Somos Quem Podemos Ser

28 comentários

Engenheiros do Hawaii

Um dia me disseram
Que as nuvens
Não eram de algodão
Um dia me disseram
Que os ventos
Às vezes erram a direção
E tudo ficou tão claro
Um intervalo na escuridão
Uma estrela de brilho raro
Um disparo para um coração…

A vida imita o vídeo
Garotos inventam
Um novo inglês
Vivendo num país sedento
Um momento de embriaguez…

Somos quem podemos ser…
Sonhos que podemos ter…

Um dia me disseram
Quem eram os donos
Da situação
Sem querer eles me deram
As chaves que abrem
Essa prisão
E tudo ficou tão claro
O que era raro, ficou comum
Como um dia depois do outro
Como um dia, um dia comum…

A vida imita o vídeo
Garotos inventam
Um novo inglês
Vivendo num país sedento
Um momento de embriaguez…

Somos quem podemos ser…
Sonhos que podemos ter…

Um dia me disseram
Que as nuvens
Não eram de algodão
Sem querer eles me deram
As chaves que abrem
Essa prisão
Quem ocupa o trono
Tem culpa
Quem oculta o crime
Também
Quem duvida da vida
Tem culpa
Quem evita a dúvida
Também tem…

Somos quem podemos ser…
Sonhos que podemos ter…


28 comments on “Somos Quem Podemos Ser

  1. vanessa disse:

    alguém me ajuda?

  2. Jamily Quizzardi Carari disse:

    Somos quem podemos ser
    Engenheiros do Hawaii

  3. Gildasio disse:

    Período histórico social da banda Engenheiros do Hawaii
    Engenheiros do Hawaii surgiu em 1984. Banda formada por alunos do curso de arquitetura da faculdade (UFRGS) do estado Rio Grande do Sul, cidade de Porto Alegre. Integrante Humberto Gessinger, Carlos Stein, Marcelo Pitz e Carlos Maltz. O nome da banda foi uma brincadeira com os alunos do curso de Engenharia.
    O Brasil estava saindo do regime da ditadura militar, regime do qual os Estados Unidos apoiavam desde 1964 quando o Brasil enviou soldados para lutarem na segunda guerra mundial juntamente com os soldados norte americano. O país estava iniciando uma nova fase a da democracia muitas opiniões estavam em formação nesse momento de transição política, muitas bandas estavam podendo em fim catar sua música sem serem reprimidas, a moral ética que ora existirá foi transformada surgindo uma nova sociedade com princípios novos e livres pode-se assim dizer. Em outros países ainda havia ditadores e formas de poder repressivas, isto levava muitas bandas a comporem canções criticando as formas de governo existente no mundo.

  4. Gildasio disse:

    Contexto Sócio Cultural que Influenciou Conteúdo de sua Produção Musical
    A banda Engenheiros do Hawaii então surge em um momento onde podem expressar suas idéias e ideais sem serem reprimidos como foram outros artistas no período da ditadura. Porem mudanças tinham que ocorrer no país para que a democracia realmente pudesse ser respeitada já que muito do passado ainda refletia no presente. Havia outros países que ainda sofriam com seus governos ditatórios e cruéis. E nesse contexto que surge então Engenheiros do Hawaii. Suas musicas fazem criticas a canção “Toda Forma de Poder”, lançada em 1986 no primeiro álbum da banda deixa muito claro como a história ficaria marcada por todas as formas de poder existentes, fala de Pinochet, Fidel e do Fascismo, homens que construíram seus ideais em cima do horror e da desgraça, se não fizermos nada esses ditadores continuaram a existir.
    Outras canções como “Somos quem podemos ser, Infinita Highway, 1987, Terra De Gigantes, 1987, Ouça O Que Eu Digo, Não Ouça Ninguém, 1988, Cidade Em Chamas, 1988, Tribos e Tribunais, O Papa é pop, 1989, continuam a falar da condição social do povo não só no nosso pais, mas também em muitos outros, seguindo o exemplo de outras bandas estrangeiras ou seja, Engenheiros do Hawaii tem em seu estilo musical influencias estrangeira muito forte, e uma banda com um olhar para o mundo que vivem mas também voltado para planeta em si, jornais americanos como New York Times publicaram matérias elogiando suas músicas, enquanto no Brasil o grupo tinha pouca aceitação de suas canções, sendo que esta visão muda depois de algum tempo.
    Engenheiros do Hawaii na atualidade
    Engenheiros do Hawaii na atualidade não esta na ativa mas prometem voltar a fazer shows ainda este ano, com o passar do tempo poderíamos dizer que eles não mudaram muito seu estilo de composição musical vivem em um contexto diferenciado o que os levaram a inovar assim como as bandas que os influenciaram no início de carreira, seu ultimo álbum foi lançado em 2003 as musicas são na sua maioria regravação de sucessos anteriores.

  5. Lauanda disse:

    A música faz um crítica à sociedade, à política, á luta a favor de direitos do cidadão, ao tempo em que se leva para conquistar os direitos humanos, em se tratando do direito ao voto, que foi um obstáculo alcançado pelos homens; A letra da música é ótima para ser explorada e refletida hoje em dia.

  6. sabrina disse:

    amei deu ate pra mim responder meu trabalho!

  7. Ethiane Marques disse:

    A gostei muito minha professora passou este testo hoje em sala de aula pra jente fazer um trabalho gostei do testo parabens me deixa recados no orkut ta

  8. Sandro disse:

    Me parece que essa música fala da perda da inocência, do amadurecimento, da passagem da adolescência (quando se pensa ser capaz de tudo) para a idade adulta (quando certas imposições da vida nos obrigam a tomar rumos diferentes dos sonhados até então). Portanto ele diz que somos quem podemos ser, com os sonhos que podemos ter, ou seja, que fazemos o melhor possível para manter vivos nossos sonhos diante das dificuldades que a realidade nos apresenta.

  9. Klérik disse:

    Como cada leitor pode ter uma interpretação de acordo com o seu conhecimento adquirido anteriormente, a minha é a seguinte: Como Sandro falou a música fala da perda da inocência, mas quando se fala em inocência levando em consideração o que encontramos nesta música, não se deve pensar apenas em inocência de criança quanto a sexualidade e problemas do país ou da família, mas sim em inocência quanto ao real objetivo do sistema em que se vive. Em nosso caso, no capitalismo. A educação pública do nosso sistema concede a nós uma oferta desigual do saber visando uma sociedade desigual, dividida, na qual haverão classes de trabalhadores brigando entre si para chegar ao ‘topo da pirâmide capitalista’ chamada classe A onde na mesma não existem vagas para todos. Ao dizer que quem ocupa o trono tem culpa, não é de um rei de um país distante que Gessinger canta, mas do nosso presidente da republica por manter as coisas como estão. Ao dizer que quem evita a dúvida também tem (culpa) ele canta sobre todos os aparelhos ideológicos do Estado que tenta nos fazer acreditar que a vida não está ruim e que se há problemas eles ao menos tem a intenção de saná-los. Acho legal o fato da construção da metáfora e do real sentido da música não se encontrar tão explicito pq só assim eles poderiam mostrar todo esse talento poético, no entanto sinto a mensagem não poder ter sido mais clara ou explícita devido traços de um regime autoritário em nosso país.

    Espero ter ajudado…

  10. vanessa disse:

    Os comentarios,me ajudou muito . pois estou estudando para o vestibular, e procuro quem entende de interpretaçao de texto …valeu me ajudou muito !!!!!

  11. Renato Lopes disse:

    Esta música é um retrato de uma experiência vivida pelo personagem-narrador (1ª pessoa do discurso), fato que rompeu completamente com o momento anterior a ele, e descortinou à sua frente novos tempos. Trata-se nitidamente da compreensão do mundo que o narrador possui (Um dia me disseram
    Que as nuvens
    Não eram de algodão
    Um dia me disseram
    Que os ventos
    Às vezes erram a direção). observe como o narrador via, até então, o mundo ao seu redor diferente do que realmente era. as verdades dele eram repletas de fantasias, pois ele se encontrava alienado do mundo que de fato vivia.
    entretanto, ao saber a verdade e olhar para esse mundo novo no qual sempre esteve mas que só agora conheceu, ele nota o quanto esteve enganado, e aprecia com admiração o que apenas agora consegue ver (E tudo ficou tão claro
    Um intervalo na escuridão
    Uma estrela de brilho raro
    Um disparo para um coração…). entenda escuridão como o mundo de fantasias, entenda estrela de brilho raro como o conhecimento do real.

    A vida imita o vídeo
    Garotos inventam
    Um novo inglês
    Vivendo num país sedento
    Um momento de embriaguez…

    neste trecho o narrador faz reflexões sobre as suas descobertas.
    1 – a TV não imita a vida como faz a arte; crença fantasiosa que possuia. antes, ela a modifica e a recria à sua maneira; a TV/video manipula.

