nós mesmos, e assim as singularidades de cada momento fogem à nossa percepção. O quão mecânicos ainda somos capazes de nos tornar?

  13. marlene queiroz de menezes disse:

    gostaria da analise da musica Lenine na pespectiva do existencialismo de Kiergaard

    • Júlio Meiro disse:

      Oi, Marlene!
      Podemos dizer que a canção é concebida dentro dessa perspectiva em espetro ético! Um dos pilares do S.k. é o ser que tem consciência e questiona “as exigências absolutas feitas a qualquer pessoa que deseje viver uma existência verdadeiramente autêntica”.

  14. Renilson Ferreira disse:

    Excelentes comentários e colocações! Entretanto, não devemos esquecer de valorizar, também, o código: a língua portuguesa! Vê-se muitos “descuidos”, sérios “deslizes” e “escorregos” no registro dessas mensagens; e isso, sobremaneira, as enfraquece!!!!
    Espero ter contribuído de alguma forma… “A língua é minha pátria…” Viva a Língua Portuguesa (que deveria ser chamada Brasilês!!).

  15. Carlos disse:

    A mídia atual, com a tendência de divulgar músicas descartáveis, me afastaram do rádio e televisão. Ontem, assistindo o ClipeBrasil, escutei a música Paciência – Lenine, e voltei a acreditar que nem tudo está perdido. Belo trabalho.

  16. Júlio Meiro disse:

    Análise da música paciência, Lenine

    Por Givas Demore

    Essa canção é um verdadeiro hino à vida, um belo pedido à criação de consciência por parte de nós seres desse mundo/sociedade.

    “Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
    Até quando o corpo pede um pouco mais de alma, a vida não pára.
    Enquanto o tempo acelera e pede pressa
    Eu me recuso faço hora vou na valsa. A vida é tão rara”

    A vida seguirá seu curso. Você pode estar num dia de extremo cansaço, falta de esperança ou de aceleração, a vida não irá parar ou desacelerar para você descansar e tomar um copo de água. Lenine sabe disso e se recusa a ir assim tão depressa.

    Como lição, compreende-se que, mesmo nessa aceleração, precisamos sentir mais os momentos bons, sentimentos bons, fazer coisas que não são somente para nossa realização pessoal, pois “vida” é um termo coletivo. Todos tem vida. Vida rara é vida bem vivida.

    “Enquanto todo mundo espera a cura do mal
    E a loucura finge que isso tudo é normal
    Eu finjo ter paciência”.

    Estamos tão acostumados com a nossa rotina que acabamos relativizando todas as coisas. Queremos somente a resolução de nossos problemas. A consequência disso não importa.

    É loucura achar que podemos destruir florestas, poluir rios, que a tecnologia é absoluta, que somos máquinas de trabalhar, que o sol existe porque tem que existir, que sou eu, pronto e acabou! O autor diz não ter, mas fingir ter paciência.

    “O mundo vai girando cada vez mais veloz
    A gente espera do mundo e o mundo espera de nós
    Um pouco mais de paciência”.

    Aqui temos uma questão complicada. O mundo espera que consigamos viver em paz conosco mesmo para que ele consiga viver em paz conosco. Esperamos que ele nos agracie com ventos calmos, chuvas brandas, boas colheitas, bons eventos da chamada “natureza”. Falo de mundo no sentido Etimológico, mas também pode ser considerado como sociedade. Dela (a sociedade) esperamos paz e amor, compreensão sem compreender, sem dar paz e amor ao outro.

    O mundo espera de nós um pouco mais de paciência em relação às coisas que fazemos conosco e com ele próprio.

    “Será que é tempo que lhe falta pra perceber?
    Será que temos esse tempo pra perder?
    E quem quer saber? A vida é tão rara. Tão rara”

    Termino com uma paráfrase do próprio Lenine: Será que conseguiremos perceber a tempo? Será que viveremos o bastante para perceber que a vida é rara? A vida é rara e isso significa que precisamos fazer enquanto temos vida. Com melodia calma e expressiva, Lenine nos diz que continuar na aceleração da vida não nos fará perceber o sentido real das coisas. Alguns até sabem desse valor, mas a ausência de preocupação dos demais acaba por sobrepujar essa percepção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.