Faça o download do App do Análise de Letras para Android! É grátis!

Disparo contra o sol
Sou forte, sou por acaso
Minha metralhadora cheia de mágoas
Eu sou um cara
Cansado de correr
Na direção contrária
Sem pódio de chegada ou beijo de namorada
Eu sou mais um cara

Mas se você achar
Que eu tô derrotado
Saiba que ainda estão rolando os dados
Porque o tempo, o tempo não pára

Dias sim, dias não
Eu vou sobrevivendo sem um arranhão
Da caridade de quem me detesta

A tua piscina tá cheia de ratos
Tuas idéias não correspondem aos fatos
O tempo não pára

Eu vejo o futuro repetir o passado
Eu vejo um museu de grandes novidades
O tempo não pára
Não pára, não, não pára

Eu não tenho data pra comemorar
Às vezes os meus dias são de par em par
Procurando uma agulha num palheiro

Nas noites de frio é melhor nem nascer
Nas de calor, se escolhe: é matar ou morrer
E assim nos tornamos brasileiros
Te chamam de ladrão, de bicha, maconheiro
Transformam o país inteiro num puteiro
Pois assim se ganha mais dinheiro

A tua piscina tá cheia de ratos
Tuas idéias não correspondem aos fatos
O tempo não pára

Eu vejo o futuro repetir o passado
Eu vejo um museu de grandes novidades
O tempo não pára
Não pára, não, não pára

Dias sim, dias não
Eu vou sobrevivendo sem um arranhão
Da caridade de quem me detesta

A tua piscina tá cheia de ratos
Tuas idéias não correspondem aos fatos
O tempo não pára

Eu vejo o futuro repetir o passado
Eu vejo um museu de grandes novidades
O tempo não pára
Não pára, não, não pára



Qual é a sua interpretação?





*



43 Comentários

Eu sou um cara Cansado de correr Na direção contrária Sem pódio de chegada ou beijo de namorada

ele está cansado de lutar contra as pessoas de poder, os políticos, por uma melhoria de vida, pois parece que ele corre sozinho, ou poucos correm, por isso diz direção contrária e isso nunca tem fim, nunca tem uma chegada. Todos correm em busca de dinheiro e poder, principalmente pela influência da mídia.

Eu não tenho data pra comemorar
Às vezes os meus dias são de par em par
Procurando uma agulha num palheiro

Aqui ele fala dele, da sua saúde. Ele sabe que está morrendo, não tem nada para comemorar e procura incessantemente por uma cura, que não existe.

Te chamam de ladrão, de bicha, maconheiro
Transformam o país inteiro num puteiro
Pois assim se ganha mais dinheiro

Aqui fala sobre a politicagem existente nessa republica de bananas.

Pena que hoje não fazem mais músicas desse nível. Povão tá é preocupado em comprar iphone com o salário mínimo e não está nem aí para o resto.

Acredito que o Cazuza nessa letra fala sobre as dificuldades do cidadão brasileiro:”disparo contra o sol, sou forte, sou por acaso” “cansado de correr na direção contrária, sem pódio de chegada ou beijo de namorada,eu sou mais um cara”e fala um pouco de si também como se pode observar nos trechos:”minha metralhadora cheia de mágoas”(devido as suas fortes críticas) “dias sim, dias não, eu vou sobrevivendo sem um arranhão da caridade de quem me detesta”(que acho que ele quis dizer que não se importa com quem o odeia) e faz uma critica direta ao governo e a situação politica do brasil: “a tua piscina tá cheia de ratos”(os políticos que estão enriquecendo com a miséria do seu povo)”tuas ideias não correspondem aos fatos” “eu vejo o futuro repetir o passado”.
Uma grande música!

Disparo contra o sol sou forte sou por acaso(cada dia que passa mais perdo da morte ele chega-HIV-mais ainda ele está lutando mesmo perdendo).Minha metralhadora cheia de mágoas(suas canções e entrevistas agora sempre críticas).Mais saiba que ainda estão rolando os dados, pois o tempo não pára(no jogo da vida ele ainda não estava fora).Sobrevivendo da caridade de quem o detestava(a burguesia que ele sempre criticou).A tua piscina está cheia de ratos tuas idéias não correspondem aos fatos(crítica direta à Brasília,onde moram os ratos).

eu so muito feliz

Nessa música Cazuza fala sobre a situação política do Brasil e também da sua situação de portador do vírus HIV. No trecho “Eu vejo o futuro repetir o passado” ele demonstra sua indignação pela atual política do país, que mesmo depois do fim da ditadura o Brasi não tomara jto e a coisa continuava a mesma. E no trecho “Mas se você achar que eu estou derrotado, saiba que ainda estão rolando os dados” se remete à esperança em relação à doença, queria mostrar que não estava derrotado pela doênça, e que tudo podia mudar…!

