A Mais Bonita

6 comentários

Chico Buarque

Não, solidão, hoje não quero me retocar
Nesse salão de tristeza onde as outras penteiam mágoas
Deixo que as águas invadam meu rosto
Gosto de me ver chorar
Finjo que estão me vendo
Eu preciso me mostrar

Bonita
Pra que os olhos do meu bem
Não olhem mais ninguém
Quando eu me revelar
Da forma mais bonita
Pra saber como levar todos
Os desejos que ele tem
Ao me ver passar
Bonita
Hoje eu arrasei
Na casa de espelhos
Espalho os meus rostos
E finjo que finjo que finjo
Que não sei


6 comments on “A Mais Bonita

  1. maria luciana disse:

    Por favor,me digam qual é a temática desse texto

  2. Antonio Santana disse:

    Essa musica foi escrita em parceria com Naum Alves de Sousa para a peça “Suburbano Coração” que tem numeros musicais e esse é um deles. Uma moça sozinha canta em seu quarto.

  3. Lion disse:

    E, de fato, Chico consegue sintetizar uma conversa entre o espelho e a personagem. Reparem na mudança de tom quando ela se anima e quer se embelezar para impressionar. O eu femino das músicas do Chico arrepiam.

  4. Juli disse:

    Retrata fielmente a alma feminina. A mulher pra impressionar seu amado se envaidece e se embeleza pra atrair e prender a atenção, fazendo com que o homem não sinta a necessidade de olhar pra mais ninguém!

  5. João Zaviyalov disse:

    é incrível a sutileza de Chico e Naum nos versos dessa música.A mulher/moça parece viver em função do homem.Ela fica triste mas, feliz por agradá-lo.A recompensa dela é agradá-lo.É interessante observar a voz de Bebel na interpretação e a segunda voz de Chico, que parece ser o eco da voz dela.O tom da música também revela essa condição da personagem.

  6. Iuri disse:

    Sintetizando o que já falaram, essa letra retrata o diálogo do eu feminino com o espelho, expressando as inseguranças mais presentes (“para que os olhos do meu bem não olhem mais ninguém”) mas ao mesmo tempo a sabedoria nas coisas do amor que toda mulher tem (“finjo que finjo que não sei”).
    Absolutamente brilhante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *