Angélica

8 comentários

Chico Buarque

Quem é essa mulher
Que canta sempre esse estribilho?

Só queria embalar meu filho
Que mora na escuridão do mar

Quem é essa mulher
Que canta sempre esse lamento?

Só queria lembrar o tormento
Que fez o meu filho suspirar

Quem é essa mulher
Que canta sempre o mesmo arranjo?

Só queria agasalhar meu anjo
E deixar seu corpo descansar

Quem é essa mulher
Que canta como dobra um sino?

Queria cantar por meu menino
Que ele já não pode mais cantar

Quem é essa mulher
Que canta sempre esse estribilho?

Só queria embalar meu filho
Que mora na escuridão do mar


8 comments on “Angélica

  1. larissa disse:

    quem é essa mulher
    que canta sempre esse estribilho?

  2. Zezin disse:

    Essa música foi feita para Zuzu Angel.

  3. Janielly disse:

    Angélica é uam anção que denuncia a realidade
    Está loocalizada entre a ilusão de um eu-lirico e a realiadade de uma mulher que perdeu seu filho, ou melhor foi retirado dela. Uma mãe que mantém a vida dentro de si por nove meses e que a perde a partir do momento que lhe é roubada. Isso porque a opressão calava a voz do povo.
    Chico Genil, Denuncia e demosntra a tristeza de uma mãe comum a muitas daquela época.

    Linda e emocionante Canção!

  4. Janielly disse:

    Angélica é uma canção que denuncia a realidade
    Está loocalizada entre a ilusão de um eu-lirico e a realiadade de uma mulher que perdeu seu filho, ou melhor foi retirado dela. Uma mãe que mantém a vida dentro de si por nove meses e que a perde a partir do momento que lhe é roubada. Isso porque a opressão calava a voz do povo.
    Chico Genil, Denuncia e demosntra a tristeza de uma mãe comum a muitas daquela época.

    Linda e emocionante Canção!

  5. Já li um comentário que o Chico compôs essa canção baseado numa oração católica à Virgem Maria que inicia “Quem é essa mulher tão formosa vestida de sol?” e termina com um louvor à mãe de Jesus. Chico percebeu que há algo muito forte que une Maria e Zuzu Angel, a maior homenageada da música: ambas tiveram seus filhos mortos, vítimas de uma injustiça e ambas as mortes foram de uma imensa crueldade.

  6. Rafael Lisboa disse:

    Ótimos comentários.. Pra acrescentar, com relação àquele trecho que diz “Quem é essa mulher Que canta como dobra um sino” penso que o Chico se referia à persistência, à teimosia (no bom sentido) da Zuzu em buscar o paradeiro de seu filho… repetindo insistentemente suas alegações de que os militares eram responsáveis pelo paradeiro dele.. agindo assim como os sinos tocam o mesmos dobrado… repetindo o mesmo som dioturnamente.. Acho sinceramente que foi isso que ele quis dizer… Valeu Chico…! Lembremos da nossa história para impedir que atrocidades como essas sejam repetidas..!! Abraço à todos..

  7. Juliana disse:

    Como dito a musica foi escrita para Zuzu Angel, que não sossegou enquanto não soube o paradeiro de seu filho, morto pela ditadura.
    Quando ele diz: “Quem é essa mulher
    Que canta sempre esse estribilho?” e “Quem é essa mulher
    Que canta sempre o mesmo arranjo?” se refere a isso. É como se ela não falasse sobre outra coisa, como se vivesse repetindo essas conversas, querendo saber onde estava o filho dela, na incapacidade de conviver com a duvida do que teria acontecido com ele.
    Após cada pergunta ele dá uma resposta maternal, “só queria embalar meu filho” entre outras retratando o sentimento que ela sentia. Nas ultimas estrofes ela vai admitindo que o filho morreu.
    Nessa estrofe: “Quem é essa mulher
    Que canta sempre esse lamento?

    Só queria lembrar o tormento
    Que fez o meu filho suspirar” é uma denuncia a ditadura, não deixar ninguém esquecer que foi o regime que levou o filho dela para a escuridão do mar.
    Espero não ter errado nada, mas eu sempre fui apaixonada por essa musica e por tantas outras do Chico, mas nunca tive com quem conversar sobre e me senti muito a vontade para comentar aqui.

  8. Alessandra disse:

    Esqueceram de comentar que a parte do “que mora no fundo do mar”, se refere ao fato dele ter sido jogado na Baía de Guanabara. Como na música de Chico Buarque, Cálice, em que ele também fala sobre zuzu… “Vir emergir o monstro da Lagoa”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *