3o do Plural

35 comentários

Engenheiros do Hawaii

Corrida pra vender cigarro
Cigarro pra vender remédio
Remédio pra curar a tosse
Tossir,cuspir,jogar pra fora
Corrida pra vender os carros
Pneu,cerveja e gasolina
Cabeça pra usar boné
E professar a fé de quem patrocina

Eles querem te vender, eles querem te comprar
Querem te matar de rir…querem te fazer chorar
Quem são eles?
Quem eles pensam que são? 4x

Corrida contra o relógio
Silicone contra a gravidade
Dedo no gatilho,velocidade
Quem mente antes diz a verdade
Satisfação garantida
Obsolecência programada
Eles ganham a corrida antes mesmo da largada

Eles querem te vender, eles querem te comprar
Querem te matar a sede, eles querem te sedar
Quem são eles?
Quem eles pensam que são? 4x

Vender…comprar…vedar os olhos
Jogar a rede contra a parede
Querem te deixar com sede
Não querem nos deixar pensar
Quem são eles?
Quem eles pensam que são?


35 comments on “3o do Plural

  1. jair disse:

    terceira pessoa do plural,eh uma critica aos anuncios,propagandas,que aparecde em em toda midia,onde muitas veses ,as pessoas deixam se levar por uma propaganda bem bolada,incentivando assim o consumo desinfreado de um determinado produto

  2. Mara disse:

    Mas o q ele quer dizer qund diz: ” Quem mente antes diz a verdade”??

  3. Júlia disse:

    No meu ponto de vista, Eles (no caso, terceira pessoa do plural) se refere ao nosso sistema vigente: o capitalismo. Com sua corrida para sustentar o consumismo acaba distorcendo alguns valores e tratando o ser humano como meros fantoches, sempre querendo manipular, manobrar e levá-los ao principal objetivo: consumir para movimentar a máquina capitalista.
    “Corrida pra comprar cigarro, cigarro pra vender remédio.” Estimulam a venda do cigarro, mesmo sabendo que é prejudicial, mas a doença é necessária para movimentar a indústria farmacêutica.
    Essa é a lógica do sistema, corrida para vender tudo o que “eles” colocam na nossa mente o que julgam necessário, e que muitas vezes podemos viver sem.
    “Eles querem te vender, eles querem te comprar” trata o indivíduo como uma mercadoria, sempre alienando.
    “Silicone contra a gravidade” A mídia dita o que está na moda, criando um padrão de beleza que deve ser seguido por todos, sempre pensando na venda e no lucro, sem respeitar a individualidade e necessidade de cada um.
    “Satisfação garantida” fazem de tudo para atender às necessidades, sempre com um preço
    “Obsolescência programada” coloca-se um “prazo de validade” em tudo. O carro deve ser do ano, o celular deve ser o mais moderno, pequenas modificações, uma de cada vez, para garantir que cada demanda seja comprada e descartada no mesmo momento.
    “querem te matar (a sede) eles querem te sedar”. Te deixar com sede de consumopara matar a sua sede, satisfazendo o seu desejo, sempre te sedando, te alienando, vendando os seus olhos.
    “Não querem nos deiixar pensar” afinal, o pensamento crítico torna a pessoa mais questionadora. E para quê questionar? Basta comprar…
    O silêncio da ignorância é necessário.
    E, afinal, quem eles pensam que são?

  4. Fernanda Libório disse:

    O comentário da Júlia foi excelente, e para mim se trata, realmente, do sistema capitalista. O verso:”Obsolencência programada” mostra a veracidade de tal sistema: tudo é programado para cair em desuso, para que assim possam vender mais um novo produto e consequentemente garar um novo lucro, que é a base do capitalismo. Enfim, não é preciso comentar nada mais, pois o comentário acima já disse tudo!
    Abraço!

  5. Lucas disse:

    Em resposta à indgação de Mara, vejo este trecho como a corrida comercial, onde quem lança primeiro vende mais, afinal, uma resposta ainda que mentirosa é melhor que nenhuma

  6. Dalva Marques disse:

    Excelentes interpretações!É importante destacar também o encadeamento de frases: corrida pra vender cigarro/ cigarro pra…, lembrando o que diz a propaganda do novo dobló: uma coisa leva a outra (o espírito da linguagem apelativa publicitária criando o círculo vicioso do consumo).

  7. Rodrigo disse:

    Nossa!Todos esses comentários me ajudaram muito a acordar para o mundo e buscar questionar tudo oque me cerca.Sou criança ainda, mas, sempre procuro buscar esses tipos de comentarios e interpretações para sempre buscar melhorar minha vida e meu parecer critíco. Muito obrigado pelos comentários.

  8. Lucas disse:

    No meu ponto de vista essa é uma forte critica a alienação no consumo que deixa agente cada vez mais cegos.comprar o filme da moda, a roupa de todas as vitrines fazendo-nos achar confortaveis quando na verdade somos apenas fantoches da midia.

  9. Thani disse:

    Concordo com a Júlia, “Eles” são o Sistema Capitalista, que se sustenta sobre uma super-estrutura, como a mídia e o Estado. Mas, o consumismo não é sustentado, ele sustenta o Capitalismo. É ele que garante da mercadoria em dinheir, do dinheiro em mais mercadoria para ter mais dinheiro…

    “Remédio pra curar a tosse
    Tossir,cuspir,jogar pra fora”
    Tossir, cuspir e jogar para fora seria libertar-se das opressões do sistema (por exemplo, dentro do sistema capitalista, homossexuais não são “bons” porque não reproduzem força de trabalho – seres humanos, por isso, são oprimidos, discriminados) e tantas outras coisas que sofremos diariamente, por não se encaixar com o que está imposto pelo sistema.

    O remédio para curar essa tosse é o consumismo que, além de te fazer gastar, te “acalma”, fazendo com que se mantenha calada(o).

    “E professar a fé de quem patrocina” me fala muito dos professores que nos preparam para adentrar ao mercado de trabalho: preparam uma juventude inteira para fazer vestibular, sendo que menos de 10% cursará ensino superior e o restante todo vai ficar se achando um lixo porque não estudou o suficiente… e se todos estudassem tanto que gabaritassem todas as provas? NÃO TEM VAGAS PARA TODOS OS JOVENS NA UNIVERSIDADE.

    Em suma, a música fala muito do consumismo, mas isso é apenas a superfície. Ela é uma crítica a todo o Sistema capitalista em que “eles” exploram todo o resto. Ou seja, quem trabalha sempre entrega a riqueza produzida à terceira pessoa.

    Aí é que entra o
    “Quem são eles?
    Quem eles pensam que são?”

    ou seja: quem eles realmente são e quem eles nos fazem crer que são… E aí, “eles” são quem te oprime, quem te explora, quem acaba com teus sonhos e te faz pensar que é só mais um e que não é tu quem constrói a História.
    Segue um link sobre isso: http://1.bp.blogspot.com/_UZPgAmw8bww/TNS4KrdDOgI/AAAAAAAABgw/pZPcFbosCx8/s1600/sacou1.gif

  10. Thani disse:

    E, “quem mente antes diz a verdade” pode se referir a muita coisa.
    Pode se referir à ciência, que vêm sendo colocada como verdade absoluta como já o foi inquestionavelmente a Igreja.
    Pode se referir à História, que torna-se verdade da maneira que é contada, sem levar em consideração que ninguém simplesmente relata nada, sem deixar de enfatizar mais ou menos certos fatos ou aspectos que induzem as opiniões.
    Ou pode ser uma provocação, questionando se não somos muito apegados à verdade quando ela, de fato, não existe.