Gostaria apenas de agradecer ao belíssimo comentário postado por VITOR PALERMO, em 15/02/2011.

Existe uma miscelanea de momentos e situações, que ele externa nessa canção.Temos a crítica a estagnação das coisas com o tempo”eu vejo o futuro repetir o passado,eu vejo um museu cheio de novidades”,e também a questão de uma revolta pessoal interna do autor diante de seu tempo.

Acredito que a música critique o sistema brasileiro em geral, o governo que sempre nos apresenta uma perspectiva de mudança e nunca muda consideravelmente.
A ausência de ideologia fixa dos politicos: “A tua piscina ta cheia de ratos, tuas ideias nao correspondem aos fatos”.
Não acredito que a presença de primeira pessoa corresponda necessariamente à uma autobiografia. Acredito que na musica, o eu lírico seja alguém que vive na periferia, onde as promessas de políticos jamais chegam, é um marginal que critica a sujeira pública. Ele não se considera alguém importante, relevante na sociedade:
“Sou forte, sou por acaso
Minha metralhadora cheia de mágoas
Eu sou um cara
Cansado de correr
Na direção contrária
Sem pódio de chegada ou beijo de namorada
Eu sou mais um cara”
mas continua lutando, mesmo sabendo que é filho do acaso (seu nascimento provavelmente não foi planejado) e que pode não chegar a lugar algum.

“E assim nos tornamos brasileiros
Te chamam de ladrão, de bicha, maconheiro
Transformam o país inteiro num puteiro
Pois assim se ganha mais dinheiro” eu imaginava qe seria o politico chamando os qe lutam por melhores condicoes, de ladrao, de bicha, macunheiro.. e eles os politicos transformam as mentes das pessoas, tranformando o país em um puteiro …

Essa musica é algo autobiográfico mesmo.talvez acho que seja a musica que mais identifica e define o Cazuza. foi feita num momento da vida dele que era muito julgado e sempre poetica mesmo com seus problemas (tal dito cujo, a doença)

ca,ca,ca,ca,ca,ca,ca,ca,ca,ac,rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr,rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr,rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr,rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr,rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr,rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr,rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr,rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr,rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr,rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr,rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr,rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr,rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr,rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr,rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr,rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr,rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr,rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr,

la,la,la,la,la?

bla, bla, bla, bla.

Penso que a letra da canção é autobiográfica. Cazuza a escreve na 1ª pessoa. E, a partir da constatação de quem ele é (“eu sou um cara”). Até o vejo modesto, porque ele se coloca como mais um, mas não como “o cara”. E após a constatação do que é, dispara a sua revolta contra os que o odeiam ou o aturam (“Dias sim, dias não/ eu vou sobrevivendo sem um arranhão/ da caridade de quem me detesta…”). Por fim, decreta que, apesar de tudo, não é resignado, e informa que não se dará por vencido, pois “… o tempo não pára”. E, por fim, investe contra os que criticam, ao dizer que são os críticos os grandes hipócritas na situação (“… a tua piscina está cheia de ratos/ tuas idéias não correspondem aos fatos…”). That’s what I thought about.

Acho que ele fez essa música na época que já estava com AIDS, a música fala dessa luta dele com a doença e com os julgamentos que ele sofreu.

Minha luta é contra as convenções. Sou mais um tentando mudar o mundo, persuadindo alguns com minhas frustrações e indignações. Sou mais um lutando e quase desistindo de continuar, porque a vitória para quem luta contra o sistema é a anulação. Sou mais um!
Mas não pense que eu vou desistir, porque a situação pode mudar!
Na minha luta tentando persuadir as pessoas de que as coisas têm que mudar, de que o comportamento humano é múltiplo e que não somos o mesmo todo o tempo, muitos me dão ouvido e depois continuam a fazer do mesmo jeito. Mas eu continuo!
O que digo pra pessoas é isso: seu comportamento não condiz com o que você realmente pensa. Isso é hipocrisia! Será que você não vê? Mude, porque a situação pode mudar!

Acho que ele fala mesmo da AIDS, da sua indignação com tudo isso, na sua luta contra uma doença que naquela época nada sabíamos ao certo. “Nas noites de frio é melhor nem nascer”, porque há lugar mais quentinho que o ventre da própria mãe? Não. “Nas de calor se escolhe, é matar ou morrer”. Os medicamentos usados hoje em dia para vencer essa doença trazem efeitos colaterais às vezes insuportáveis como o calor extremo, capaz de deixar qualquer um louco a ponto de querer morrer ou matar. Também acho que “eu vejo o futuro repetir o passado” é o preconceito mesmo se fazendo presente mais uma vez e “suas ideias não correspondem aos fatos”, Cazuza talvez estejam discordando do que lhe foi prometido e não cumprido. “A tua piscina está cheia de ratos” seria o mesmo que comer ovo e arrotar caviar. Esse lado podre da sociedade que impõem suas jóias, mas na verdade não passam de bijouterias. “Mas se você achar que eu estou derrotado, saiba que ainda estão rolando os dados”, ele não tinha sido derrotado ainda, o jogo ainda não tinha acabado.

“eu vejo o futuro repetir passado”acho q ele quis dizer q o pais não evolui é sempre repetindo as mesmas sujeiras!.

“Disparo contra o sol
Sou forte, sou por acaso
Minha metralhadora cheia de mágoas
Eu sou um cara
Cansado de correr
Na direção contrária
Sem pódio de chegada ou beijo de namorada
Eu sou mais um cara”

(Tenho a impressão de que ele está falando de um mendigo, uma pessoa que vive à margem de nossa sociedade)

“Mas se você achar
Que eu tô derrotado
Saiba que ainda estão rolando os dados
Porque o tempo, o tempo não para”

(aqui acho que ele fala sobre idiotice brasileira e humana de achar que tudo ficará do jeito que está para sempre, sem perceber que “o mundo dá voltas” ou melhor, “o tempo não pára”)

“Dias sim, dias não
Eu vou sobrevivendo sem um arranhão
Da caridade de quem me detesta”

(acho que ele refere-se a forma como ele, um “mendigo” é tratado por nós.)

“A tua piscina tá cheia de ratos
Tuas ideias não correspondem aos fatos
O tempo não para
O tempo não para
Eu vejo o futuro repetir o passado
Eu vejo um museu de grandes novidades
O tempo não para
Não para, não, não para”

(Concordo com o que disse o Vitor Palermo sobre essa parte.)

“Eu não tenho data pra comemorar
Às vezes os meus dias são de par em par
Procurando agulha num palheiro”

(acho que ele retoma o ponto de vista do mendigo, e quando fala em “procurando agulha num palheiro” está referindo-se a comida.)

“Nas noites de frio é melhor nem nascer
Nas de calor, se escolhe: é matar ou morrer
E assim nos tornamos brasileiros”

(agora falando da forma como os mendigos sobrevivem nas ruas.)

“Te chamam de ladrão, de bicha, maconheiro
Transformam o país inteiro num puteiro
Pois assim se ganha mais dinheiro”

(acho que aqui além de retomar o ponto de vista do mendigo ele inclui os sentimentos
de artistas, estudante, e trabalhadores brasileiros
que são humilhados pelos governantes que vendem uma imagem distorcida do Brasil para o resto do mundo para poder lucrar com isso.
Um abraço.

Disparo contra o sol
Sou forte, sou por acaso
Minha metralhadora cheia de mágoas
Eu sou um cara
Cansado de correr
Na direção contrária
Sem pódio de chegada ou beijo de namorada
Eu sou mais um cara
Mas se você achar
Que eu tô derrotado
Saiba que ainda estão rolando os dados
Porque o tempo, o tempo não para
Dias sim, dias não
Eu vou sobrevivendo sem um arranhão
Da caridade de quem me detesta
A tua piscina tá cheia de ratos
Tuas ideias não correspondem aos fatos
O tempo não para
Eu vejo o futuro repetir o passado
Eu vejo um museu de grandes novidades
O tempo não para
Não para, não, não para
Eu não tenho data pra comemorar
Às vezes os meus dias são de par em par
Procurando agulha num palheiro
Nas noites de frio é melhor nem nascer
Nas de calor, se escolhe: é matar ou morrer
E assim nos tornamos brasileiros
Te chamam de ladrão, de bicha, maconheiro
Transformam o país inteiro num puteiro
Pois assim se ganha mais dinheiro
A tua piscina tá cheia de ratos
Tuas ideias não correspondem aos fatos
O tempo não para
Eu vejo o futuro repetir o passado
Eu vejo um museu de grandes novidades
O tempo não para
Não para, não, não para
Dias sim, dias não
Eu vou sobrevivendo sem um arranhão
Da caridade de quem me detesta
A tua piscina tá cheia de ratos
Tuas ideias não correspondem aos fatos
O tempo não para
Eu vejo o futuro repetir o passado
Eu vejo um museu de grandes novidades
O tempo não para
Não para, não, não para

nas noites de frio e melhor nem nascer nas de calor, se escolhe:e matar ou morrer e assim e tornamos brasileiros te chamam de ladrao, de bicha, maconheiro transformam o pais inteiro num puteiro pois assim se ganha mais dinheiro a tua piscina ta cheia de ratos tuas ideias nao correspondem aos fatos o tempo nao para eu vejo o futuro repetir o passado eu vejo um museu de grandes novidades o tempo nao para nao para,nao,nao para

não somos racistas (apenas), mas sim, fazedores de preconceitos

oque significa ??? nao entendi

Alguem pode me explicar este Tema ….

não somos racistas (apenas), mas sim, fazedores de preconceitos ..

nao entendi me ajudem pessoal por favor .

Nesse pequeno verso que fala assim “eu vejo o futuro repetir o passado”, na minha opinião o cazuza esta falando dos erros do passado, que ele esta vendo os erros do passado se repetir no futuro. E que jamais podemos deixar os erros do passado se repetir!

Essa música pra mim significa o fluxo da vida,tudo se transforma…ao menos na teoria. Quando ele diz que vê o futuro repetir o passado,que vê um museu de grandes novidades,se refere que o significado de futuro só existe no dicionario,pois as coisas continuam da mesma maneira “um museu de grandes novidades”. Em suma,seria uma critica a sociedade estagnada de nosso país,onde muito se fala sobre transformaçoes,renovaçoes,porém essas “idéias não correspondem aos fatos”…tudo na MESMA..”eu vejo um museu de GRANDES novidades”..

Os comentários aqui estão muito fracos

a musica vai mostrar como o Brasil é um país hipócrita.
Como “eu vejo o futuro repetir o passado” o que ele quis dizer que após a ditadura militar o povo escolheu os mesmo representantes que teve forte participação como o nosso queridíssimo José Sarney e que por causa do carnaval,das mulatinhas … o Brasil teve fama de puteiro como ele disse “transforma um país inteiro num puteiro pois assim nos tornamos brasileiros”

Faz crítica a imagem do país no exterior,um lugar desorganizado,um “puteiro”,um país corrupto!!!

Essa musica tem um conteúdo incrivel ! Podemos tirar delas coisas que servem como algo que Cazuza queria nos dizer , ou coisas que servem para serem ditas em muitas situações que vivenciamos em nosso país , em nosso dia-a-dia . 1° estrofe Cazuza se refere a ele , o transgressor burguês , que disparava contra o caminho que seria normal seguir . Cheio de mágoas por tanta caretice e babaquice na nossa sociedade que vive de padrões fúteis . Diz que já está cansado , cansado da mídia que o condenava , da hipocrisia do país na política , na sociedade . Na 2° estrofe ele diz algo que serve de lição para auto-estima : embora todos achem que você está derrotado , os dados ainda rolam , porque o tempo não para de passar nunca . Logo após diz que dias sim , dias não ele sobrevive sem mágoa nenhuma por isso … e a parte “da caridade de quem me detesta” , creio que ele se referia a mídia , ao governo , a simplismente todos que o pintaram como um burguesinho rebelde drogado , ou coisas do tipo .
O refrão é clássico ! A piscina cheia de ratos serve para as pessoas que dizem e mostram viver a vida corretamente , mas que escondem seus podres . Ou aos governantes que lucram em cima do povo trabalhador desonestamente , e a piscina de suas mansões na verdade está cheia de ratos , de podres . As idéias moralistas e a imagem do “ser correto” já não correspondem aos fatos acontecidos , por que não faz sentido levar adiante idéias que apoiam o que há de errado em nosso país . O futuro nada tem de original , mas quando paramos para olhar o passado descobrimos coisas incríveis , grandes novidades .

Fala da ditadura. Quando ele dis que suas idéias não correspondem aos fatos seu acho que ele quer dizer que os fatos que estavam ocorrendo naquela época não condiziam com as nossas idéias.

eu concordo com essa musica o tempo nao para so se para quando a pilha acaba

essa musica fala nada mais nada menos que a ditadura militar!

essa musica é perfeita e fala o q estou estudando q é a ditadura militar

cantor e compositor de qualidade, que apesar de tudo, escrevia com sentimento, por tudo aquilo que passou e passava, e por tudo que ele sabiamente conseguia perceber no mundo.

bom , eu estou trabalhando com essa musica , na escola ! , por mais idiota que pareça , é a primeira vez , que eu estou prestando mais atenção na letra dessa musica ! , realmente , esse cara fez hidtoria , e escrevia musicas maravilhosas *-* , musicas que realmente , passam a realidade em que vivemos até hoje ! infelismente .

“consertando” … vivemos infelizes….

Estou trabalhando esta música com meus alunos e estamos fazendo uma comparação com um artigo de opinião que trata sobre raciscmo. Aliás, segundo o autor não somos racistas (apenas), mas sim, fazedores de preconceitos, pois “estranhamos” tudo que é diferente de nós e qu a sociedade prega como regra. Vejo em muitas partes a questão da denúncia social (mesmo sendo burgues ele sempre foi contrário às diferenças sociais, lutou contra todo o tipo de preconceito, viveu pouco, mas foi feliz! Muitas vezes, nós, hipócritas, seguimos regras impostas e não vivemos felizes por nos importarmos com o que os outros acham! “Eu vejo o futuro repetir o passado” – estamos repetindo os mesmos preconceitos feitos por nossos antepassados. “Tuas ideias não correspondem aos fatos” : Pensamos muito, mas na prática, agimos mal!!!

Eu posso estar errada, mas acho que essa musica fala sobre a AIDS:

Cansado de correr/Na direção contrária/Sem pódio de chegada ou beijo de namorada – está cansado de lutar contra essa doença e não conseguir vencê-la.
Mas se você achar/Que eu tô derrotado/Saiba que ainda estão rolando os dados – ele ainda tem esperanças de se recuperar

Comentarios ridiculos esses de qm nao sabe apreciar uma boa musica, de um cantor e compositor de qualidade, que apesar de tudo, escrevia com sentimento, por tudo aquilo que passou e passava, e por tudo que ele sabiamente conseguia perceber no mundo.

quem somos nós pra julgar o caráter de alguém?
pelo o que eu entendi, o que se faz aqui é analisar as MUSICAS. vá despejar todo esse ódio em outro lugar

Ouvi dizer que um dia o Cazuza foi tentar entrar numa piscina pública (de um clube, talvez) e uma pessoa o impediu porque ele tinha aids. Daí o porquê de “tua piscina tá cheia de ratos, tuas ideias nao correspondem aos fatos, o tempo nao para”. Até porque, era ele quem tava com aids naquele dia, sofrendo o preconceito, mas aamnha poderia ser essa pessoa.

A música fala sobre a ditadura militar
‘Disparo contra o sol
Sou forte, sou por acaso
Minha metralhadora cheia de mágoas
Eu sou um cara’
Ele é mais um cara no meio de muitos qe estão submetidos, é como se ele não fizesse a diferça para as autoridades..
Qnd o letrista diz: eu vejo um futuro repetir o passado, eu vejo um museu d grandes novidades’, ele retoma a revolução socialista ocorrida na Rússia e tem esperanças que ocorra, também, uma revolução comunista no Brasil.

o tempo não para é a mostra da força poetica que o cazuza coloca em suas musicas,o tempo não para mostra a anaise de um cara determinado,que nunca desiste,essa musica deixa uma grande mensagem para nós,onde nunca devemos desistir

Qual é a sua interpretação?

-->