    2 – em um país com enormes problemas sociais, as pessoas se prendem a estrangeirismos que em nada contribuem no enfrentamento do que está ao redor; entenda inventar um novo inglês como balbuciar um idioma que não conhecem. ou seja, ignoram a própria miséria pela cultura estrangeira; um país “colonizado”.

    OBS: mesmo que denunciem as mazelas da sociedade, os artístas nacionais são ignorados pela sua própria gente, trocados por uma cultura externa que preza pela supressão da razão e supremacia da sensibidade.

    Esta música é um retrato da condição social Brasileira, que justificada por aparatos ideológicos, é oprimida (“As chaves que abrem
    Essa prisão”) ao ponto de amar a própria servidão (Garotos inventam
    Um novo inglês
    Vivendo num país sedento
    Um momento de embriaguez).

  12. marcelo corsam disse:

    é um abrir de olhos pra uma nova realidade uma nova condição ..mais tem um lado q é de exatidão quando ele fala ‘somos quem podemos ser’:é pq antes não se podia ser quem se é hoje ..então eu vejo q o autor fez uma crita a ele mesmo visto ele não via o mundo como ele é ..uma linda letra com o sarcasmo marcante do humberto gessinger.. by

  13. Douglas R Benedetti disse:

    Gostei da analise numero 2.
    só quero fazer um complemento.
    Humberto coloca dento de suas varias musicas questoes sociais, criticas fieis contra a realidade do pais em seus varios contrastes da sociedade brasileira.Ele é um revulucionario.

    Uma parte desta musica que eu fiquei matutando foi : ” quem ocupa o trono tem culpa, quem oculta o crime tambem, quem duvida da vida tem culpa quem evita a duvida tambem tem … ”

    Esta parte me chamou bastante atençao . No meu intendimento ele coloca a realidade da populaçao. “Quem o culpa o trono tem culpa.” seria os grandes poderosos donos de industrias, pessoas de grande poder e influencias.
    “Quem oculta o crime tambem …”
    Seria a grande midia(TV) detentores dos poderes de comunicaçao e com influencia direta nas massas populares. A TV aliena nossos pensamentos e nos entope de bobagens e chamam isso de entreterimento. Enquanto o pais enfermo trabalha encansavelmente para para sombra, agua fresca e suas infinitas ostetassoes . (PAO E CIRCO)

    “quem duvida da vida tem culpa … ”

    Quem nao corre atras para sair dessa mediocridade desde o nascimento ja imposta.

    “Quem evita a duvida tambem tem ”

    Quem conhese a realidade onde vivemos, pessoas de nivel intelectual mas avançado, mas porem pessoas fracas de esperioto e goistas que evitam a duvida(conhecimento) do proximo.

    gugabenedetti@hotmail.com (Mercham)

  14. by. paty disse:

    amei , estou estudando para passar no vestibular e esses comentários ajudou e muito na minha análise dessa música.

  15. Leonardo Lima disse:

    Na minha humilde opinião Humberto teve uma visão que lhe foi alcançada , visão real , simples e sem rodeios , a ideia de que você é o que almeja ser , e que nos encontramos e nos conhecemos realmente quando temos algum objetivo e focamos nele com amor e determinação assim você se tornará o que é de verdade ou que Deus queria que fosse.

  16. Bianca Tolêdo disse:

    Gostei muito de toda a análise,me ajudaram bastante,a compreender a letra da musica.

  17. Rodolfo disse:

    Sou fã de Engenheiros, e digo que suas músicas, nenhuma se refere a política, mas somente a ataques à religião cristã eclesial, todas as músicas citicam a religião – não Jesus, sua pessoa ou seus ensinamentos (até acredito que sejam cristãos) mas ataques a igrejas cristãs PRINCIPALMENTE A CATÓLICA ROMANA que é a centro de todas. Esse é o princiapl foco de ataques de muitos artistas de todos os estilos de músicas do samba de Ruth Carvalho, por exemplo ao Metal. Por que a religião? Paulo Coelho definiu muito bem a religião, em entrevista a globo news – “GRUPO DE HOMENS QUE GUARDAM O MESMO SEGREDO”. Quais são esses segredos ? Não posso resolver todos os seus problemas…rsrsrsrs.

  18. Rodolfo disse:

    …desculpe, cantora do samba Beth carvalho…

  19. elvis cleiton disse:

    quanto ouço essa música vejo a nitidamente as faces da ignorância e ingenuidade sendo destruídas pela tomada da consciência de uma realidade que era ocultada por várias formar de alienação, como a tv e os discursos políticos inflamados.