  11. ALLSION disse:

    fala da midia em si como ela tem o poder de dominar a gente ex: querem nos matar de rir querem nos fazer chorar

  12. PC disse:

    Eu parabenizo a Júlia por sua boa interpretação da música, porém discordo dela em dois pontos.Primeiro, por incrível que pareça, o sistema vigente é o socialismo.Quando se fala em socialismo, a maioria das pessoas pensam que não há desigualdade social, que não há atividades financeiras, e isto é um ENGANO. Primeiro que o capitalismo é algo natural do ser humano, toda a humanidade foi capitalista e continua sendo, seja na antiga URSS, ou até mesmo em Cuba. O detalhe é que o socialismo impõe outras regras para o capitalismo, de forma que o governo concentre a maior parte da renda, e consequentemente fique tão poderoso, que seja capaz de controlar sociedades inteiras. E é justamente isto o que acontece no mundo.Eles sempre utilizam a mesma artimanha, repetem uma mentira tantas vezes até que ela se torne uma verdade.Não foi isto que aconteceu na Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial? E adivinha qual era o verdadeiro nome do Partido Nazista? Nacional socialista.Isto porque de fato, o nazista era um governo socialista. Mais engraçado que isto é que Marx já havia dito que para aplicar o socialismo em um país seria necessário repetir uma mentira várias até seu povo achar que isto é uma verdade. O mesmo vem ocorrendo agora com este tal de “aquecimento Global”, com os malefícios do fumo, viu Júlia? Não há nada comprovado cientificamente sobre os malefícios do cigarro, com a teoria da evolução que apresenta um monte de falhas, entre outros assuntos totalmente inventados e que achamos estar totalmente corretos. Para finalizar quero dizer que os integrantes da ex KGB e a família RockFeller(os donos da emissora Rede Globo) são algumas das pessoas que compõem a terceira pessoa do plural à quem a musica se refere.

  13. PC disse:

    Parabenizo a Júlia por sua boa interpretação da música, porém discordo dela em dois pontos.Primeiro, por incrível que pareça, o sistema vigente é o socialismo.Quando se fala em socialismo, a maioria das pessoas pensam que não há desigualdade social, que não há atividades financeiras, e isto é um ENGANO. Primeiro que o capitalismo é algo natural do ser humano, toda a humanidade foi capitalista e continua sendo, seja na antiga URSS, ou até mesmo em Cuba. O detalhe é que o socialismo impõe outras regras para o capitalismo, de forma que o governo concentre a maior parte da renda, e consequentemente fique tão poderoso, que seja capaz de controlar sociedades inteiras. E é justamente isto o que acontece no mundo.Eles sempre utilizam a mesma artimanha, repetem uma mentira tantas vezes até que ela se torne uma verdade.Não foi isto que aconteceu na Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial? E adivinha qual era o verdadeiro nome do Partido Nazista? Nacional socialista.Isto porque de fato, o nazista era um governo socialista. Mais engraçado que isto é que Marx já havia dito que para aplicar o socialismo em um país seria necessário repetir uma mentira várias até seu povo achar que isto é uma verdade. O mesmo vem ocorrendo agora com este tal de “aquecimento Global”, com os malefícios do fumo, viu Júlia? Não há nada comprovado cientificamente sobre os malefícios do cigarro, com a teoria da evolução que apresenta um monte de falhas, entre outros assuntos totalmente inventados e que achamos estar totalmente corretos. Para finalizar quero dizer que os integrantes da ex KGB e a família RockFeller(os donos da emissora Rede Globo) são algumas das pessoas que compõem a terceira pessoa do plural à quem a musica se refere.

  14. Rafa Inácio disse:

    A música retrata o caos que todo o sistama capitalista faz em nossas vidas. Tudo é milimetricamente programado pra que não consigamos fugir. Eles vendem pra vender, independentemente se isso causará algum mal ou afetará as pessoas. Vendem cigarro pra vender remédio; vendem carros, mas além de tudo pensam em coisas que ele necessitará e que, consequentemente, terá que comprar mais; cabeça pra usar boné, apenas. Quem mente antes diz a verdade porque aquilo que vem antes as pessoas aceitam. Obsolescência que diariamente acontece, inovações, coisas que fazem com que as pessoas tenham que comprar os mais novos e mais tecnológicos. Mais uma pra nossa história.

         Visitem: http://www.fotolog.com.br/music_webelieve

  15. josefilho disse:

    Acho que ela fala do marketing, do conjunto de estratégias que as empresas usam para atrair as pessoas ao seu produto, levando em conta cada desejo e necessidade dos diferentes públicos alvo.

  16. dante disse:

    essa musica e mais uma alerta, para as pessoas que o produto não e o que esta a pratilheira, mais sim as pessoas… que consomem vendendo sua vida para quem não tem dinheiro para comprar(eles querem te vender eles querem te comprar querem te matar de rir querem te fazer chorar) mas se não fosse a mente tão fraca das pessoas as empresas nunca cresceriam…
    corrida para vender cigarro… você fica doente
    cigarro pra vender remédio… procura a cura
    remedido pra curar a tosse… já e dependente
    tossir cuspir jogar pra fora… esta quase morrendo…
    corrida pra vender os carros… ta se achando heim
    pneu cerveja e gasolina… gasta tudo o que tem a troco de nada. se divertir não e divertir os outros
    se divertir e esta no outro dia feliz e poder contar mais feliz ainda… por ter sido fantástico… cabeça pra usar boné… tem gente que não sabe mesmo o que faz só tem cabeça pra usar boné… e professar a fé de quem patrocina
    você sabe qual a causa de quem usa boné demais…
    não tem cura… comece a usar, e vai usar a vida inteira…
    quem mente antes DIS a verdade… mentira não existe, existe pessoas que acreditam nela…

  17. Elisa disse:

    Gosto muito dessa música. Analisando a letra, podemos depreender que se trata mesmo de uma crítica ao consumismo desenfreado, no qual o que mais vale é comprar, acumular, jogar fora e comprar de novo. Mas confesso que fiquei ainda mais arrepiada ao ver o clip, pois é inserida uma nova crítica: à polícia repressiva. Logo, no clip, “Eles” ganham uma nova conotação. Não são mais os grandes centros capitalistas que induzem ao consumo, mas sim aos policiais, À força repressiva desnecessária, já que o clip mostra uma festa muito bem badalada da qual os policiais já tinham conhecimento. A tarefa deles era acabar com a festa, mas o que se pode ver é o prazer com que fazem isso, quebrando tudo, rasgando as roupas das mulheres, apontando armas mortíferas,causando terror. Enfim, gosto tanto da múscia quanto do clip. Nos faz refletir sobre a vida:Quem manda e quem obedece.

  18. paulo disse:

    Acho a musica e a melhor do engenheiros e sei que ela fala sobre que os patrocinadores estão nos fazendo uma lavagem selebral. Antigamente não existia como deixar partes intimas contra a lei da gravidade (cilicone contra a gravidade) hoje em dia pode ter mais de 100 anos que a pessoa tem bumbum em dia.Corrida significa concorrencia tentam sempre nos comprar com comerciais bonitinhos para falar de dinheiro ou coca cola (Itau)(coca cola no natal etc).

  19. LF disse:

    A música fala principalmente do “capitalismo selvagem”, onde a sociedade se move a partir das grandes indústrias que retém de todo o poder, e não se importam com o bem social, apenas em produzir cada vez mais e vender cada vez mais para o acúmulo de mais capital e de mais poder e, através da propaganda, criam “necessidades desnecessárias”, fazendo com que as pessoas fiquem com sede de comprar e acabar fazendo exatamente o que eles querem,e para que continuamos sendo simples robôs da sociedade de consumo.
    No clipe há uma comparação desse nosso capitalismo com o nazismo, regime fascista, baseado na repressão ao povo e ao poder total do governo sobre a sociedade, já que no clipe, no fim da festa, Skinheads – neo-nazistas – invadem a casa reprimindo-os através da força bruta.

  20. bruno disse:

    a música dos engenheiros do hawaii é um critica as grandes industrias , que nao se importam com o bem social e sim com os lucros que iram receber. atraves das propagandas eles criam necessidades desnecessárias fazendo a sociedade comprar seus produtos.

  21. ariston disse:

    tudo ai ta certo, sou p´rofessor e vcs tiraram 10

  22. lukas disse:

    acho q ele esta falando da midia, das grandes industrias q querem nos manimular !!!!

  23. piraí disse:

    “Quem mente antes diz a verdade” Eu vejo assim: Você passa por alguém na rua, e por algum motivo resolve agredir o cara, então dá uma porrada nele, que para se defender dá outra em você, vocês lutam, mais você bate muito mais nele. Daí cada um vai para um lado, e você estrategicamente, procura uma DP, registra uma ocorrência dizendo que o cara te bateu, e que você lutou e conseguiu fugir. Se não tiver ninguém para testemunhar a favor do cara, provavelmente, ele será preso mesmo que diga toda a verdade.
    Exemplificando conforme a musica; outro dia, vi na televisão uma propaganda de maionese, afirmando com base nas taxas de calorias, que é muito mais saudável consumir uma colher de maionese do que uma colher de azeite. Com certeza a maioria dos que viram, devem estar acreditando nisso.

  24. Key disse:

    A musica inteira faz alusão ao capitalismo.

  25. Leonardo disse:

    “Obsolescência programada. Eles ganham a corrida. Antes mesmo da largada.” Obsolescência programada é quando se reduz a capacidade de duração de um produto para que venda os mais modernos rapidamente, planejam assim o envelhecimento de um produto. Então interpreto que com a frase “Eles ganham a corrida, antes mesmo da largada” ele diz que mesmo antes de comprarmos os produtos, eles já estão a frente pois o capitalismo já esta implantado e proporcionado pela obsolescência programada.

  26. Jheyzon disse:

    essa musica se resume nos luminartes
    quem são eles?
    eles querem te vender, eles querem te comprar.

    os luminartes é a familia mais rica do mundo. eles patrocinam governantes nacionais são os que patrocinara o ritler na destruição.

    tudo isso visando o capitalismo, eles ganham a corrida antes mesmo da largada,

    eles são LUMINARTES.

  27. Mariana disse:

    eu achava que era Iluminati,mas tudo bem….HEHEUEHEEHUEHEUEHE

  28. Matheus disse:

    Até hj não entendi o título da música. Alguém pode me explicar?

  29. Murilo Papa disse:

    Na verdade eu venho interpretando essa música de forma diferente de vocês.
    Acredito que ela fala sobre a carreira do Ayrton Senna e sobre como a vida dele refletia o momento que o Brasil passava (e ainda passa) com a mídia.
    Vamos a uma análise mais detalhada:
    “Corrida pra vender cigarro” – Pra quem lembra a maioria das vitórias do Senna foram no carro da Mclaren com a grande logo Malboro.
    “Corrida pra vender os carros, pneu, cerveja e gasolina” – Uma alusão clara a fórmula 1
    “Cabeça pra usar boné e professar a fé de quem patrocina” – Mais uma vez aqui fica claro que estamos falando da fórmula 1 e sobre a corrida das marcas.
    “Corrida contra o relógio” – Aqui o autor lembra daquela corrida treino que define o podium de largada.
    “Silicone contra a gravidade” – Senna tinha “fama” de mulherengo, não esqueçam que ele namorava a Galisteu antes do acidente.
    “Dedo no gatilho, velocidade” – Alguém ainda dúvida que estamos falando de corrida?
    “Quem mente antes diz a verdade” – Nesse ponto precisamos observar a fórmula 1 e toda a política por trás, acompanhando a carreira do Senna você pode perceber o quanto o esporte é osbcuro e cheio de mentiras e verdades por trás dos panos.
    “Obsolecência programada. Eles ganham a corrida antes mesmo da largada” – Esse ponto é muito importante, no ano anterior a morte do Senna tivemos uma fórmula 1 dominada por computadores que corriam as corridas sozinhos principalmente pela Williams-Renault. Ao final do ano a Williams contratou Senna e esses programas foram proibidos, portando o último ano de Senna foi quando os programas tinham acabado de ser proibidos (inclusive foi um ano de reajuste nos carros que custou a vida do nosso herói).
    “Vender…comprar…vedar os olhos, Jogar a rede contra a parede” – Aqui está nosso ponto final da história, Senna fatalmente bate seu carro que por uma falha técnica literalmente é jogado contra a parade ao final da curva(a qual ele queria que tivessem pneus por segurança, mas isso foi vetado) e infelizmente vem a falecer.

    De um modo geral, concordo que a música fala sobre a corrida das marcas para vender e ter lucros absurdos em cima do povo, mas de uma certa forma a música fala também de um dos maiores heróis do povo Brasileiro e sobre a relação de como nós entregamos nosso herói (comprando das marcas) ao circo que eles montaram de entretenimento. Por tanto o Gessinger foi muito esperto e jogou com uma carta de duas faces na música quase toda.

  30. joyce disse:

    o nome da musica 3ª do plural deve ser uma referencia a terceira pessoa do plural na conjucação verbal o pronome “eles” citado diversas vezes na canção.

  31. Jorge disse:

    De forma muito simples: OBSOLESCÊNCIA PROGRAMADA!
    “Eles (3ª do plural), os grandes donos de industria e comércio”.
    QUEM MENTE ANTES DIZ A VERDADE: Capitalismo puro, bolsa de valores gente!!!

  32. Daniele Broch disse:

    engenheiros do havaii é umas das grandes industrias,que não se importam com o bem social,explique?

  33. Leandro Moreira Alvim disse:

    A canção 3ª do plural, do compositor Humberto Gessinger – Engenheiros do Hawaii, nos apresenta uma crítica sobre a influência que os meios de comunicação em massa exercem sobre a sociedade.
    Em sua primeira estrofe, a canção enuncia o ciclo de consumismo ao qual estamos expostos: “Corrida para vender cigarro/ Cigarro pra vender remédio/ Remédio pra curar a tosse/ Tossir, cuspir, jogar pra fora”. Essa maneira a qual estamos suscetíveis ao convencimento de que é preciso consumir produtos, nos leva a comportarmos quase patológicos, patologia que é colocada na canção oportunamente em forma sintomática de acordo com o último verso da primeira estrofe. No decorrer da segunda estrofe nos deparamos com o controle intelectual da mídia sobre nós, apresentado com os seguintes versos: “Cabeça pra usar boné/ E professar a fé de quem patrocina”. Este boné/produto nos reveste a cabeça/pensamento a fim de orientar o que devemos usar, a marca que devemos usar.
    Aprofundando as afirmações acerca do controle exercido, pela mídia e o interesse capitalista, sobre a sociedade, na quarta estrofe o compositor aponta, de maneira sarcástica, para os valores estéticos que nos são impostos: “Silicone contra a gravidade”. Tentando assim condicionar o pensamento de toda a sociedade ao que é belo ou não.
    Na exposição mais contundente e direta sobre o estado alienado que a sociedade se encontra, a penúltima estrofe diz em seus dois últimos versos: “Querem te deixar com sede/ Não querem te deixar pensar”. Nessa passagem a coerção está evidenciada com as afirmações que “eles” querem controlar nossas vontades, mas que para isso não podem nos deixar pensar, ou seja, transferem nossa capacidade reflexiva para “eles” próprios.
    Destarte, percebemos a existência de duas questões presentes na canção que nos leva a questionar: “Quem são eles/ Quem eles pensam que são? com o objetivo de nos fazer investigar/refletir sobre a validade dessas influências, com a pretensão também de nos libertar da alienação proposta por interesses do momento, empresas, ou seja, ELES, a terceira pessoa do plural que configura o título da canção.

    Atualmente não percebemos esse tipo de abordagem (crítica) em canções, são raros os compositores que ainda hoje se preocupam com o fato de esse tipo de informação estar presente em seus trabalhos. Podemos associar isso a exatamente essa alienação mostrada na música, uma vez que a sociedade, ou pelo menos a maior parte dela, perdeu sua visão crítica/reflexiva, assim não se preocupa mais com esses assuntos de extrema relevância. A decisão de transformar esses pontos de vista em canção é algo absolutamente válido, uma vez que esse tipo de expressão cultural é mais direta, no sentido de alcançar o público em geral, do que, por exemplo, um ensaio sobre a alienação a qual estamos submetidos na atualidade.

  34. tere disse:

    Penso que é tudo consumismo. uma coisa nos leva a consumir a outra e realmente desta forma não nos deixam pensar! “cabeça pra usar boné e professar a fé de quem patrocina”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *