Faça o download do App do Análise de Letras para Android! É grátis!


Últimas Análises

Penso que é tudo consumismo. uma coisa nos leva a consumir a outra e realmente desta forma não nos deixam pensar! "cabeça pra usar boné e professar a fé de quem patrocina"
Para quem conhece o Humberto saberá q as letras dele são bem complexas Relação a vários temas se tira muita informação e cabe muita informação em suas letra por isso ele massa
Vivemos num mundo tão conturbado pela violência e por falsas promessas que não acreditamos mais em algo puro e verdadeiro. Para muitos acreditar no amor, acreditar na pureza do ser humano é algo incomum e algo ridículo, mas para Humberto ele existe e é o que realmente importa. É nele, por ele e com ele. Eh como se dissesse, podem me chamar do que quiser eu acredito e vivo o amor... E no meio de tantas futilidades em meio a tantos rótulos e etiquetas no meio de tanta hipocrisia ele ainda resiste... Pra que serve a aerodinâmica num tanque de guerra? Ao invés do homem usar as tecnologias a favor de si eles mesmo constroem e aprimoram maquinas que os destruirá... No fim todo mundo e igual... Todo mundo acaba da mesma forma... E o que resta é o seu ser, o sua consciência. Vão-se os rótulos, a mídia, o glamour, vão-se as vaidades. Enfim é uma analogia a vida, a sociedade... Que por sinal é muito bem feita.
A música "Dom Quixote", nos permite visualizar em diversos ângulos o sentido da música, como na parte "Muito prazer, meu nome é otário", "Por amor às causas perdidas", os outros o chamam de otário, por acreditar em si, por ser corajoso, verdadeiro... que na verdade o amor sempre vai ser uma causa perdida, nada é fácil, e para aqueles que amam sempre virão "Dragões", e poderá ser derrotado, mais sim aqueles, que confiam no amor, os "dragões sará moinhos de vento" que vão chegar, ver que aquilo é verdadeiro, e não tem como ser destruído.
preciso saber da interpretaçao da musica longa estrada da vida JOSÉ RICO
NA MINHA OPINIÃO: Ele se arrepende por não ter demonstrado seu amor enquanto estavam juntos por não admitir que a amava. Ele terminou o relacionamento e PERCEBEU que gostava mesmo da guria "Senti saudade, vontade de voltar, fazer a coisa certa (demonstrar os sentimentos e dar valor à garota). Daí, agora tira onda com a própria cara "eu que não amo você, envelheci 10 anos ou mais nesse último mês" é como se ele dissesse a si mesmo "Pô cara, eu pensei que tu não amasse a guria, porque está sofrendo se foi tu que terminou a relação?" Ele quer voltar, mas não sabe o que dizer (realmente deve ser difícil pedir pra voltar pra alguém que VOCÊ mesmo dispensou). Dai ele assume que pensou que não sofreria com o fim da relação, MAS SOFREU. ai ele bebe, fuma. "Procurei sem encontrar a palavra certa, a hora certa de voltar" Isso mostra que ele até tentou fazer as pazes mas não conseguiu.
Eu perdi as chaves, mas que cabeça a minha: No primeiro encontro dele com sua atual esposa ele perdeu as chaves de casa e teve de dormir na casa dela. Po isso o " Agora vai ter que ser para toda a vida", e em "Umanluz que não produz sombra" quer dizer que o amor deles é tao radiante que não há nada de maldade e ilusão.
"Uma luz que não produz sombra". Acredito que pode haver mais de uma interpretação. Uma delas é de que essa luz mostra como realmente somos, nossas imperfeições no perfil fotográfico 3x4, nossos defeitos e qualidades como pessoa. E de que quando há amor verdadeiro, não há sombra, não há maldade, nem obscuridade. E sim clareza, e verdade.
Tentem enxergar a "guria" como sendo uma bebida alcoolica. Faz muito sentido.
Na minha opiniao,o eu-lirico rompeu o relacionamento com sua amada e isso o desgastou, ''envelheceu'' ao mesmo e ele que nao fumava,bebia, passou a faze-los.E ao dizer do inverno, mostra q a sua amada era uma pessoa gelida .O eu-lirico tentou reatar mas nao conseguiu..''E agora já nem sei Qual é o meu lugar Dia e noite sem parar Procurei sem encontrar A palavra certa A hora certa de voltar A porta aberta A hora certa de chegar''
Me esqueci de comentar na análise anterior. A corda arrebenta do lado mais forte. As pessoas que tem o poder de fazer acontecer os sonhos de todo mundo, "dão pra trás" na hora h no dia d
A letra fala sobre a forma de fazer política, sobre essa politicagem surreal e como os governos funcional. É engraçado que todo mundo tenha armas capazes de tudo mas ninguém inicie uma guerra nuclear. É muito engraçado que petistas e tucanos, por exemplo, tenham o mesmo sonho, façam as mesmas promessas, mas os deputados e senadores do partido perdedor na eleição presidencial fiquem barrando projetos de interesse social por simples interesse político. E nesse contexto todos querem te iluminar te iludindo.
A letra fala de ideologia, dos grandes pensamentos coletivos da humanidade. De tempos em tempos a humanidade passa a acreditar em certas coisas e desacreditar outras. Depois vem uma analogia do poder das ideias/ideais/ideologias com o poder do mar. Nós na nossa individualidade podemos sobreviver ao mar mas não enfrentá-lo. Nesse contexto nos cabe entrar na onda. Mas enfim se é mesmo impossível domar a força do mar e se não queremos entrar na onda, espero que seja possível ao menos não fazer nem um nem o outro e ficar na margem mesmo
A música me lembra a frase "a ignorância é uma benção". O conhecimento é um dom e uma maldição e acumulá-lo pode se tornar um grande fardo. É sensato dizer que pessoas com um alto QI tem dificuldades em relacionamentos por exemplo. Outra questão sobre os malefícios do acúmulo de conhecimento e explicações que talvez caibam no contexto da música é a questão dos alimentos. Sempre há alguma informação que diz que a sua alimentação faz mal e cria-se essa paranóia toda. A simplicidade no entendimento da vida pode torná-la mais agradável.
Acho que a música tem um fundo político sim, mas fala sobre a hipocrisia de maneira geral. Mesmo em nossos atos cotidianos, professamos ideais que nós mesmo não temos capacidade e nem vontade de concretizar - todos temos os mesmos sonhos, mas o sonho nunca vira realidade. A hipocrisia é impossível de reprimir, por mais que se queira fazer diferente. E de vez em quando damos a desculpa que "é só dessa vez"; ironicamente, a letra fala que é impossível repetir o que acontece "só uma vez". O jogo da hipocrisia envolve iluminar (no sentido de dar uma aparência, uma imagem) e iludir (ocultar os problemas). No fim, ninguém paga pra ver, todos aceitamos tacitamente o jogo de conveniências e conivências, e a verdade fica a ver navios.