  20. carnificina disse:

    esquece a politica. é uma critica a alienação religiosa. só isso.

  21. Bia Cunha disse:

    “Um dia me disseram
    Que as nuvens
    Não eram de algodão
    Sem querer eles me deram
    As chaves que abrem
    Essa prisão”

    esse verso fala sobre como o conhecimento é a chave para a verdade (o escape da alienação).

    “Quem ocupa o trono
    Tem culpa
    Quem oculta o crime
    Também
    Quem duvida da vida
    Tem culpa
    Quem evita a dúvida
    Também tem…”

    Se formos pensar que essa musica é uma critica a religião(catolica, por exemplo). Esse trecho se encaixa perfeitaamente, pois muitas vezes o religioso alienado evita suas duvidas por ser impedido de pensar por si proprio, ou por terem dito para ele que nao se questiona as “coisas” de Deus faz, que é errado. E ele mesmo fecha os olhos para as suas duvidas, em vez de tentar solucionar elas e “mudar o mundo”. Nao sei se é isso mas nessa parte: “Quem oculta o crime
    Também(tem culpa)” são os segredos que a igreja tem, ou o padre que nao pode contar o crime que o confessor cometeu. Sendo assim, quem ocupa o trono (superior) tem culpa, pois ele faz parte do esquema todo.

    Essa foi uma das minhas conclusoes, tambem achei que essa musica pode ser uma critica a politica. Espero ter conseguido explicar uma metadinha do que eu interpretei. Espero ter ajudado

  22. Mariana Maia disse:

    Caramba,acredito que o Rodolfo foi um tanto infeliz ao dizer que nao existe nenhuma musica do engahaw relacionado à politica(pois a religião por si só se utiliza e sempre foi interligada aos próprios sistemas vigentes de cada época) …sou uma fã assídua de HG e te digo que muitas musicas remetem a politica sim!
    A citar as melhores:a violencia travestida faz seu trottoir,muros e grades,tribos&tribunais,chuva de containers,a conquista do espaço,3°do plural,ouca oq digo nao ouca ninguem,fusao a frio, cidade em chamas,coracao blindado,anoiteceu em porto alegre,dancando no cmapo minado,cronica…(vou parar senao nao termino nunca,é muito vasta a riqueza de boas musicas,ou melhor,bons albuns!)

  23. Guilherme Silva disse:

    A música é sobre amadurecimento, conhecimento do que até então se ignorava, de se constatar que por mais que a gente aprenda, seremos limitados por aquilo que desconhecemos, “somos o que podemos ser”.

    A brilhante parte final diz sobre a culpa de quem está a frente do poder, “ocupa o trono”. Quando as coisas dão errado, não adianta dizer “eu não sei de nada”, não é mesmo?
    “Quem oculta o crime” é quem esconde a verdade, não deixa ela ser revelada, as vezes julgando fazer isso por um bem maior. Claramente podemos ver a censura sendo ilustrada nessa parte.
    Duvidar da vida é próprio dos pessimistas, e o pessimismo de fato nada produz, além disso só faz piorar uma situação que já é ruim.
    Quem evita a duvida não aceita que o que está estabelecido seja mudado, e sendo assim não se evolui ou pelo menos não se é permitido viver e pensar a vida de uma forma diferente.

    E gosto quando nas versões ao vivo o Humberto completa “mas quem não tem?”, pois definitivamente todos acabamos tendo um pouco de culpa, em algum momento. Mas no final, de qualquer maneira, somos quem podemos ser, dentro dos sonhos que nós temos.

  24. Mateus C. disse:

    Boa tarde! Então, quando ele começa a música com “Um dia me disseram Que as nuvens…” a partir daí notamos que ele quis dizer que ele era uma pessoa “ignorante” , mas então disseram a ele que aquilo que ele smp acreditou era uma mentira , então ele saiu da ignorância. Então ele começa a ganhar conhecimento e esclarece ” E tudo ficou tão claro e o que era raro ficou comum…” isso assemelha-se muito a uma criança que entra na escola sem conhecimento algum e depois que sai, adquire um conhecimento todo sobre a vida, as verdades. A partir daí o próprio individuo tem suas interpretações, mas mesmo assim essa pessoa continua ganhando conhecimento e sendo responsável pelos seus atos “Um dia me disseram
    Quem eram os donos
    Da situação
    Sem querer eles me deram
    As chaves que abrem
    Essa prisão”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *