A Rosa

10 comentários

Chico Buarque

Arrasa!
O meu projeto de vida
Querida!
Estrêla do meu caminho
Espinho!
Cravado em minha garganta
Garganta!
A santa!
Às vezes troca meu nome
E some!
E some!
Nas altas da madrugada…

Coitada!
Trabalha de plantonista
Artista!
É doida pela portela
Ói ela!
Ói ela!
Vestida de verde e rosa
A Rosa!
A Rosa!
Garante que é sempre minha…
Quietinha!
Saiu prá comprar cigarro
Que sarro!
Trouxe umas coisas do norte
Que sorte!
Que sorte!
Voltou toda sorridente…

Demente!
Inventa cada carícia
Egípcia!
Me encontra e me vira a cara
Odara!
Gravou meu nome na blusa
Abusa!
E acusa!
Revista os bolsos da calça…

A falsa!
Limpou a minha carteira
Maneira!
Pagou a nossa despesa
Beleza!
Na hora do bom me deixa
Se queixa!
A gueixa!
Que coisa mais amorosa
A Rosa!
A Rosa!
E o meu projeto de vida
Bandida!
Cadê minha estrêla-guia?
Vadia!
Me esquece na noite escura
Mas jura!
E jura!
Que um dia volta prá casa…

Arrasa!
O meu projeto de vida
Querida!
Estrêla do meu caminho
Espinho!
Cravado em minha garganta
Garganta!
A santa!
Às vezes me chama Alberto
Alberto!
De certo!
Sonhou com alguma novela
Penélope!
Espera por mim bordando
Suando!
Ficou de cama com febre
Que febre!
A lebre!
Como é que ela é tão fogosa…

A Rosa!
A Rosa!
Jurou seu amor eterno
Meu terno!
Ficou na tinturaria
Um dia!
Me trouxe uma roupa justa
Me gusta!
Me gusta!
Cismou de dançar o tango…

Meu rango!
Sumiu lá da geladeira
Caseira!
Seu molho é uma maravilha
Que filha!
Visita a família em sampa
Às pampa!
Às pampa!
Voltou toda descascada…

A fada!
Acaba com a minha lira
A gira!
Esgota a minha laringe
Esfinge!
Devora a minha pessoa
À tôa!
À tôa!
Que coisa mais amorosa
A Rosa!
A Rosa!
E o meu projeto de vida
Bandida!
Cadê minha estrela guia?
Vadia!
Me esquece na noite escura
Mas jura!
Me jura!
Que um dia volta prá casa…

Arrasa!
O meu projeto de vida
Querida!
Estrêla do meu caminho
Espinho!
Cravado em minha garganta
Garganta!
A santa!
Às vezes troca meu nome
E some!
E some!
Nas altas da madrugada…


10 comments on “A Rosa

  1. Fulvio disse:

    Eu acho q essa musica sao dois caras que sao cornos mas ao mesmo tempo gostam muito da moça q deve se bem gostosa..e dai cada hora um fala uma coisa dela e ao mesmo tempo a defendem.

  2. Longe de mim a ousadia de interpretá-la, Relatarei o que sinto ouvindo nesta música…

    Fala de um homem apaixonado por uma mulher que aparentemente adora curtir o momento, mas não é fiel a ele…

  3. Rosa Maria disse:

    A primeira vez que ouvi essa música pensei: Só pode ter sido feira pra mim e o que me fez pensar tão pretenciosamente foi o fato dessa Rosa da música ser tão humana, tão falível e tão real.Uma Rosa cheia de dualidades, que se fez mal, não foi de caso pensado.A Rosa que arrasa com qualquer projeto de vida, prima pela liberdade, não gosta da constância e toda vez que tentam prendê-la, esta escapa, mas jura que volta pra casa.

  4. Eneas da Costa Oliveira disse:

    Trata-se de um amor que é alimentando pelo apego às qualidades de uma mulher que possue uma ambinguidade e uma confunsão quanto aos seu sentimentos, o homem detentor desse amor é advogado pacional e dedicado ao defender seu amor e mostra-se pouco preocupado com as evidência dos erros de Rosa.
    Uma rosa possue beleza e perfume admiraveis, porém são munidas de espinhos, não é perfeita mais é dignia de admiração, isso fica claro nas palavras do apaixonado homem. De certo a Rosa é prostituta o que fica evitente nas suas mancadas e na forma de sustentar seu amor.

  5. Victor Messias disse:

    Longe de mim interpretá-la também. No entanto, concordo da paixão infiel. Uma das dicas subjetiva seria a paixão da mulher pela portela e vestir rosa e verde, as cores da mangueira. Me corrijam se eu estiver errado

  6. Erick shimoki orlandi disse:

    Essa musica fala do amor das pessoas nos dias de hoje muitos estão numa relação como a relatada nesta maravilhosa musica do chico buarque e deixam acontecer.

  7. Eduardo Leal disse:

    Gosto muito da Rosa, tanto como música como personalidade livre, que chega a ser anti social. Quanto a maneira de rimar as palavras, que o Chico Buarque criou, rimando as últimas palavras do verso com as primeiras, é algo fascinante. Coisa de gênio mesmo. Não sei se tem um paralelo na poesia nacional, não sei, na gramática, como seriam classificados estes versos, mas gostaria de saber, pois para mim é algo novo e belo.

  8. Felipe disse:

    Essa música nitidamente fala de uma mulher que vive em duas relações com dois homens ingênuos. “às vezes me chama Alberto” onde ela troca os nomes e “Meu terno!/ficou na tinturaria/um dia! Me trouxe uma roupa justa” quando ela acaba levando a roupa de um pro outro, sem querer..

  9. Ricardo disse:

    Por que uma pessoa que interpreta uma música faz-se de intelectual e escreve coisa tão vagas e desconexas assim como estou escrevendo?
    A Rosa é uma puta!
    E tem colegas de profissão se defendendo por aqui.

  10. Eduardo disse:

    Uma letra genial, com rimas brilhantemente encadeadas e muito bem adaptada à música.
    O marido enganado conta a própria história, de sua mulher que tem outro (s) homens e o engana na cara dura, mas com sua aquiescência.
    Uma música que não dá para ouvir só uma vez.
    Digna de um dos grandes gênios da música mundial.

Deixe uma resposta para Felipe Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *